Wednesday, February 07, 2007

O ESTRANHO CASO DO CÃO QUE MIAVA

















Ele há factos tão estranhos, que se relatados por outrém, a primeira frase que de imediato nos salta da boca para fora é o inevitável "pode lá ser!". Embora protestando a enorme confiança que invariavelmente nos merecem os nossos relatores de casos impossíveis, a verdade é que estamos a pôr em causa a sua idoneidade ou, no mínimo, apelidá-los de mentirosos compulsivos. Isto vale, para familiares, amigos e conhecidos, que o que não é comum aos nossos olhos, também não o há-de ser para os olhos dos outros. Ressalvo em tempo, os denominados milagres da fé (de qualquer fé ou crença) e as visitas de seres de outros planetas ao planeta Terra. São duas classes de casos não comuns mas que, dos mesmos fazer prova científica não é tarefa fácil e que resultam -na minha humilde opinião, da enormíssima e justíssima vontade de alguns, em pretenderem a justa distribuição de riqueza para todos (a multiplicação dos pães e dos peixes) e de outros que anseiam (uma vez que o propalado homem novo demora tanto a acontecer), que venham outros -mais ou menos à sua imagem, de outros mundos para dar uma mãozinha neste.
Esta tarde, numa conhecida artéria lisboeta, cruzei-me com um homem que levava um cão pela trela. Se tiverem alguma dificuldade acompanhar o meu relato, vejam a imagem com atenção. Primeiro passou o homem e um metro e meio depois, o cão. Este, ao passar miou. Exactamente como leram: miou. A imagem não mostra o cão a miar, mas demonstra que é verdade haver distância entre o homem e o animal. O exemplo acabado do caso incomum e a oportunidade que têm para me chamarem mentiroso. A uma das mulheres que passaram depois de mim, perguntei se não achavam estranho um gato a ladrar. Respondeu-me com naturalidade que «... surpreendente seria o elefante que levava o papagaio pela trela, ter acabado de ver um filme no cinema King... »
Lisboa, 2007. texto e foto de Alberto Oliveira.

46 Comments:

Blogger Kalinka said...

Os nossos caminhos têm andado um pouco desencontrados...mas hoje cá estou. É um dia em que estou deveras comovida, de vez em quando lá cai uma lágrima, não consigo evitar. Faço-te um convite:

Hoje, dia 7 - um post especial num dia também especial - para minha Mãe. Convido-te.

A vida é uma passagem sim, feita de lugares certos e errados, palavras ditas e não ditas, correctas ou não, mas que com elas construimos essa vida e esse caminho da vida de um tempo que não volta mais...
fica apenas o sabor doce e/ou amargo de algumas palavras em momentos certos ou errados....

Beijos e abraços.

TRAZES SEMPRE CASOS INTERESSANTES.
PARABÉNS PELO BOM GOSTO.

7/2/07 20:52  
Blogger Pyny said...

Sempre ouvi dizer que os animais de estimação reflectiam a personalidade do dono. Será que o senhor também se encontra deslocado no seu mundo?

7/2/07 21:29  
Blogger mixtu said...

yayay
eu tive um pinto que foi criado pelo cão, quando galo... ladrava...

abraços

7/2/07 21:45  
Blogger legivel said...

Para pyny:

Se o "senhor" a que te referes no comentário, é o "homem que leva o cão-que-mia pela trela", terás de lhe pôr a questão, pois nunca o tinha visto mais gordo a não ser neste texto. Tal como as personagens que representaram as "duas mulheres". O elefante e o papagaio, foram gentilmente cedidos -virtualmente, pelo Zoológico de Lisboa e neste momento já devem estar em casa.

7/2/07 22:02  
Blogger Maria P. said...

Aqui há gato!!


Bjos*

7/2/07 22:44  
Blogger Presença said...

Onde já vai o porco que anda de bicicleta?!
Mas o engraçado seria (mas não inedito)em vez do cao ser o homem peal trela...
Pq acho que já estamos todos de trela.

Bjs

7/2/07 23:18  
Blogger Joana said...

Desculpa-me mas eu vou ter de cantar esta:
É o fungágá, fungágá da bicharada!
É o fungágá, fungágá da bicharada!
É o fungágá, fungágá da bicharada!


...e pronto, só sei esta parte!
eheheh!

bjs

8/2/07 01:37  
Blogger Fortunata Godinho said...

O mais incrivel, é que a vizinha dos meus Pais garante que o seu canário ladra - imita a nossa Daisy quando a ouve atrás dos gatos no quintal...

8/2/07 10:04  
Blogger alice said...

o meu romance chama-se "uma vaca que ladra". eu ainda não tinha a certeza, mas acabei de decidir com a tua preciosa ajuda. beijinho muito muito grande. fica bem ;)*

8/2/07 10:15  
Blogger augustoM said...

Não fico admirado, o meu gato em vez de miar emite um som que parece choro de criança. É tão semelhante que até nos confunde, e se estou desatento, grito: Oh Teresa vai ver o que é que a criança tem! Não a ouves chorar?
A resposta é a esperada. Vê se tomas juizo ou estás a ficar xóné.
Um abraço. Augusto

8/2/07 13:32  
Blogger Teresa Durães said...

- É pá, pode lá ser!

respondeu o homem que tinha ouvido o cão a miar quando falaram no elefante com o papagaio.

- Não era um elefante, era um Leão Marinho e no seu ombro estava uma Caturra!

piiiuuuuiiii

8/2/07 14:49  
Blogger Licínia Quitério said...

Estranho, bem estranho seria o caso, se não se passasse no país onde continuam a abater-se sombras esverdeadas. Não te livras mesmo delas?!
E quem te garante que é mesmo um cão?
Pode ser um gato com casaco de pele de cão. Se calhar é mesmo por se sentir muito enfardado que caminha tão lento.
Não sei o que direi é se, no próximo episódio, o animal pedir uma ginja com elas. Mas de que tu darás volta ao texto, disso não tenho a menor dúvida.

Até lá.

Beijinhos.

8/2/07 17:00  
Blogger bell said...

E que mal tem um cão poliglota?

Animal que se preze, hoje em dia, tem de conhecer duas línguas pelo menos.

8/2/07 17:45  
Blogger seilá said...

sabes que eu acredito em tudo o que contas! tudinho o que escreves eu creio ser fruto de um acontecer que te sucedeu. Disto estou eu certa. Do que duvido, e muito, é de serem reais aos outros seres, eu por exemplo citado, as tuas realidades. Mas que elas são reais, ai isso não duvido e, mais, te agradeço que me dês o prazer de saber delas que eu, por enquanto, no que respeita a animais, ainda só vi um cavalo voando de manhã a distribuir jornais. Mas isso já foi há muito e nunca mais o vi aqui nestas paragens e nem mais li os jornais que ele deixava na minha janela aí pelas sete horas de cada dia, de madrgada, pois. Eram cor de rosa as folhas e as letras falavam. Podes contar que o gato ladrava (ou era o cão que miava?) que eu sempre te acredito e deleito.

8/2/07 18:34  
Blogger Pepe Luigi said...

Não, Não se trata de uma circunstância impossível !?
Li algures numa revista americana que um cientista revelou a possibilidade de haver animais amamentados por outras raças que poderão receber os mesmos códigos comportamentais.
E realmente veja-se o caso do "menino lobo" que só sabia uivar quando o descobriram na selva.
Quem sabe se esse canídeo foi cria de alguma gata?

Vou ter muito gosto em continuar a ler as tuas postagens.

Um abraço
José Luís.

8/2/07 21:04  
Blogger Luna said...

Então, é a evolução das especíes, o homenm não fala varias linguas, então os animais também tem esse direito, ou não?
Jinhos

8/2/07 21:44  
Blogger passarola said...

e pronto, lá me desmanchei outra vez a rir, com mais uma conclusão brilhante...brilhante mas com muita lógica. É obvio que os elefantes não vão ver cinema ao king, toda a gente sabe que eles gostam de pipocas e no king não se pode comer!!! ;)

8/2/07 22:11  
Blogger Passageiro do Tempo said...

Tudo é possível... no que ouvimos ou naquilo que julgamos ver.... e porque sómente são os gatos a miar?
Gostei de ler esta pequena história...

8/2/07 22:25  
Blogger manhã said...

eheheh, era bom se de repente houvesse cataclismos de lógica, e fossemos todos capazes de criar infinitas relações, improváveis! tudo podem as palavras não é legíve? maila a imaginação...também tem que haver cães, mas se não for cão caça-se com gato ou elefante ou papagaio!Bjo

8/2/07 23:58  
Blogger sotavento said...

Não me parece assim tão difícil de acreditar, já que os Homens não se entendem, os animais resolveram aprender línguas!... :)

9/2/07 10:39  
Blogger isabel mendes ferreira said...

bom dia "homem novo".


já acontecido.
Tu.




______________


obrigada.






Beijo.

9/2/07 10:55  
Blogger Cusco said...

Já perdi um pouco a capacidade de admiração e de espanto. E porque não um câo a miar? Que tem isso de estranho?
Se fosse um gato a ladrar ainda vá que não vá!

Bom-fim-semana

9/2/07 11:04  
Blogger poca said...

até eu às vezes mio.. e outras ladro! :)

beijinhos e bom fim de semana!

9/2/07 11:42  
Blogger Rui said...

Dumbo abanou as grandes orelhas na direcção de Verdinho.

- Está melhor assim? - perguntou ele.
- 'Tá fixe, muito melhor. Esta brisa sabe mesmo bem. És um bacano - repondeu Verdinho.
- Para alguma coisa havia de servir ter tão grandes abanos.
- Não servem para ouvir melhor?
- Talvez, mas também junta muita cera e não ganho para as cotonetes.
- Yá, 'tou a ver a cena. Um gajo nunca está satisfeito, não é? Não viste o que aconteceu ao Bóbi?
- Aconteceu-lhe alguma coisa?
- Meu, então não soubeste que para ele ter direito a pernoitar no canil municipal, o obrigaram a fazer formação profissional?
- Xiiii, foi? Os gajos andam a apertar bué com a malta, não é?
- São os animais, é o que eu te digo.
- Podes crer. Mas e depois, o que aconteceu ao Bóbi?
- Ouve, o curso era de línguas, o gajo teve de aprender a miar, vê tu bem o disparate. Não lhe serviu de nada, claro. Cada vez que que miava, levantava uma pantufada de quem passava.
- 'Tá mal, acho isso indecente.
- Yá, mas tinha sido dinheiro mais bem empregue se o têm mandado para um curso sobre desparasitagem, não achas?
- Claro, aí sempre se aprende alguma coisa de jeito.

Sentados numa esplanada das Docas, bebiam um refresco e viam os carros passar na Ponte.

- Grande banhada o filme, não achaste? - perguntou Verdinho.
- Épa, nem me digas nada. Quando vim King, pensei que era o filme do macaco que estivesse em reposição. Afinal era o nome do cinema.
- Pois... logo nos calhou um filme só com humanos.
- Não gosto nada de filmes sem, pelo menos, um bicho ou dois.

9/2/07 12:14  
Blogger Rui said...

Isto de fazermos parte do Clube dos 20, assusta muita gente. Houve logo quem fizesse birra e ameaçasse bater com a porta.
Vou plantar uns pinheiros novos na grande área, quem sabe...

9/2/07 12:20  
Blogger Rui said...

É por isso que eu sou da opinião que se deve deixar a emoção à entrada, no torniquete. Assim, ninguém me chantageia.

9/2/07 12:41  
Blogger sea said...

mistério...
:D
beijo grande

9/2/07 12:49  
Blogger Sofia said...

Bom fim de semana amigo!

bj

9/2/07 14:54  
Blogger tb said...

Ninguém sabia que eles frequentavam a escola de línguas que havia ali perto. Aproveitavam o caminho para ir treinando, mas o cão era melhor aluno... :)
Beijinhos

9/2/07 18:22  
Blogger Luz said...

Pois eu desde que vi um cão a cantar ópera que acredito em tudo... Ou não... ;)

Tem um belo fds e beijinhos :)

9/2/07 22:18  
Blogger batista filho said...

O caso que narraste nada me surpreende, a não ser pela qualidade do relato (o que também não chega a ser uma novidade, pois desde há muito te acompanho nessa peregrinação de bem te ler), pois que a situação em si é perfeitamente aceitável, como bem disse uma passante: “... surpreendente seria o elefante que levava o papagaio pela trela, ter acabado de ver um filme no cinema King...”
Deixo o meu abraço fraterno.

10/2/07 00:39  
Blogger MC said...

Alberto Albertto,

a magia não te abandona, nunca. À valente!

Venho deixar-te um beijo de fim-de-semana.

...e conta-nos histórias que nós gostamos. :)

10/2/07 13:23  
Blogger Whisper said...

Há que ter muito cuidado... cada um vê com as lentes que quer ver, selectivamente... Se partimos desse princípio teremos que, mais do que apurar verdades, ver em quem podemos confiar...

Bom fim-de-semana!

10/2/07 16:10  
Blogger Rach said...

esse teu cão fala mais alguma língua?
por que não contas, num próximo post, a revolta dos porcos. aquela fantástica história que um dia me contaste dos animaizinhos rosados e dos outros mais escuros que não queriam ser pata negra e aprenderam a voar?....
Um beijo

10/2/07 22:17  
Blogger Opintas/Bernardo said...

Eu conheço alguns que ferram e bem mas seja.
Boa noite.

10/2/07 22:29  
Blogger isabel mendes ferreira said...

discretamente............








a minha ternura.



com outro destinatério. tb. pode ser?


obrigada.

10/2/07 22:37  
Blogger Kalinka said...

Um dos peritos da comissão encarregue de avaliar alternativas de financiamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS) apresentou a sua demissão, por considerar demasiado economicista o relatório que o grupo está a preparar.
Em declarações à Lusa, Paulo Kuteev Moreira, professor da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), disse discordar do sentido "exclusivamente económico" das propostas elaboradas pela Comissão para a Sustentabilidade do Financiamento do SNS.
(comentário meu: infelizmente é o País que temos…)

é só um desabafo meu; porque lá no kalinka, o tema é o Amor, convido-te para ires deixar um pouco de Amor, um miminho para mim!!!

HOJE - domingo lá estaremos, no cumprimento do nosso dever cívico.

Bom fim de semana.
Grande beijo.

11/2/07 00:51  
Blogger PR said...

Pois. Parece que sim. Bom dia.

11/2/07 11:31  
Blogger segurademim said...

... não acho nada de estranho

cão que miava
levava a melhor
e ainda uivava
o que é bem pior


pior para mim que tenho que o ir passear ... ele é mau que se farta e babasse todo

:)))

11/2/07 12:20  
Blogger segurademim said...

... ai desculpa - baba de camelo

11/2/07 12:23  
Blogger david santos said...

Olá!
Espectacular!
Este cão miava. para o sociedade portuguesa, mia, mia, mas aceita sempre os mesmos.
Obrigado.
Parabéns.

11/2/07 20:26  
Blogger lélé said...

Estou lerda... Já li e reli o texto várias vezes e não atinjo... Acontece!... De qualquer maneira, no outro dia vi, aliás, ouvi que as vacas mugem com o sotaque próprio do sítio onde vivem, ouço frequentemente pessoas a grunhir ou a zurrar... Não, definitivamente, tenho de tomar um suplemento de neurónios para entender o teu texto!...

11/2/07 21:13  
Blogger Caçador de Palavras said...

bem, não te cjamo mentiroso porque o olho da imaginação é bem mais fiável do que os olhos que vêm

;-)

abraço

11/2/07 21:42  
Blogger sea said...

acho que hoje roncava :)

12/2/07 13:18  
Blogger JPD said...

Olá Alberto!

Extraordinário seria eu ser capaz de articular um comentário com este grau de fantasia.

EStá extraordinária esta edição.

Um enorme abraço

13/2/07 21:03  
Blogger APC said...

Ora se não é Santa Apolónia!...

Ali, a tão poucos metros do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, TUDO pode acontecer, não te espantes! Seria apenas mais um Ser desejando ser outro... O que nem é de estranhar, com a crise de identidades que a todos toca.

Ademais, eu cá não teria por que não te crer. Vejo muitíssimo bem que o cão vai a meio metro do Homem, e isso constitui para mim uma prova irrefutável da veracidade dos factos. Isso e o facto dos teus textos serem - até hoje, todos eles e sem excepção - pautados pela exacta e minuciosa descrição do real, sem tirar nem pôr. :-P

6/3/07 00:54  

Post a Comment

<< Home