Friday, November 16, 2007

DUAS RODAS















Já tinha dado tantas voltas à cidade que lhes tinha perdido o conto. E para cúmulo, quando passava segunda ou terceira vez pela mesma praceta ou avenida, os idosos, pensionistas, desempregados e ociosos, aplaudiam-no e gritavam-lhe palavras de incentivo como se estivesse a correr a clássica Paris-Roubaix. Zangado consigo próprio por não ter pedido o mapa de orientação no posto de turismo, o ciclista susteve a marcha junto à passadeira dos peões e perguntou à jovem de óculos escuros "Sabes indicar-me o caminho mais curto para a Avenida dos Aliados?" Ela pestanejou surpreendida, porque era a primeira vez que um homem de bicicleta a abordava na rua "Quando acabares de descer esta rampa, estás no Largo dos Loios, tens a seguir a Praça da Liberdade e em frente a Avenida dos Aliados. Não tem nada que enganar." dando-se ares de quem tinha sido nada e criada na Invicta, quando na verdade tinha chegado -pela primeira vez, à capital nortenha no dia anterior e o único percurso que tinha feito era aquele: dos Clérigos aos Aliados. Ele sorriu-lhe "Se não estivesse com o tempo contado convidava-te para irmos comer uma francesinha... " e pedalou até se perder de vista. Ela continuou a subir em direcção à Cordoaria e o transeunte de boné azul, ouviu-a distintamente dizer "Só me aparecem tarados sexuais pela frente!"


Praga, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

24 Comments:

Blogger ~pi said...

porto porto... agora lembrei-me da canção do sérgio godinho!

tarados sexuais de bicicleta a convidar pra possíveis francesinhas!? :)

coisa normal por cá!!


:))) muito riso hoje .............

17/11/07 12:36  
Blogger Ruela said...

Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!Ha!

17/11/07 18:45  
Blogger un dress said...

e foi então que ouviu, mesmo atrás de si um riso descomunal!

um riso forte e denso que se espalhava como se vindo do céu, uma trovoada de riso que se elevava da calçada e se espalhava em todas as direcções da cidade!!

olhou para a torre dos clérigos que lhe retribuiu um olhar
tão inquieto quanto o seu, depois olhou à volta incrédula, benzeu-se e percebeu que aquele riso só podia ser de deus.

esqueceu os tarados sexuais e todos os outros tarados e preparou-se para o pior...

seria o juízo final, ali mesmo, antes dos lóios, às cinco e meia da tarde!?

iria deus permitir que tudo acabasse assim, sem sequer ter cedido a um único convite velado que incluia sempre o bónus duma francesinha, como aquele, ainda agora mesmo ali, na passadeira!?

e desatou a chorar copiosamente perante a injustiça divina!!!


:)))e mais risO...................

18/11/07 16:47  
Blogger Ruela said...

tive que vir outra vez...e fiquei no meio destas duas almas espirituosas....;)))))))))))))

18/11/07 23:06  
Blogger JPD said...

Como é que o poeta é cantado?

«...Quem vem e atravssa o rio....»

O meio é indiferente, seja a pé, de bicileta. Seja, sendo, não é!

Para o "atravessador", bem entendido... Agora, para a francesinha,tudo c'est diferent, mon cher!

Um abração!

18/11/07 23:45  
Blogger bettips said...

Ai não conhecias as "avenidas novas"? Com o monte da virgem ao fundo, só podias ir a direito. Bem, não era bem isso que queria dizer: era que as nossas francesinhas não são as da mala de cartão, são mesmo as que arrepelam a língua (por causa do molho). Bem, acho que também não era bem isto que afinal saiu agora. É que os Lisbonenses ainda não viram a nossa árvore (nem eu). Não, não é a do BPqualquer coisa, acho que é mesmo com o dinheiro do GABB (grupo para arranjar a baixa e a banheira). É que assim, não se perdia o pato bravo do ciclista nem a menina queques! (o melhor é parar aqui, tu desvirtuas-me os sentidos...). Abç

19/11/07 01:47  
Blogger Nia said...

Enfim...hoje não resisto a olhar mais para os arredores...deve ser da chuva.Sem querer ser professora (?) aí o teu amigo Ruela não se ri bem, nada bem! Esse riso não leva "H" no início:não é "Ha" que é de "haver" sem acento..mas sim "Ah!" para gargalhar, rir.E só "falei" porque é uma gargalhada enorme, não poderia deixar de ver.
E tu...que é isso de "Praga 2007"?!E em Praga a pensar no Porto?Cruzes credo!"Desentendo-te" :)

19/11/07 17:02  
Blogger legivel said...

Para nia:

Só porque vieste aqui ao "Fantasias", passados que foram cinco anos sobre o teu último comentário neste sítio, mereces uma resposta em directo.
O Ruela é um artista plástico e os artistas plásticos podem (e devem) pôr as letras no lugar que melhor entenderem.
A foto foi tirada na Rep. Checa e é apenas o suporte para o texto. Se eu tirasse uma fotografia ao Castelo de São Jorge e me pusesse a prosar sobre o pai(?!) da nação, o Afonso Henriques (assim mesmo, sem o "don", que eu sou republicano) tal como o conhecemos dos compêndios da História, podes ter a certeza que eu estaria gravemente enfermo.
Estou careca de falar sobre isto, mas pelos vistos, até tu, que me conheces já vai pelo menos para vinte anos, ainda me vens com perguntas destas, ó profa.! Poramordasanta!!

19/11/07 17:51  
Blogger lélé said...

Às vezes é de uma dificuldade imensa dizermos simplesmente "não sei"! À conta disso já enganei turistas várias vezes... depois tive de andar na rua cheia de cuidado, não me fosse cruzar com eles de novo!...

19/11/07 22:21  
Blogger Teresa Durães said...

lololol

não sabia que as francesinhas eram assédio sexual. E um arroz de lampreia?

20/11/07 01:07  
Blogger L.Reis said...

Dou graças a Deus por o garboso ciclista não ser apreciador da doçaria conventual portuguesa...nesse caso, a menina poderia ter sido convidada para manjar um Abade de Priscos ou uma barriga de freira ou mesmo umas rabanadas da abadessa, para já não falar de uma deliciosa marmelada que se faz no convento de Odivelas (tudo devidamente documentado no livro "Doçaria Conventual" de Alfredo Saramago). Mas o garboso ciclista estava no Porto e a francesinha vinha a calhar...antes assim...ao menos livrou-se da heresia!

20/11/07 14:41  
Blogger pin gente said...

então, se ela tinha chegado no dia anterior! ... como saberia o que era uma francesinha???
abraço
luísa

20/11/07 15:37  
Blogger Rui said...

Vai a rapariga das lentes pretas Avenida da Boavista abaixo, a pensar em castelos de queijo fundido, quando uma travagem brusca, com direito a chiadela e cheiro a borracha queimada, se dá atrás dela. Assustada, virou-se. Viu um capacete de aviador, óculos de soldador, um fato de treino Sanjo, castanho, e três quartos que de um sorriso - que o outro quarto eram dentes em falta. Um rapaz sorria-lhe, ao volante de um triciclo.
- Pardon, moi - diz-lhe ele, meio a assobiar por entre as falhas na dentadura.
- Hã?
- Desculpê, je na parla lá beaucopu bien o français - como ela mantinha um ar aparvalhado e não dizia nada, ele continuou. - É que je te... uh... ache... uh... me parece que tu és três jolie.
- Eu...
- Como a Angelina - e desatou a rir. - Percebieste?
- Er...
- Já me molhei com esta piada... entendu? je m's molhê... bom, não interessa. Je queria savoir se la madame... uh... quer... vien... allez... como é que se diz...
- Ouve lá, oh caramelo, desampara-me a loja! - disse ela por fim, com ar irritado.
- Olha! - a cara de espanto do triciclista era enorme. - Não é francesa.
- Pois não sou!
- E eu cheio de fome...
Ela mandou-o a um sitio que o respeito por este blogue me impede de aqui transcrever, e continuou a caminho de Serralves. Com um sorriso: finalmente tinha-lhe aparecido um tarado sexual por trás!

20/11/07 16:16  
Blogger Rui said...

três quartos de um sorriso... só.

20/11/07 16:22  
Blogger Clitie said...

Coitado!! Lol
è que a malta que anda de bike já é mal interpretada!

Beijinhos e boa semana

20/11/07 20:21  
Blogger RC said...

Bandido!

20/11/07 20:25  
Blogger Maria P. said...

Oh!...e eu que adoro francesinhas!
Será perigoso?!...

heheheheh:)

Beijinho Sr.das(minhas)rimas*

20/11/07 21:38  
Blogger foryou said...

Após os 3 primeiros dias a tentar fazer desaparecer os caixotes espalhados pela casa, resolveu começar o reconhecimento da zona.
É verdade que o dia anterior não correra muito bem... acabou por parar no posto da GNR onde casualmente passou, depois de inumeras voltas "os senhores desculpem mas... eu não consigo achar a minha casa, podem ajudar-me?" após algumas explicações lá foi escoltada até ao lar. Mesmo assim hoje aventurava-se de novo, havia de correr melhor.
...
O Sol começava a adormecer e não havia meio de dar com a estrada, já nem fazia a menor ideia em que localidade estava. Decidida a não deixar cair a noite, parou junto ao senhor idoso de melhor aspecto que avistou, "afinal estes velhotes sabem sempre os caminhos todos e sempre é mais seguro que perguntar a um gajo qualquer", abriu o vidro do carro: "Boa tarde, o senhor desculpe... pode dizer-me onde estou?" Nos seus aproximados 60 ou 70 anos, cabelo alvo e expressão serena, olhou fixa e tranquilamente o carro e a condutora, esgeirou o rosto pela janela observando o interior e respondeu firme: "sentada no banco do carro, que presumo seja seu!"
Provavelmente não lhe passou pela cabeça convidar-me a jantar, mas nessa noite o meu jantar foi regado pelas gargalhadas que me saíam ao recordar a cena.

Desculpa-me tu pela ocupação do teu espaço e um beijo enorme por me ajudares a recordar :)

20/11/07 21:46  
Blogger Gi said...

A vantagem de andar atrasada é que qusndo chego aqui para além das gragalhadas que as tuas histórias me conseguem arrancar ainda me deleito a ler os comentários que por aqui vão deixando.

A moça preferia um "garoto" a uma "francesinha" . Foi mesmo uma proposta indecente :)

Beijinhos e sorrisos

21/11/07 01:16  
Blogger mixtu said...

yayayaya
comer uma francesinha, por acaso nunca comi.. a verdade é que nunca fui a França, ah! espera, uma filha de um imigrante pode contar?
yayayaya

porto... invicta, sabe-se lá porqu~e porque até morreram na ponte das barcas para fugir... adelante...

abrazo europeu e serrano

22/11/07 14:00  
Blogger Fortunata Godinho said...

:)
Adorei!
Não fora eu uma Portuense de Gema... Que boa descrição, e há que tempos não me passeio pelos Lóios a pé - e nunca o fiz de bicla!
E para quando uma visita, comn direito a apresentações? Eu e a Pims iamos adorar!

P.S.
Escrive-te um comentáio no teu último post, mas aoq ue parece nenhum dos meus textos desse dia vingaram... Ou simplesmente não o publicaste... Hum?!

22/11/07 16:07  
Blogger hora tardia said...

a mil rodas....nem que sej a mil asas....


por aqui. a ler.



encantada.


rota das cidades?



________________


beijo com direcção Segura...:)

22/11/07 16:32  
Blogger Maria Liberdade said...

Se calha... comia uma!

22/11/07 17:28  
Blogger APC said...

Não percebi... O problema dela era que os tarados só lhe apareciam pela frente? :-P

Curioso, chamar-se Duas Rodas, este teu texto, pois que até vinha aqui responder-te ao teu "Isto não anda?". Não costumo responder fora do meu tasco, é verdade, mas já sabes que aquilo por lá é camuflado demais para caberem algumas verdades. Então, especialmente para ti, um recado do meu Camuflas:

Tenho acelerador
Mas também tenho travão
O primeiro é o amor
O outro a desilusão


Ena pá!, ganda poeta é o povo! Pr'ó ano, plos Santos, abro uma barraquinha de manjericos! ;-)

... ... ...

Ai, o porto que o Porto (me) é! :-)

Abraçati!*

23/11/07 01:08  

Post a Comment

<< Home