Monday, October 08, 2007

COMO SE VÊ NARCISO
















Ficou-lhe de muito novo o gosto pelos espelhos. Recorda-se -ainda gatinhava, da primeira vez que se observou num deles não se assustou com o que viu; pelo contrário, repetiu o exame meia dúzia de outras vezes e ficou convicto que quando parentes mais chegados, vizinhos e alguns passeantes -daqueles que não perdem ocasião de dizer coisas a crianças e animais, exclamavam "que criança tão bonita! não eram palavras de mera circunstância. Destes últimos, alguns chegavam mesmo ao exagero da dúvida quase insultuosa "é menino ou menina?". Paciente, tudo ouvia e registava e, apesar da tenra idade, o ego crescia-lhe tão desmesuradamente que o nosso herói corria o sério risco de lhe minguar o corpo em função do ego. Mas lá diz a história, que para os bem-parecidos a vida não é tão madrasta como para aqueles que passam despercebidos no meio da multidão. A dádiva da beleza (segundo os doutos pareceres dos árbitros da elegância -ou da estética corporal e do cidadão anónimo sempre pronto a acompanhar estes movimentos culturais) foi-se distribuindo generosamente pelo corpo de Narciso. E nada melhor que um espelho (imensos espelhos, atrevo-me a acrescentar) para ele próprio confirmar a sua beleza. Tem sido assim pela sua vida fora: os espelhos (ou tudo aquilo que possa reflectir a sua imagem) acompanham-no quase como uma segunda pele. Não havia espelho (ou montra) de estabelecimento comercial na Rua Augusta que não conhecesse Narciso, nem mulher que não voltasse a cabeça quando com ele se cruzava... segundo afiançava o próprio. Fui encontrá-lo recentemente no ambiente bucólico de Potsdam, mirando-se nas águas de um poço rural, também ele espelho de outras épocas. Estava uma sombra de si mesmo e, directo como costumo ser porque nada devo à beleza, fiz-lhe sentir isso mesmo. Que não, retorquiu com veemência; eram as águas estagnadas e naturalmente sujas provenientes da cavidade no solo, que lhe distorciam a aparência...
Potsdam, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

25 Comments:

Blogger bettips said...

A "beleza" é que te deve muito, caro! A foto está tão suavemente reclinada no olhar de Narciso que não posso rir, só sorrir, mesmo lendo sobre os comuns narcisos da nossa praça. Embevecida. Abç

9/10/07 02:21  
Blogger ~pi said...

a importância de acreditar.

mesmo que os espelhos, na sua permanente distorção de águas estagnadas,

arruinem a tão óbvia beleza!!


:)

9/10/07 10:09  
Blogger mcorreia said...

que belo autoretrato, diria eu se fosse belicosa ou conhecesse do meu caro o semblante. Assim, direi que escreveu um texto lindo, mas arrepiante. Explico. Embora não pareça, eu leio os jornais e vejo um noticiário(o das dez, fique sabendo), e por tal, assomou-me colado ao moço elegante airoso que tão bem descreve, a figura esmaecida do médico que me tem entrado pela casa nas últimas semanas (há uns dias que se fugiu, que andará tramando?) Por isso, meu caro, a sua escrita, límpida como as águas em que assomou Narciso (mirando-se! credo que a analogia é arrepiante e eu endoido!), caíu-me mal, indispôs-me. Mea culpa! Perdoe-me.

9/10/07 10:59  
Blogger triliti star said...

não terá ele tido razão ao dar essa resposta?

não deveremos nós levantar a cabeça e seguir em frente?

já ouvi isto algures: se não gostarmos de nós, quem é que gosta?

não podemoa deixar-nos ir abaixo...

9/10/07 12:04  
Blogger poca said...

não acho que a beleza seja uma coisa assim tão boa.. no que me diz respeito acho que a beleza é um karma complicado..

e sim, é muito fácil não aceitar as coisas como elas são.. principlamente quando se trata de nós próprios..

9/10/07 12:24  
Blogger Sofia said...

Uiii.... por momentos pareceu-me cheirar maçãs!!!!! ;)

Umm pouco de narcisismo sabe sempre bem. Se nao gostarmos de nós quem gostará?

bjs

9/10/07 16:18  
Blogger M. said...

Repito-me: delicioso! E bela a fotografia e a estátua.

9/10/07 16:58  
Blogger passarola said...

e mesmo de aparência distorcida, o narciso não conseguiu largar o reflexo... mais narciso, não podia ser!

9/10/07 19:01  
Blogger Ruela said...

Narciso até ao fim.

9/10/07 20:31  
Blogger lélé said...

Eis uma história bem real!

"Estou um caco?!!! Você sofre dos olhos! Vá tratar-se!"

9/10/07 22:51  
Blogger rach. said...

Soa-me a eco de algo...

O belo Narciso mais parece inclinado sobre o poço dos desejos. Que moedita terá lançado?

9/10/07 23:46  
Blogger Madalena Pestana said...

A boa escrita, em regra provoca-me um sorriso. Estou a sorrir. :)

10/10/07 11:22  
Blogger Azul said...

Oh caro amigo, olhe que esta história do narcíso deu-me cá que pensar! Vou recomendá-lo a um amigo meu, para que o leia, a ver se aprende consigo a não ser tão aldrabão!! lol
Belo texto como sempre, cada vez melhor, parece-me.

deixo-lhe aqui duas moradas minhas, que decidi abrir, para separar os textos usn dos outros, que me parece ser mais adequado. assim, o Azul, ficará para a pseudo-poesia; o amarelo, para o humor; e o carmim, para a sedução. Espero-o por lá, e agradeço-lhe sempre os comentários uma vez que tem da minha parte, o maior dos respeitos.Obrigada.
Um abraço. Até breve. Azul

Aqui vão as moradas.

www.cemtruquesamarelo.blogspot.com
www.cemtruquescarmim.blogspot.com

10/10/07 11:38  
Blogger un dress said...

"e de tudo os espelhos são a

invenção mais impura"

narciso leu, engoliu em seco,

benzeu-se duas vezes e afastou-se,

incrédulo...

/a frase continuava

a martelhar-lhe a cabeça...

e sabia que mais dia menos dia

teria que abordar a questão dos

espelhos com o seu mais próximo

espelho:

o imenso espelho do tecto

no gabinete do

psicanalista.





abraÇo.beijO




....................

10/10/07 12:30  
Blogger anatema said...

Para quitarnos el ego que nos ronda tantas veces ¿no sería mejor mirar a ese otro que se cruza en nuestro camino, de innoble presencia, más aún, de acciones perversas, y, mediante un autoexamen de conciencia, pensar que, tal vez, nosotros somos así: tan engreídos y estúpidos, tan ciegos, que no acertamos a reconocernos?

He dicho.

10/10/07 13:59  
Blogger inominável said...

Compreendi a boca e fui lá pôr alguma coisinha para não te melindrares mais ;)

Eu, pouco narcisa, olho-me ao espelho e pergunto com a devida frequência e autêntico medo: "quem és tu hoje"?

10/10/07 14:06  
Blogger APC said...

Muito bem... É mesmo assim. Resta saber se esse "ser assim" na vida é mesmo convicto, ou abre brechas silenciosas (eu cá tenho a minha, fruto das teorias que me talharam, mas certeza não é). A fotografia, essa é extraordinariamente bela.
Gosto muito destes teus trabalhos, que, inevitavelmente, te espelham.

E aqui, o tema foi "Espelhos" na passada edição.

Fica um abraço.

10/10/07 19:14  
Blogger Tchivinguiro: onde nasci. said...

Nem o velho ditado de que «as aparências iludem» valeu a Narciso.

Bela crónica.

Gostei do formato do teu «PAPEL DE FANTASIA».

10/10/07 19:50  
Blogger mixtu said...

os bem.parecidos, por acaso safam-se mais, tenho que fazer mais vezes a barba, lavar os dentes ah! e tomar banho, mas isso dá uma trabalheira, jajaja

abrazo europeo

10/10/07 20:52  
Blogger Spiritman aka Bacardiman said...

Se os gajos da assembleia da rep. soubessem ler acredita que lhes enviava o teu post!

Cumprimentos mixed by Jameson 12 anos!!!

10/10/07 21:48  
Blogger manhã said...

só petrificando justifica que nos olhemos eternamente no espelho, que o tempo, pimba, não perdoa e qualquer dia é o espelho que se aborrece e parte-se, shiii então é que são elas!

10/10/07 22:50  
Blogger inominável said...

olha, agora nem comento o teu post, mas o teu comentário ao meu!!! és um ponto... daqueles esguios que terminam num ponto pequenininho... e nada tímido, pelos vistos!!!!!!!!!! ri-me tanto :) coitadinho do velhinho ;) a marcar já férias para ir a Grenoble... e vai tu também que a altura das grandes neves nos ALpes está para breve....... e ainda me apanhas de perfil LOL

10/10/07 23:50  
Blogger augustoM said...

Narcisimo é o que há mais, só que nem sempre é a bleza que é reflectida, que o diga o Sócrates.
Um abraço. Augusto

11/10/07 13:58  
Blogger nana said...

não.

os olhos dos outros, esses sim, perderam seu brilho.

eu continuo em mim.

e sei a beleza que sou.











....

11/10/07 14:34  
Blogger Gi said...

Já cá venho com mais tempo para ler e comentar. Agora só vim solicitar que te desloques ao balcão do meu blogue, último post do dia, para levantares uma encomenda :)

beijinhos

11/10/07 16:53  

Post a Comment

<< Home