Sunday, November 11, 2007

DESTINOS
















Não é a primeira vez -nem será a última, que me interrogo sobre o destino das personagens que voltam as costas à objectiva da minha máquina e, decididas, põem pés a caminho saindo do espaço rectangular que as retrataria para a posteridade. Sabendo que o argumento mais conhecido para esta decisão é o direito à privacidade ou a dificuldade em lidar com o reconhecimento público ( o que prova a diversidade de como estamos na vida pois, se por um lado há quem se ponha em bicos dos pés e grite a plenos pulmões "... olhem bem para mim e digam lá se não sou fotogénico!? ", por outro, há menino que se põe a milhas assim que pressente um olhar atento e fotográfico à sua volta) um dos ocupantes do banco à esquerda na imagem, solidário com o meu desapontamento ainda pediu à senhora que se afastava célere "... não se vá embora, que esta é a oportunidade rara de aparecer no Papel de Fantasia. " Ela fez de conta que não ouviu e este sítio provavelmente ficou mais pobre. Porque, quem sabe, se o seu destino não daria aqui uma bela história.



Praga, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

30 Comments:

Blogger Clitie said...

Eu não gosto que me tirem fotos... é só isso, não é medo, não é indiferença... sinto-me... envergonhada.

Beijinhos

12/11/07 15:49  
Blogger rach. said...

É, e sera, sempre uma fantasia a da ilustre desconhecida que um dia passou em frente à nossa objectiva, por breves instantes

beijo

12/11/07 17:45  
Blogger JPD said...

Factor de rejeição 1:

Uma fotografia exibe uma postura, um instante. Sendo bons ou sendo maus, torna-se pouco agradável para muita gente porque, excedido dessa maneira não reflectirá a habitual maneira de estar do fotografado.

Factor de rejeição 2:

Se fosse possível somar fotografias de instantes equivalentes, tanto na pose quanto no local, etc. obter-se-ia uma sequência que seria muito desagradávela para quem tolera mal, não se resigna, o envelhecimento.

Factor de rejeição 3:

Como conceder direito de uso a um fotógrafo desconhecido? Que garantias se tem que não haja da parte dele voyeurismo ou pior do que isso... Fama?! -- No Papel de Fantasia seria, seguramente, bem tratada. Mas que garantia terá a Sra disso?

Factor de rejeição #...

Longuíssimo comentário a propósito de uma nega... As pessoas nao se afirmam só por dizerem «SIM, Pode tirar!» mas também por dizerm «NÃO!»

(Ok pá, quando poderás tirar-me uma fotografia?!... Não... Ok. Paciência!!!!)

Um abraço

12/11/07 19:56  
Blogger Ruela said...

é verdade perdeu uma oportunidade de entrar para a história...

também pertenço ao grupo dos esquivas :)

12/11/07 22:29  
Blogger lélé said...

Bem, se fosse só o destino das pessoas que viram costas à objectiva... Mas... e o daquelas que dão a cara? Já viste que, mais uns passitos e esbarram-se no fotógrafo?

De qualquer forma, a senhora de costas conseguiu tirar-e uma história e não se pode dizer que não lhe tiraste uma foto!

12/11/07 23:01  
Blogger sobre-nada said...

Talvez a felicidade tivesse começado depois, quando um atento companheiro de tardes caladas teve finalmente a opurtunidade de lhe perguntar sei fiu importunada e lhe ofereceu o tão sesejado chá que arrefecia entre a esperança e timidez. Quem sabe...

13/11/07 03:22  
Blogger mixtu said...

sem stressei com as fotos, só tiro para o bi...

e na verdade tens que ter cuidaddo, imagina que tiras a um casal de circunstancia? e depois o outro vê o teu blog, quando ele disse que ia tratar de assuntos ao Porto... afinal estava com uma moçoila de peitos fartos e ancas parideiras em Lisboa?

e o meus parabéns? obrigado, e sim... tu vês tudo... nigéria

abrazo europeo

13/11/07 11:39  
Blogger mixtu said...

sempre...

13/11/07 11:39  
Blogger pin gente said...

conheço muita gente assim... "a mim não!"
só eu, devo ser mesmo vaidosa, adoro ser fotografada. tanto quanto gosto de fotografar.

abraço
luísa

13/11/07 12:13  
Blogger un dress said...

fascinam-me todas as possibilidades que cada forma abriga ~~

e de facto nunca ninguém trabalhou isso como tu

a qui...:)


abraÇo.beijO

13/11/07 12:37  
Blogger Licínia Quitério said...

O que me intriga é que a senhora perdeu a oportunidade do estrelato no Papel por causa da pressa de ir comprar uma daquelas bugigangas na loja em frente que não sei se são chaminés algarvias, se velinhas de pagar promessas, se mealheiros de euro-moedas, se...sei lá o quê.
Olha que se um dia eu apareço no Papel, mesmo de costas, quem tem de acender velinhas a todos os santos és tu.
Tenho cá um feitio!

Beijinho.

13/11/07 16:28  
Blogger Rui said...

Balbina deixou-se cair no banco do jardim. As dores nas cruzes fizeram-na arreganhar a dentadura e soltar um suspiro pela juventude perdida. Da sacola, sacou do telemóvel última geração e ligou para mim.
- Dona Balbina, bons ouvidos a escutem - disse eu.
- Lá 'tás tu com a mania das grandezas.
- Então?
- Esses abanos são bons é para enxotar as moscas.
- Epá, você hoje acordou com os pés de fora.
- Antes fosse, que já ninguém me quer destapar...(tossiquei) foi um engraçadinho que me tirou uma foto ao rabo.
- Elá! Tem a certeza?
- Pois tenho, que eu bem o vi escondido por entre os arbustos,de volta de mim, a tentar apanhar-me a jeito.
- Como é que ele era?
- Alto, moreno, espadaudo, olhos claros, grandes bicepes, melena desguedelhada, mas com pinta, pareceu-me ser bem dota...
- Ouça lá, ouça lá... Dona Balbina...
- Diz filho.
- Esse não é aquele moço da novela das 23h45?
- Achas que sim?
- Com esse físico, só conheço o actor e o Legível.
- O do Papel de Fantasia?
- Esse mesmo.
- Querem ver que ele inventou alguma coisa sobre mim... vou já ao ciber-café ligar-me.
- Mas não se ponha a ver sites de... (já tinha desligado).

13/11/07 17:58  
Blogger un dress said...

e a mulher caminha. atravessa a rua. vive só.

ao chegar a casa abaixa-se, mete a chave na fechadura, empurra a porta demasiado pesada, pousa o pão o leite, suspira, senta-se olha o vazio, não chora, não supira.

mas espera.

nada espera mas espera

...e espera...ainda...


~~

13/11/07 23:35  
Blogger RC said...

Eu faço pose para a sua objectiva. :)

14/11/07 14:39  
Blogger L.Reis said...

"Oportunidade para aparecer no Papel de Fantasia?!"-pensou ela- "Espelho meu, espelho meu, existe alguém com umas costas mais bonitas do que eu?"
Que não, respondeu o espelho, que ela podia estar descansadinha, que as suas costas eram bem giras e tinha ainda a vantagem de não ser madrasta daquela miúda branca como a neve, que teve aquele acidente com a maçã, o que prova que não aprendemos com os erros do passado, pois já a Eva não se tinha dado nada bem com o dito fruto, deixando o Adão furioso com o incómodo causado pelo obrigatório uso da parra, um problema que só viria a ser resolvido muitos séculos depois com o advento da ceroula ...adiante... Resolveu então a senhora afastar-se, em passo seguro em direcção a um sol ainda por pôr. O jovem lá atrás, literalmente reservado,corporalmente indescritível e tecnicamente perfeito, agitou-se por trás da objectiva e num espasmo frenético carregou no obturador, registando para a posteridade um momento da história incompleta, de todos os destinos.
(... eu hoje não me calava...caramba!)

14/11/07 21:08  
Blogger Ruela said...

ufa que a Lina está em fogo :)

14/11/07 22:46  
Blogger Azul said...

Caro legível, venho mais uma vez visitá-lo, desta feita vestida de negro pela morte do meu irmão - Francisco, 25 anos, abalroado por um camião no IC2, na passada quinta feira dia 8 de novembro -. Ao contrário dos seus modelos, que não se lhe querem mostrar, guardo imensas imagens deste meu irmão que era um vaidoso (no melhor dos sentidos). Obrigada pela visita que me fez ao texto de despedida. Um abraço para si. Até breve. Azul

15/11/07 16:01  
Blogger Joana said...

Ao que ela diria:
"Blogs... humpf! Essas modernices! ...esta juventude está perdida!"

15/11/07 17:52  
Blogger ~pi said...

...que ao alcance desta objectiva

mesmo Li Tseng mandarim

haveria de ter outro fim...


:)

15/11/07 20:36  
Blogger manhã said...

psst chama-a lá que vamos ter aqui um tete à tete de desconhecida para desconhecida!

15/11/07 23:16  
Blogger mcorreia said...

mas, homem, soubera eu que andavas por aí retratando a juventude e estaria nesse dia aessa hora pespegada de fronha virada à lente com que me miravas. Mais que pelo papel, seja ele de fantasia ou bem real, o que eu curto mesmo é ficar lá dentro da caixinha com que me miram. É um frissom que me dá saber-me reduzida a uma coisinha ínfima, quiçá sejam desejos alicianos que me ficaram de histórias de muito pequenina. Já hoje indagarei o Doutor Raimundo meu médico. Fica bem e ah! se continuarem as comichões, escreve que eu envio o remédio...ou, pensando bem, envio já (vazio que bebi dei por bondade a uma vizinha AQUI O TENS

16/11/07 09:17  
Blogger mcorreia said...

não bebi nada rsssssssss

16/11/07 09:18  
Blogger augustoM said...

O destino está sempre à frente, enquanto a história vem depois.
Um baraço. Augusto

16/11/07 13:29  
Blogger Gi said...

A senhora acreditava nos antigos. Receava que ao tirarem-lhe a fotografia lhe retirassem também a alma...
Com um pouco de esforço ainda consegui ouvir o que dizia para os seus botões :" Mas que raios lá por morar na margem sul tenho que ser à viva força uma DESalmada ?

Beijos

16/11/07 18:44  
Blogger Ricardo said...

Ó amigo, não me obrigue a virar as costas... eu quero aparecer!!! A que horas passa? É na TVI ou na SIC mulher?
Eu vou ser famoso, garanto-lhe, nem que tenha que ser comentador da tertúlia cor-de-rosa da Fátinha. Ai vou, vou...

Abraços contrariados...

P.S. - Penso que a senhora virou as costas por achar que a máquina fotográfica é uma manifestação do capitalismo, comum em países desenvolvidos... as idosas de Praga como não têm a TVI lêem tratados de política durante o serão... coisas de países subdesenvolvidos...

16/11/07 19:54  
Blogger Maria P. said...

E que belas lições se podem tirar por aqui...


Beijinho, bom fim-de-semana e um sorriso Sr. da rimas!

:)

16/11/07 21:34  
Blogger bettips said...

Com as cores folhosas e do muro, quem se importa com a senhora? Deve ser das que falam da vizinhança dos telejornais: "O A.? Ai era um homem muito sossegado, íamos todos, eu e a minha canalha tirar fotografias ao estaminé dele...". Abraços, divertidos!

19/11/07 01:32  
Blogger APC said...

- Pobre é o destino de tanta gente!, pensou ela. E foi a pensar nisso até casa. Já ali chegara a pensar nisso. Pensava nisso muitas vezes, todos os dias, desde há uns tempos. E sim, ela guardava uma história... Uma história imensa! E as histórias nunca cabem numa objectiva.

.
.
.

PS - A foto é uma delícia!

23/11/07 01:13  
Blogger Sofia said...

Se a Nadia falasse portugues iria adorar ver como as fotos do país dela te inspiram tanto.

;)

Falarei-lhe de ti.

bjs

26/11/07 17:44  
Blogger Sandra said...

Não me parece que ela esteja assim tão decidida ... parece até hesitar...continuou lentamente a avenida e num tom melancólico disse para si própria " Depois da plástica, eu volto, prometo que volto..."

Beijinho

27/11/07 10:24  

Post a Comment

<< Home