Thursday, June 01, 2006

LISBOA e as VACAS



A cidade de Lisboa está repleta de vacas, constatei um destes dias, quando me desloquei à capital e quase chocava a cada passo com estas simpáticas e leitosas criatura. Tenho por hábito, não demonstrar estranheza ou espanto quando o quotidiano me oferece de surpresa, situações pouco comuns ou até mesmo aberrantes; se há coisa de que não goste é a de passar por cidadão não esclarecido mesmo quando a informação não me chegue atempadamente . No caso das vacas, ouvi uns zun-zuns mas pensei tratar-se do problema das quotas do leite e não liguei mais ao assunto. Assim, quando nos Restauradores uma vaca preta me interpelou, questionando-me do meu apreço (ou não) por Wassily Kandinsky fiquei logo de sobreaviso. A cultura -em formato ruminante, tinha uma vez mais descido à rua, misturando-se com o povo e fazendo-lhe perguntas difíceis.
Na Feira do Livro, o mesmo cenário; uma manada de vacas pastava ordeiramente, deitando de quando em vez o rabo do olho para os títulos dos livros "do dia". Foi por essa altura, quando numa esplanada? improvisada da Feira degustava um café e folheava despreocupado alguma poesia do António Maria Lisboa que a vaca colorida -que podem observar na imagem, me abordou «Pelo que me é dado ver, você (e ao pronunciar "você", os olhos da vaca amendoaram-se, juro!), deve ter uma cumplicidade muito próxima com as coisas da arte. Aposto que adora Marcel Duchamp. Acertei?!». Não resisti mais. Desci à zona ribeirinha e na Portugália encomendei um bife... de porco.
Lisboa, 2006. Texto e foto de: Alberto Oliveira.

66 Comments:

Blogger Sea said...

Vá lá... pelo menos o passeio conseguiu meter um animal diferente...
Só um à parte... alguém consegue explicar a piada das vacas? São horrorosas...

1/6/06 11:28  
Blogger legivel said...

Para TODOS:

O texto editado hoje, não pretende ser uma crítica (no sentido negativo) à intervenção plástica na cidade de Lisboa. Bem pelo contrário; a cidade continua a ser uma das mais carenciadas da Europa neste tipo de manifestações artísticas, necessárias para o bom equilíbrio cultural citadino. À intervenção, apenas?! falta o verde natural e de que esta cidade está despojada há muito. Lamentavelmente.

1/6/06 11:52  
Blogger Vodka e Valium 10 said...

Pessoalmente acho que a instalaçãod as vacas está muito boa, mais, por ter sido feita por artistas portugueses.
E concordo em pleno com o Legível, porque a maioria da arte urbana de Lisboa está debaixo da terra: as estações do Metro.

1/6/06 13:59  
Blogger Joaquim Amândio Santos said...

eu não teria coragam para mais do que convidar a dita a ruminar um prato vegetariano...

1/6/06 15:13  
Blogger jorgesteves said...

Também já as vi! E, finalmente, por comparação com as que sempre conheci, cheguei à conclusão que, afinal, 'o pecado da carne está mas é na pele e no osso'!...

abraço,
jorgesteves

1/6/06 15:53  
Blogger Licínia Quitério said...

Confessa que essa cumplicidade com as sofisticadas ruminantes irá transformar o próximo bife num remorso...
Deixa lá. Haverá sempre uma bifana à tua espera.:)
Abraço.
Licínia

1/6/06 17:35  
Blogger Phi@ said...

olha eu achei as vaquitas muito amistosas, à vista e à companhia, dão cor as ruas de Lisboa, dão animação, despertam ohs e ahs ou risos das gentes, inclusive criticas mais negativas, o que é facto, quer se goste ou não, são motivo de dois deditos de prosa, e já agora, de um post num blog!!! muuuuuuuuu bxox

1/6/06 17:57  
Blogger anirac said...

eh,bom pelo menos viste-as, a vida de correria que levamos às vezes deixa-nos sem tempo para ver o mundo...beijo

1/6/06 18:03  
Blogger Joana said...

Que lindo o teu encontro com estas amiguinhas!
Como trabalho na baixa (sitio mais frequentado por estas amiguinhas) vejo-as muitas vezes... de manhã, ao almoço, à tarde... e começam a fazer parte do meu dia-a-dia!
Vou ter pena de quando elas partirem para outros prados verdejantes!

Sabias que a tua dica da portugália me deixou com desejos... mas de bife de porco mesmo! lolol
:)
bjs!

1/6/06 18:50  
Blogger inBluesY said...

Todos os dias após subir escadaria me cruzo com uma azul ainda por cima cortada ao meio ... confesso que me é indiferente fico apenas confundida com o sol das 8h30 e as estrelas da dita...

ora amigo portugália por favor com tanta esplanada linda plantada à beira rio onde almoças e cumprimentas Tejo ... pq não avisaste e trocava o nome por números ;)

1/6/06 20:32  
Blogger Clitie said...

Aqui no Algarve ainda há umas por pintar mas não me deixam...

Beijinhos.

1/6/06 22:15  
Blogger lélé said...

de vez em quando acontecem umas vacas culturais... umas vezes desaparecem vacas, outras não aparece cultura... enfim, muito por causa dos bois, aliás, jericos, também, asnos, porcos, etc., que andam disfarçados de gente, no meio das pessoas às vezes, na televisão muitas vezes e em certos sítios constantemente (excepto às quartas-feiras, se estas calharem antes da páscoa)...

1/6/06 23:49  
Blogger Peg solo said...

tb n resisto às sô-donas vacas! mudei o meu cumprimento da manhã para "muuuuuuuuuuu". talvez um dia destes alguem me responda ;)

2/6/06 01:06  
Blogger A. said...

...cuando sufras,cuando
llores también...

-Senta-te;mas...dá-me o tal
azul que tens pra dar.o do
abraço deixado...benvindo
que és Al.

..................................

Bem...agora as vacas,
acho que andamos todos a passar uns pelos outros e não sabemos...também passo todos os dias por lá a caminho do teatro ou de casa e sinceramente...não consigo encontar encanto algum nas vacas,aquelas ali...A única coisa boa no meio disto tudo,são os textos que vou lendo por aqui todos os dias sobre estas amigas...pelo menos por elas sabemos que passamos...uns pelos outros é que não.

beijos da cor mais bonita.
da nossa

2/6/06 04:38  
Blogger musqueteira said...

Viva Legível,
Os seus passos cruzam bastante a zona Ribeirinha!Também eu circulo muito no Chiado...agora, estou estupfacta pelas suas palavras...no meu blog em que de quando a quando visita certas casas para observar o que já vendeu!...Eu pergunto:Pintura;Fotografia ou Escultura?...Pois é!...Gostaria de saber.Quanto à Portugália...uns belos camarões e umas cervejitas povilhadas com tremoços...também vão muito bem, ora se vão!

2/6/06 07:20  
Blogger Fortunata Godinho said...

(...) E eu que adoro Vacas, aqui no Porto não tenho ocasião de ver, aliás só tive oportunidade de ver uma Cow Parade lá fora, há alguns anos em Chicago. Na altura passei.me, e achei que aquilo só podia mesmo ser coisa de Americano, mas...
Olha, adorei o relato!!!

2/6/06 09:45  
Blogger Mendes Ferreira said...

eu prefiro as de londres........




bom dia pintor....

2/6/06 10:09  
Blogger poca said...

Lol... é por essa e por outras que quase não como carne... e de porco é que não como mesmo... são tão fofinhos e redondinhos e cor de rosinha!

2/6/06 10:16  
Blogger Sofia said...

eheheheh, olha a mim a vaca que está na estação do oriente virou-se para mim no sabado de madrugada e disse-me "E então como foi esse rock-in?" eu assustei-me e pensei que fosse das cervejas. Afinal elas falam mesmo. Estou mais descansada!!!!

;)

bj e bfs

2/6/06 10:19  
Blogger alice said...

então, recomendo:

um fio de azeite pouco virgem a estalar na certã e uma folha de hortelã coberta de limão

sal a gosto e pimenta em grão... em pó não!

no leite magro, uma colher pequena de farinha e noz moscada a doer

quando corado, regar o bife de pecado e juntar cogumelos laminados

acompanhar de arroz seco, um apontamento de favas e se o teu paladar exige mesmo, uma cebola vinagrosa

o vinho, meu caro, terá de ser branco, fresco, frutado

se gostas um bocadinho apenas do que escrevo, posso garantir-te que cozinho muito melhor

aceitas o convite?

beijinho

apetitoso

alice

2/6/06 11:42  
Blogger A. said...

Al.
venho de um certo espaço
...e tive uma agradável surpresa.
:)é mesmo meu amigo...o azul é mesmo em tons de tinta?
Sabes que tudo é uma grande surpresa por aqui,por ti...e
eu gosto.

Beijos e abraços e
...ainda bem que tudo
tantas vezes tem cor.

2/6/06 13:12  
Blogger Carlos Barros said...

a cidade é uma das mais carenciadas em quase tudo na europa...
mas as vaquinhas tem piada....

abraço

2/6/06 13:53  
Blogger Seila said...

acho as vacas diverttíssimas e dando um toque a essa cidade que tantas vezes se acinzenta. via outras vacas em Salamanca e tb aí elas ficavam distintas naquela cidade já de si bela!Tiveste uma boa ideia em falar delas.

2/6/06 14:54  
Blogger Maria Clarinda said...

Excelente...eu que ando doida por ver o cowparade, ainda não consegui, devido a motivos pessoais.Soube-me bem ver esta tua foto, o post está optimo e adorei as horas que passei navegando pelo teu blog.
Obrigada

2/6/06 15:27  
Blogger Vanda Baltazar said...

Entre a bifana e o bife da vazia venha a imperial que pago eu :)

Bom fim de semana, Leg :)
(gostei desta agora)

um beijo.

Van

2/6/06 18:02  
Blogger segurademim said...

... vacas pintadas em lisboa? sim, sim, conheço! são de facto espampanantes...

conversam fluentemente com quem passa, ainda ontém estava um espanhol a subir para a graça 28... ela imperturbável, indiferente, semicerrava os olhos, apreciando a intimidade, talvez por se ter insinuado, ou quiçá, por o ter desejado...

está um bocadinho anémica, excessivamente amarela, deve ser pelo desgaste, ou então, porque o sol da cidade, sem complexos, sublinhou aquele avacalhar

nos restauradores, está a pitéu do ovo estrelado e esta tua da feira do livro, tem um ar saudável, deve ser da sombra das árvores do parque que a protegem de um qualquer refogado

2/6/06 20:12  
Blogger JPD said...

Belo post, Alberto.
Haverá coisa melhor do que partilhar com uma vaquinha, decorada ou não, mas sobretudo com aquelas que são sensíveis à estética, à arte?
Tens toda a razão, Lisboa é das poucas cidades que ofercendo a prerrogativa de ser vista de cima, sempre que se atravessar a Ponte sobre o Tejo, tem poucas manifestações artísticas e as que vai exibindo são escassamente promovidas. Esta, a das vacas, pertencendo a uma roteiro internacional, está à margem da observação.
Um abraço

3/6/06 15:11  
Blogger Miguel V. said...

Acho que foi o melhor que fizeste, pois cá pra mim, as vacas são uns vaidosos brincos de alguém, alguém interessado em vender leite mais caro e sem qualidade ao "Zé Parvinho"!

Nota:
Aparece por aqui, pois a histeria colectiva tá cada vez mais bizarra e ordinária, mas ainda assim não perdeu a essência, contudo está num nível que não atrairá muitos. A margens tá mais fluida!
O teu, mantêm a qualidade invulgar e habitual!!!

Abraço!!!

3/6/06 15:55  
Blogger JL said...

Parece que essas chocas de que hoje fala o artigo vieram para a inauguração do Campo Pequeno. Vestiram os seus melhores trajes para se "espampanarem" diante do touro. Enfim, mudam-se os tempos...

3/6/06 17:19  
Blogger legivel said...

Para sea:

... só porque não dão leite nem bifes?!

3/6/06 21:16  
Blogger legivel said...

Para vodka e valium 10:

Os atrasos sistemáticos do combóio português em relação à maioria dos congéneres europeus também aqui se revelam. São combóios lentos e antiquados...

3/6/06 21:24  
Blogger legivel said...

Para joaquim amândio santos:

Penso que ficaria encantada; é que nunca as vi comer. Mas a verdade seja dita, onde é que as desgraçadas arranjam pastos verdes nesta cidade?!

3/6/06 21:26  
Blogger legivel said...

Para jorgesteves:

O "pecado da carne" tem sido o meu maior... pecado. Maus hábitos alimentares desde muito novo. Só nos anos mais recentes comecei a ter uma alimentação mais equilibrada e a olhar o peixe com outros olhos.
Os resultados não se fizeram esperar; tenho muito menos receio de morrer afogado e confesso-me semanalmente. A mim próprio...

Abraço.

3/6/06 21:33  
Blogger legivel said...

Para licinia quitério:

Uma delas tornou-se uma amiga chegada; quando lhe confessei que só como bifes de... atum. De satisfação (ou de alívio?!) deu-me um beijo com aqueles lábios enormes e carnudos!

Abraço e bom domingo!

3/6/06 21:39  
Blogger legivel said...

Para phi@:

Animam a cidade e o "diz-que-disse" de quem passa, pois claro! E tudo o que gera opinião, é saudável e de bom gosto (ia a escrever paladar, mas lá vinha a conotação pantagruélica à base da carne de vaca.. ).

Beijos.

3/6/06 21:43  
Blogger legivel said...

Para anirac:

O "mundo das vacas", imagino...
Devemos correr menos e observar mais... à nossa volta; para constatarmos que o quotidiano é mais abrangente daquele que apenas temos tempo de ver... em corrida.

Beijo.

3/6/06 21:48  
Blogger legivel said...

Para joana:

Que bom seria se os meus encontros tivessem esta componente diária; o contacto com as vacas leitosas e simpáticas. Lisboa cheiraria a feno, o leite fresco escorreria pelas gargantas e... sei lá o que diga mais. Seria um autêntico festival campestre!
Por falar nisso; vou comer um pedaço de queijo fresco que ali tenho que é uma delícia. És servida?

Bjs e um óptimo domingo!

3/6/06 21:59  
Blogger legivel said...

Para inbluesy:

"... uma vaca azul cortada ao meio?!... mas vais todos os dias ao talho??

Duma próxima aviso-te; com números, letras, pontes, barcos e rios. Garanto-te.

bjs.

3/6/06 22:29  
Blogger legivel said...

Para clitie:

Tem cuidado contigo!! Quéssas vacas são de carne & osso!!

beijinhos.

3/6/06 22:31  
Blogger legivel said...

Para lélé::

Ái mulher! que enumeraste aqui o catálogo todo do cerne cultural! Só te faltou a carne de cavalo! Até o jerico! (ri-me com vontade desta "espécie" tão esquecida... irmão gémeo do asno... )

3/6/06 22:40  
Blogger legivel said...

Para peg solo:

Olha que é um risco...

Estás a pensar num boi... tresmalhado?!

Brincadeiras àparte, vejo com alguma satisfação que os lisboetas convivem muito bem com o insólito. O que é preciso é pô-lo à frente do nariz... mais vezes.

3/6/06 22:45  
Blogger legivel said...

Para a:

Eis um curioso tema que lanças para discussão; passamos mais pelas vacas ou... por nós?!

Não fosse cometer uma inconfidência* e dir-te-ia que no mesmo dia em que fotografei esta vaca, encontrei (que ainda é mais que "passar") duas pessoas que postam na blogsfera**. Não é assim tão difícil, como vês(?!)

Era uma tarde quente. E o céu estava bem azul; como nós gostamos.

* Afinal cometi. Mas não disse nomes.
** As vacas pastam. As pessoas-bloggers postam. Elementar minha amiga a. ... de azul.

3/6/06 23:22  
Blogger legivel said...

Para musqueteira:

Viva Musqueteira!

A zona ribeirinha, o Chiado também e... mais Lisboa, mais Lisboa...
Por esta altura já tem resposta para as suas perguntas.
A Portugália foi apenas para compor o texto, pois não sou um frequentador assíduo; só de quando em vez.
Mas com o tempo que tem estado nem me fale em cervejitas! tenho de ter algum cuidado com o... estômago.

Bom domingo!

3/6/06 23:30  
Blogger legivel said...

Para fortunata godinho:

Eu também ainda só tinha visto vacas maquilhadas nos filmes de cow-boys. Sim, que os animais que fazem cinema também lhes colocam pelo menos uma base nas fuças. No Porto também nunca vi vacas em parada.
Em Santarém -onde fiz o serviço militar, vi uma vez duas vacas na parada do quartel que se dirigiam para um estábulo que lá havia.
Como vês, agora até os portugueses, têm coisas de americano; já não lhes chegavam as coisas que já têm...

3/6/06 23:40  
Blogger legivel said...

Para mendes ferreira:

Já estou baralhado com tanta vaca e em tanto sítio!!

Pois...

´Beijo e um óptimo domingo!

3/6/06 23:42  
Blogger legivel said...

Para poca:

Gostas assim tanto de animais?!
"Os porquinhos são tão fofinhos e redondinhos... "! Poramordasanta! Aqui há um ano atrás essa frase dava origem a um comentário (ou mais!) do arco-da-velha. É que o meu antigo blog chamava-se "Porquinho da India". Mas não era de côr rosadinha...

óptimo domingo Poca!

3/6/06 23:51  
Blogger legivel said...

Para sofia:

Até parece que não tens confiança em ti...

Então as vacas não haviam de falar?!

Mas não bebem cerveja nem vão ao "Rock in Rio... Tejo"

bjs e bom fim de semana!!

3/6/06 23:56  
Blogger legivel said...

Para alice:

Alice:

Minha linda!
"Se eu gosto um bocadinho do que tu escreves?!
Mas isso são perguntas que se façam?!...

... depois da divinal ementa que me descreves, aqui no virtual, sem poder ao menos tomar-lhe o odor, quanto mais o paladar...

Ah! linda Alice! Se soubesses como admiro a forma como escreves e descreves todos os sentimentos que perpassam na alma do mais comum dos mortais... Tu tens a palavra certa no tempo certo; és demais! e esse restaurante onde é que fica?! Convite? por mim já estava sentado com a faca e o garfo em riste...

beijos (e sorrisos) muitos.

4/6/06 00:11  
Blogger legivel said...

Para a:

O mundo virtual está cheio de surpresas. Algumas até são bem interessantes e agradáveis. Outras nem por isso. Mas feito um encontro de contas o balanço é quase sempre positivo. Digo eu que sou optimista e relevo sempre o

azul.

4/6/06 00:17  
Blogger legivel said...

Para carlos barros:

Desta margem de cá, a cidade branca pousada no Tejo até é chamativa...

abraço.

4/6/06 00:22  
Blogger legivel said...

Para seila:

Prova-se assim que as vacas dão côr e brilho às cidades onde se instalam.
Por mim. iniciava já a partir daqui, um movimento a exigir que as vacas fiquem para sempre. Melhor; que cada portugês tenha uma vaca. Seria o ideal para termos uma vida mais digna. E dificilmente, algum político poderia meter uma vaca na gaveta. Como aqueles que o fizeram com o socialismo.

4/6/06 00:28  
Blogger legivel said...

Para maria clarinda:

Fico feliz por isso; por teres vindo aqui navegar pelas minhas palavras. Só não tens de agradecer; o espaço está aqui para se partilhar.

tem um bom domingo!

4/6/06 00:32  
Blogger legivel said...

Para vanda baltazar:

A nossa comum amiga Alice apresentou-me um receita que ainda estou a salivar. Tu trazes as cervejas. É pá! Tenho poucos dotes na cozinha mas um arroz-doce ainda se arranja!
Arranjem mais pessoal e vamos fazer uma patuscada!

beijos e óptimo domingo!!

4/6/06 00:36  
Blogger legivel said...

Para segurademim:

Tu conheces mais vacas que eu!! Não me digas que em vez de teres um cão ou um gato, tens uma vaca em casa?!
Tens de me emprestar o teu roteiro-avacalhado, tá visto!

4/6/06 00:39  
Blogger legivel said...

Para jpd:

Caro José:
Ora bolas! "... estas vacas pertencem a um roteiro internacional"... E eu na minha boa-fé, crendo que eram vacas do interior lusitano que tinham vindo dar uma espreiatadela à cidade.
Vacas estrangeiras abastadas, tá visto; inglesas e nórdicas a passearam por aqui a sua opulência
económica. E nós a vê-las passar...

Abraço.

4/6/06 00:49  
Blogger legivel said...

Para carolina p. & miguel v.:

Está descansado. Da margem daqui, dou um salto à margem saí.

Em relação à "histeria", já reparei que sim, já...

Abraço!!

4/6/06 00:54  
Blogger legivel said...

Para jl:

Diria que isso seria uma infeliz coincidência...

... mas ela há vacas capazes de tudo...

Bom domingo!

4/6/06 00:56  
Blogger Sea said...

nop... porque são feias mesmo. Não têm piadinha nehuma...

4/6/06 22:23  
Blogger legivel said...

Para sea:

Prontos já percebi; embirras com vacas...

4/6/06 23:46  
Blogger Sea said...

não, por acaso não. Aquelas dos Açores são o máximo mas, estas espalhadas por Lisboa... tenham dó...

4/6/06 23:51  
Blogger legivel said...

Para sea:

Às dos Açores... tenho alguma dificuldade em entendê-las. Mas não são das piores. Boas mesmo são aquelas que estão no papel que envolve os chocolates suiços!
As de Lisboa são vacas especiais; pintadas das mais variadas maneiras e que me fazem lembrar umas frases que andavam na moda aqui há uns anos atrás sobre os cães ; o cão-bóio, o cão-primento, o cão-flito, o cão-tinuidade, etc., etc....

5/6/06 00:10  
Blogger Sea said...

de acordo, mas continuo a achar que estão feias. Pessoalmente não gosto da forma como foram pintadas...
as dos chocolates... hum... não sou grande apreciadora de choco...

5/6/06 00:29  
Blogger legivel said...

Para sea:

Um dia destes vamos continuar esta interessantíssima discussão pictórica-avacalhada. Quem sabe se daqui, não nascerá a luz (a chave) para que os próximos animais não sejam pintados à trincha mas à pistola?!

Vou-me ao descanso. Tem uma óptima semana!

5/6/06 00:35  
Blogger M said...

Oh, que pena!

Não consigo acreditar que elas comigo não falaram... Hoje mesmo vou abordar uma dessas vaquinhas.

Vou, sim!

E quero ver os seus olhos amendoados !

5/6/06 12:39  
Blogger Sea said...

Ora, nem mais!
Uma boa semana :)

5/6/06 12:43  
Blogger Rui said...

Vaca: ...senta-se aqui à minha beira e nem um olá.

Eu: Estava distraido, por certo. Se há coisa que ele gosta é de reparar nas coisas.

Vaca: Pois em mim não reparou. Lá me disse um olá, meio a medo, e escondeu-se atrás de uma chávena de café.

Eu: Impressão tua, não acredito.

Vaca: Verdade, eu ainda lhe fiz olhinhos, mas ele, moita-carrasco, nada.

Eu: Custa-me a crer.

Vaca: Sabes a melhor? Assim que me apanhou distraída a apreciar um rabo de boi que passava, saca de uma câmera fotográfica e pimba, tirou-me o retrato.

Eu: Ora, porque gostou de ti.

Vaca: Terá sido essa a razão' não sei... mas eu tratei logo de lhe fazer uma pergunta dificil.

Eu: Qual, qual?

Vaca: Sobre Dadaísmos e ready-mades... coisas que li num folheto que caiu a meus pés, no outro dia.

Eu: E ele, e ele?

Vaca: Fugiu a sete pés.

Ficámo-nos a rir, na Feira do Livro.

8/6/06 11:09  

Post a Comment

<< Home