Sunday, November 04, 2007

ESTENDER O CORPO À CARIDADE.
















Qual ponta de lança não podendo refrear a corrida, saltando em último recurso por cima do guarda-redes no chão para não o lesionar, assim me imaginei quando o pedinte se me arrojou destemido aos pés. O seu gesto técnico revelou a um tempo, elegância, destreza e experiência posicional. Pouco mais pude fazer, que sair deslizando de fininho pela linha lateral não deixando contudo, de admirar o pundonor deste atleta em vias de extinção. Deste desporto (?!) -o de estender a mão à caridade, dizia-se aqui há uns anos atrás que "dar esmola era atrasar a revolução". A estratégia era simples: os pobres seriam ainda mais pobres e engrossariam as vozes de contestação ao poder vigente. A revolução fez-se há um ror de anos e hoje, a pobreza veste outro equipamento: o alternativo. Que é assim a modos como entrar em campo envergonhada, à espera de ouvir os apupos da claque dominante e, fatalmente, continuar a ser condenada à despromoção social enquanto aguarda por outra revolução-sim, outra revolução-não.
Praga, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

25 Comments:

Blogger bettips said...

Fico envergonhada, eu de olhar. Pelas tais mudanças, sim/não. Que não se vêem que os raios de alternativas serão. Uma fotografia densa e séria, A.
Abrçs

5/11/07 19:38  
Blogger Ruela said...

concordo com a bettips.

tenho que passar a batata quente :)

O blogger RAA, Abencerragem lançou-me o desafio da «página 161»:

1. Pegue no livro mais próximo, com mais de 161 páginas -- implica acaso e não escolha.
2. Abra o livro na página 161.
3. Na referida página procure a 5.ª frase completa.
4. Transcreva na íntegra para o seu blogue a frase encontrada.
5. Passe o desafio a cinco bloggers.

Quem vai ser?

1. art of love
2. Escárnio e Maldizer e mais qualquer coisa. (novamente) :)
3.peach
4.legível
5.anjobaldio (novamente) ;)

5/11/07 20:46  
Blogger isabel mendes ferreira said...

enorme.





recíproco.





(obrigada.)




_____________________.

5/11/07 21:01  
Blogger JPD said...

Em tempos aprendi o funcionamento da Curva ABC.
Cosistia no seguinte, aplicada à gestão de stocks:

Tomadas em consideração as quantidades de consumo de produtos, a atenção da gestão deveria centrar-se no conjunto de 20% de produtos que corresponderiam a 80% das vendas.

Transpondo este racicíonio para a sociedade (É possivel e legítimo?) uma sociedade desequilibrada será aquela em que menos de 10% (Estarei a ser condescendente?) dispõe de 90% da riqueza, rendimento, bem estar, etc.

Mutatis mutandis, se 85% da população não dispõe de 15% de rendimento para viver,estaremos perante um rácio de desequilíbrio ainda maior.

Qual a solução para estes problemas?

O imediato e de natureza social seria a prática de solidariedade e redução esforçada de frieza, indiferença, alheamento, etc.

A solução política seria a de inversão destes valores.

O que parece suceder é extremar destas duas situações numa lógica geométrica: menos gente cada vez mais rica; mais pobreza e maior irreversibilidade.

A par de tudo isto, a especulação do mmercadode petróle evolui estranhamente: divulgada a notícia de uma Turco ter apontado uma arma a u suposto membro do PKK, as ramas de petróleo sobem logo para os 90 usDolars barril.

U abração

5/11/07 22:11  
Blogger lélé said...

Sem entrar no campo da revolução, que é uma coisa sempe bem vinda, devo dizer que, só pela careca, reconheço o desportista da foto! Sei como se chama, toca um reportório variadíssimo, que vai do "Greensleeves" até àquela que começa assim "and did those feet in ancient time walk upon England's etc." e volta atrás e toca o mesmo, no seu instrumento de sopro. Com uma pequena troca dos "pp" pelos "bb", não vive em Praga, mas, aqui entre nós, ele próprio é uma pragazita!...

5/11/07 22:30  
Blogger Whisper said...

Mais uma vez, penso que o texto cumpre o seu objectivo (sempre) implícito: o de gerar a "confusão" e espicaçar algumas mentes mais acomodadas...

A minha, se tanto tempo viveu na inquestionável solidariedade, tem ultimamente vindo a mudar-se subtilmente para alguma frieza (baseio-me na questão da autoria face às escolhas, que não consigo excluir...).

Mas o certo é que fico a pensar...

Muito bom!

6/11/07 11:10  
Blogger Vanda Baltazar said...

E quando os corpos que se nos estendem são os de crianças? E quando as crianças revoltadas por não receberem uma moeda pôem em causa o cigarro que fumamos? E quando nós nos sentimos confrontados com esta realidade?

Não há revolução que nos salve.



Beijinho

Vanda

6/11/07 11:21  
Blogger ~pi said...

...e prá fome da alma

como se faz?




*

6/11/07 11:46  
Blogger mixtu said...

curioso que há pessoas que ficam incomodados com a riqueza dos outros, eu.. com a pobreza e a deficiência
são situações traumatizantes para quem é da serra ou da aldeia onde há outros apoios, dos vizinhos...

abrazo europeo

6/11/07 12:20  
Blogger Ruela said...

encontrei o paradeiro da Laura Linda ;)

passa no Neo Artes.
Um abraço.

6/11/07 17:58  
Blogger inominável said...

eu sou um bocadinho contra a esmola, porque acho que não resolve nada e tapa os olhos... e alivia-nos do cansaço ou da (ir)responsabilidade...

mas não resisto assim tantas vezes...

e quando faço tilintar a moeda no saco ou boné ou lata vazia, sinto sempre que estou, de facto, a adiar a resolução do problema daquela pessoa...

mas depois penso na sopa quente ou no prato de arroz...

6/11/07 19:13  
Blogger un dress said...

nada é mais eterno do que as pobrezas

as que arrasam e se arrastam
nas manhãs dos dias ocos

chocantes irresolúveis
e diversas. bem iguais

e bem diversas!


...


abraÇo.beijO

6/11/07 23:30  
Blogger Gi said...

Há um provérbio chinês que diz. "Se um homem tem fome não lhe dês peixe. Dá-lhe antes uma cana e ensina-o a pescar." Eu até era capaz de concordar se por m simples acaso houvessem canas e cursos disponíveis para todos. Infelizmente não há. Existem sim problemas imediatistas e sem resolução à vista. Revolução talvez. Sobretudo nas mentalidades . Essas é que precisam de mudar urgentemente. Saiamos um pouco do nosso quintal ... Como é possível que num planeta vivo como o nosso é haja tanta gente a morrer à fome? Como é possível que eu , tu e tantos outros permitamos isto? Como é possível existirem cotas que limitam a produção de leite por exemplo e existam crianças sem um copo de leite num qualquer ponto do globo?

Olha , acho que alterei o rumo do teu post sem querer, há coisas que mexem comigo por demais.

Um beijinho

7/11/07 01:55  
Blogger Entre linhas... said...

Existem situações bem reais quanto ao tema,mad no entanto e por outro lado tb existe outras muito bem encenadas remetendo-as para o real,pena muitas vezes quando são crianças a dar a cara..
Bjs Zita

7/11/07 09:09  
Blogger foryou said...

É um assunto sempre controverso...
Dar uma moeda de esmola ou dar o que realmente faz falta...
Será que o pedido de esmola se justifica mesmo...
Qual será o uso dado à esmola...
A esmola vai mesmo ajudar a resolver o problema...
São muitas as questões que se colocam. No fundo, mesmo no fundo, acho que a solução não deveria passar por pedir ou dar esmola mas pelo facto de nem um nem outro ser necessário. Utopia? Hum.. talvez...

7/11/07 10:40  
Blogger Rui said...

Amaldiçoou a sua falta de sorte e rasgou o bilhete da lotaria. Porra, pá! Logo hoje que me dava tanto jeito que saísse. Dezenas de pequenos pedaços de papel voaram em direcção ao infinito. Albertino, de carteira na mão, observou aquele voo desordenado e conteve o impulso de comprar um bilhete da semana próxima: não queria mais papel a voar. Retirou a chave do carro do bolso e, ao arrumar a carteira, as mãos embrulharam-se e a chave caiu. Na sarjeta.
Fénix, fénix, fénix... mil vezes fénix, disse ele, tirando o boné e batendo com ele nas pernas várias vezes e com quanta força tinha. Uma velhota que passava abanou a cabeça de tristeza e ele mandou-a levar onde levam as galinhas. Assim, sem mais. Logo ele que era um poço de bonomia. Há dias de manhã que uma pessoa à tarde não devia sair de casa à noite. De cócoras sobre a sarjeta, tentava ver alguma coisa. Nada. Nem via, nem a tampa da sarjeta mexia. E agora, como ia ele para casa. Logo hoje, que jogava o seu clube e dava em canal aberto. Agora de joelhos no passeio, lançava impropérios em toda a direcção quando umas botas tipo tropa pararam junto a si. Foi o senhor que lançou estes papéis para o chão? Uma mão grossa e calejada mostrava-lhe um bilhete de lotaria em pedaços. Pois saiba que está multado! Albertino tirou o boné e lançou-se para a frente, chorando como um bebe.

7/11/07 16:01  
Blogger hora tardia said...

estender o corpo à "clara-idade"????




tb podia ser. ou não?




beijos.




de todos os dias.

8/11/07 08:46  
Blogger Joana said...

DE PÉ Ó VÍTIMAS DA FOME!
AVANTE CAMARADA E O SOL BRILHARÁ PARA TODOS NÓS!



Desculpa aí o cancioneiro revolucionário, mas apeteceu-me!
:)
beijos

8/11/07 10:47  
Blogger Azul said...

Oh amigo légível, desta vez até me arrepiei espinha abaixo. A foto é tão evidente que dizer o que quer que seja dela, é retirar-lhe aquilo que ela mostra tão bem. Quanto ao texto, lembrou-me um que escrevi num certo Abril de 2005 8se não estou em erro) e que publiquei no cem truques, nu azul que diz de revoluções das que se fizeram por cá, aquilo que voc~e vem lembrar. Estou sintónico consigo mais uma vez. Comentar para quê? beijos e até breve. Azul

E camim, não se esqueça, passe por lá.

www.cemtruquescarmim.blogspot.com

8/11/07 21:44  
Blogger Bichodeconta said...

Assim caminha o mundo em que vivemos..um abraço, ell

9/11/07 18:50  
Blogger Nia said...

..."Esperando pela revolução-sim , pela revolução-não"...e por vezes, misturando seniores em crise com recurso a juniores e infantis, num futebol de recurso, desespero e quantas vezes de chantagem emocional num jogo de vale-tudo.

10/11/07 02:25  
Blogger nana said...

eu sou contra a esmola.

mas não o olhar.
nunca o sorriso.


...

11/11/07 15:25  
Blogger ~pi said...

...pois...:)

15/11/07 20:33  
Blogger APC said...

Apesar de tudo, é uma boa estratégia de marketing na ocupação de pedinte, a deste homem!

23/11/07 01:26  
Blogger Sofia said...

Ui que me fizeste lembrar q vou agora à bola, e q o meu clube está mesmo à beira da despromoção.

:(((((

26/11/07 17:46  

Post a Comment

<< Home