Tuesday, May 30, 2006

AMBIVALÊNCIAS
























não
não me descrevas a tua dor
não a saberia sequer ler
os meus olhos apenas têm olhos
para a alegria sem medida
quem sabe até deslocada e
não choram nem sabem
não são depósitos de lágrimas
não são depósitos de lágrimas
repito
não.

sim
dá-me notícias da tua dor
quero analisá-la reconhecê-la
para poder exclamar na rua:
ali vai a pungente dor dela!
adivinhar-lhe os contornos
as derrotas e as misérias
e como me atraem os dramas
e como me atraem os dramas
repito
sim.

...........................................................................................

O autocarro parou. Era tal a confusão de sentimentos que uma parte dele desceu, perdendo-se logo a seguir no meio da multidão que se agitava nas ruas. A outra, permaneceu no carro, sentada no lugar logo a seguir ao da mulher, que continuava a chorar silenciosamente. Há viagens que não devemos iniciar, divididos.
Palma de Maiorca, 2006. Poema, texto e foto de: Alberto Oliveira.

76 Comments:

Blogger Sea said...

Querido Legível, fiquei sem saber o que dizer. Deixaste-me sem palavras. Não digo isto para te enaltecer a escrita ou para parecer bem e ser simpática. Não faço isso, não sou assim.
Mas, não consigo dizer nada...

29/5/06 09:38  
Blogger Fortunata Godinho said...

Muito triste, mas muito bom.
E quem é o Alberto Oliveira?

29/5/06 10:24  
Blogger Vodka e Valium 10 said...

Resta saber qual era a parte que tinha ficado e a parte que tinha partido: a física ou a metafísica. De qualquer das maneiras não interessa, iniciando a viagem dividido a repartição dosd espojos de guerra nunca seria bonita.

29/5/06 11:34  
Blogger anirac said...

olá, beijo de boa semana**

29/5/06 11:40  
Blogger canela_e_jasmim said...

Ambivalências duplamente belas : as palavras e a foto!
Parabéns!
beijinho

29/5/06 12:37  
Blogger Licínia Quitério said...

Mas tu escreves mesmo bem! Vais navegando alternadamente pela prosa e pelo poema. Eu também gosto de fazer isso. Sente-se que tens mesmo prazer em escrever. Verdade?
Abraço.
Licínia

29/5/06 13:23  
Blogger augustoM said...

Faz lembrar quando nos olhamos ao espelho e vimos aquilo que julgamos que somos. Estamos em presença de uma ambivalência que oscila entre o que somos e o que queremos ser.
Um abraço. Augusto

29/5/06 14:22  
Blogger Joana said...

Ai que lindo!
Eu também já me deixei ficar muitas vezes em muitos sitios e às vezes reencontro esses pedaços de mim em palavras escritas por outros, em gestos de outros, em beijos de outros, no amor dos outros, na saudade dos outros.
Porque é que não podemos ficar onde queremos, e acabamos por ficar onde temos de estar?

29/5/06 15:05  
Blogger Vanda Baltazar said...

Sábias palavras, Alberto, a complexidade do ir e ficar...nem carne nem peixe... :)

O resultado é esta delicia!

Beijos e boa semana de trabalho!

Van

29/5/06 15:08  
Blogger manhã said...

Bonito.

29/5/06 15:54  
Blogger Sofia said...

Excelente texto legivel! Existem mesmo viagens que nao se devem sequer iniciar.

um bj

29/5/06 16:22  
Blogger Pilantra said...

Só me ocorrem prvoíces.
Mas aposto que a mulher não vinha dos resíduos sólidos e sim do armazém de secos & molhados.

29/5/06 16:24  
Blogger jorgesteves said...

(...outras viagens há que (só) devemos acabar sózinhos!...)
É sempre gratificante viajar por aqui.

um abraço,
jorgesteves

29/5/06 16:38  
Blogger Vanda Baltazar said...

:-D ...e com este calor vantagem a dobrar!!! :-D

;) digo eu, da boca para fora ;)

beijos, beijos

Van

29/5/06 17:42  
Blogger Rui said...

Uma sombra sem ninguém afastou-se lentamente. Pouco depois, confundiu-se com outras sombras.
O autocarro partiu.
Não havia sol.

29/5/06 17:52  
Blogger A. said...

Há viagens que não devemos iniciar,divididos...

"...duplos sentidos,losts in translations,pontos de deriva,
...ambivalências...mas que podem causar transtorno...um equívoco é sempre um desencontro.Seja de vontades, verdades ou de identidades."
(A.M.C)
................................

Gostei tanto Al.Muito.

...fico á espera dessa
pintura em tela nos tons de sempre.para sempre.

um abraço-te.muito.

29/5/06 20:10  
Blogger alice said...

é hoje, lindo;)






beijo,

alice

29/5/06 20:29  
Blogger musqueteira said...

Viva legivel,
... são tantas as curvas que devem ser amaciadas no tempo...para percorrer o labirinto da dor, sem ser belíscado por ela;)

29/5/06 22:03  
Blogger amok_she said...

...mais que ambivalência(s) começa a parecer-me ...fixação!?!...fixação que, agora, pretende "desafixar-se" um pouco...?

...depois, tb me parece q havendo quem reconhece nada ter para dizer... talvez devesse usar de silêncio...mas que sei eu?!?

29/5/06 22:10  
Blogger JPD said...

O poema está magnífico, Alberto.
Um grande abraço

29/5/06 22:17  
Blogger Maria P. said...

Fantástico. Parabéns!

deixo um abraço.

29/5/06 22:52  
Blogger lélé said...

estou bem!... mas será que estou mesmo?... será que não estou triste?... olhe que sim, doutor, olhe que sim!...

29/5/06 23:06  
Blogger inBluesY said...

nenhuma viagem deverá iniciar dividida, nunca. e chorar é demasiado pessoal, os olhos são olhos, os ombros são ombros, por muito que desejem nunca serão olhos.


886 = um
22334445666 = beijo

833667777 7444232

29/5/06 23:54  
Blogger poca said...

sem nada a acrescentar... que é para não estragar..
um beijinho

29/5/06 23:59  
Blogger Mendes Ferreira said...

bom dia escritor dividido por "viagens" encantatórias"...:)


linda foto. então até logo.

obrigada. beijos.

30/5/06 09:28  
Blogger batista filho said...

Gosto de ler as postagens, gosto de ler um livro... mas aqui, nos blogs, entremeados que são por comentários, de imediato os textos apresentados são esmiuçados por n cabeças. E isso é bom! - o nosso próprio sentir, a nossa interpretação interage com a de outras pessoas, algo que não teríamos tantas oportunidades de fazer no dia-a-dia.
Desde o primeiro comentário (de SEA), percebemos o quanto o post "mexe" conosco.
Já o disse, mas volto a mencionar: é interessante quando mesclas prosa e poesia, pois na maioria das vezes és irreverente na primeira, mas não na segunda. No presente caso, não... e mais não digo, a não ser que gostei demais.
(Mais um texto a ser selecionado!)
Um abraço fraterno.

30/5/06 10:24  
Blogger alice said...

bom dia, legível,

acabo de ver uma cópia do meu comentário de ontem no blog da querida amiga vanda

como sabes, quando te disse "é hoje, lindo ;)" foi para que soubesses que decidi ontem publicar um comentário teu no meu post

lamento as restantes interpretações e é só por ti e pelo carinho que te nutro que aqui explico isto

um grande beijinho

e bem hajas

sempre

alice

30/5/06 10:48  
Blogger augustoM said...

Estamos a organizar um jantar de homenagem ao Fernando Bizarro no dia 24 de Junho, como sou um grande nabo, estou à espera que ponham o anúncio no meu blog, entretando estou a receber as inscrições nos comentários do meu blog com a indicação do numero de participantes.
Um abraço. Augusto

30/5/06 14:14  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

ha viagens que nunca deviamos ter feito.mas já estão...e agora andar para a frente.1bjo

30/5/06 20:41  
Blogger Phi@ said...

Engraçado...ainda não tinha cá passado, e acabei de colocar um post sobre o meu equipamento dicotómico...ora queremos que doa ora até já não...bxo de extremos que até...algures...em algum momento...se tocam e complementam um ser...

30/5/06 20:52  
Blogger Seila said...

a estes eu sou apenas capaz de dizer: "gostei muito e deixo-te um abraço com carinho!"

31/5/06 08:51  
Blogger Ana Maria said...

Bravo e muitas palmas-peço desculpas pela intromissão mas chego aqui através da amiga e poeta Alice a quem já fico agradecida por me indicar este caminho porque cheirei outros ares e puros.

31/5/06 11:01  
Blogger Vanda Baltazar said...

Que poderemos nós fazer?

um beijinho

Van

31/5/06 12:27  
Blogger segurademim said...

sim ___________ ela virou-se devarinho e pediu-lhe um lenço de papel. Surpreendido, primeiro procurou na algibeira de trás dos jeans; depois, não os encontrando ali, abriu a mochila e saltaram as laranjas e as sandes que levava para a refeição do meio dia.

sim_________ ela riu-se e o lenço era cada vez mais urgente! riram-se os dois

sim___________salvou-a, a senhora idosa que viajava ao lado dele, que prontamente esticou o pacote, pondo à disposição para que o utilizasse

sim___________ tirou um delicadamente e sorrindo para os dois disse: obrigada, que grande alergia me atacou esta manhã, é dos fenos! há demasiado polén, nesta ilha! fungou com força, pediu licença e saiu apressadamente na paragem seguinte

31/5/06 16:15  
Blogger legivel said...

Para sea:

Prontos; então não digas. Fica para uma próxima ocasião que eeu espero pacientemente.

31/5/06 17:34  
Blogger legivel said...

Para fortunata godinho:

... e o Alberto Oliveira e o Legível, são uma e a mesma pessoa.

31/5/06 18:05  
Blogger legivel said...

Para vodka e valium 10:

Ambas as duas.
Mas tens razão; não seria agradável vir aqui assistir à repartição do espólio de alguém por quem já estava dividido...

31/5/06 18:13  
Blogger legivel said...

Para anirac:

Para ti também... embora já estejamos a meio da dita cuja...

Beijo.

31/5/06 18:14  
Blogger legivel said...

Para canela e jardim:

Agradecimentos e sorrisos de boa-disposição.

Beijinho.

31/5/06 18:19  
Blogger legivel said...

Para licinia quitério:

É a verdade nua & crua. Gosto imenso de escrever. Mas a interacção (possível) que se gera depois de editar um post é o que mais gozo me dá. Claro que não acontece sempre, mas as vezes que sim, é gratificante. É sinal que também há gente do outro lado... .

Abraço.

31/5/06 18:25  
Blogger legivel said...

Para augustom:

É uma leitura possível. Se um texto se abrir a outros espaços e discursos é sinal que
o leitor não se confina à mera atitude de leitor.

Abraço.

31/5/06 18:32  
Blogger legivel said...

Para joana:

Porque a vida está assim organizada. Mas podes crer que há quem a fure. A esses, tiraria o chapéu... se o usasse.

31/5/06 18:34  
Blogger legivel said...

Para vanda baltazar:

Somos muito complexos. A maioria das vezes, sem qualquer necessidade de o ser... E algumas complexidades em vez de nos libertar, ainda nos enredam mais e tornam siuações normalíssimas, em situações deveras... complexas.

Beijo... descomplexado. (risos)

31/5/06 18:43  
Blogger legivel said...

Para manhã:

Thanks.

31/5/06 18:53  
Blogger legivel said...

Para sofia:

Pois não; mas ninguém pode adivinhar o que o futuro nos reserva...

(isto ainda acaba numa sessão de fados... )

... mas não é todos os dias que aparecem senhoras a chorar nos transportes colectivos...

Beijo.

31/5/06 18:57  
Blogger legivel said...

Para pilantra:

Parvoíces?! Não sei é como adivinhaste...

... que na t´shirt que ela vestia, lia-se tara perdida.

31/5/06 19:03  
Blogger legivel said...

Para jorgesteves:

Pois. Para não sermos tentados a fazer divisões matemáticamente impossíveis...

Obrigado.

Abraço.

31/5/06 19:07  
Blogger legivel said...

Para vanda baltazar:

Já está mais fresquinho!

beijos.

31/5/06 19:08  
Blogger legivel said...

Para rui:

... nem lua, nem noite, nem manhã; a mulher que chorava, nunca estivera naquele autocarro. O motorista muito menos. A viagem tinha sido cancelada. O autor do texto ainda não tinha nascido. O blog era uma invenção de um maluco qualquer que se chamava a ele próprio Deodato Dardanelos...

31/5/06 19:20  
Blogger alice said...

50.º comentário

o menino está legível?

é que não consigo ver nada!!!

deve ser miopia "ambivalente"

tudo bem contigo, amigo?

beijinho, jinho

alice

31/5/06 19:28  
Blogger legivel said...

Para a.:

... e tantos equívocos que para aí se fabricam e resultam em desencontros.

Mas connosco, nunca! E como poderia ser, se trabalho afincadamente no teu retrato?!
A propósito: o fundo já está resolvido (e pintado) no tal azul que tínhamos combinado. Embora suspeito, afirmo-te que está um espanto! O retrato própriamente dito é que... é coisa demorada. Mas já está esboçado...

Abraço azulíssimo.

31/5/06 19:30  
Blogger legivel said...

Para alice:

Eu vi! Eu li! E estava tão bem acompanhado e bem-disposto; aos pés da menina-poeta!
Até me imaginei um gato, vê lá tu!

Beijos muitos, linda.

31/5/06 19:36  
Blogger legivel said...

Para musqueteira:

Viva Musqueteira!
Palavras certeiras e experimentadas, cara amiga.
Malvado Dédalo, que arquitectando o labirinto bem serrazinou a vida ao Minotauro até Teseu o matar... e isso dói.

31/5/06 19:46  
Blogger legivel said...

Para amok_she:

São demasiadas questões para tão pouco tempo... disponível.

... à última então (que sei eu?...) só tu poderás responder.

31/5/06 19:56  
Blogger legivel said...

Para jpd:

Caro José:
Lisboa é pequena enh?!

Abração.

31/5/06 19:58  
Blogger legivel said...

Para maria p.:

Sempre simpática Maria. Obrigado.

31/5/06 19:59  
Blogger legivel said...

Para lélé:

... na verdade não estás nada bem. O teu aspecto leva-me a concluir que estás sã que nem um pero* daí que precises de fazer uns exames mais detalhados e repouso absoluto. Podes correr a maratona mas não te levantes da cama a não ser acompanhada. À noite podes sair sem problemas, dançar e beber umas margarittas.

A consulta são cento e cinquenta euros.

*Neste caso, uma pera.

31/5/06 20:07  
Blogger legivel said...

Para inbluesy:

Se a mulher que estava sentada à minha frente soubesse que a tinha apanhado na fotografia, lhe chamei olhos aos ombros e escrevi este post melodramático...

Um também para ti
Há quem diga que tenho alguma. Eu duvido um pedaço; sou muito crítico de mim mesmo e isto aqui é uma mera diversão interessante; apenas isso. Há outros locais (reais) onde me aplico à séria...

31/5/06 20:22  
Blogger legivel said...

Para poca:

Não estragas nada Poca. O espaço também é teu...

Beijinho.

31/5/06 20:23  
Blogger legivel said...

Para mendes ferreira:

... com muitas dúvidas, bastas vezes. Que os tempos nunca foram de certezas absolutas. Dividido... ná. São muitos anos a virar frangos como se diz popularmente.

beijos.

31/5/06 20:31  
Blogger legivel said...

Para batista filho:

Revelas-te um leitor atento da blogsfera em geral (pelos comments que assinas em diversos blogs) e do meu em particular. Agradeço as tuas visitas, pela simpatia que demonstras e pelos desenhos que fazes dos meus posts.

Um abraço fraterno em direcção a esse lado do Atlântico.

31/5/06 21:29  
Blogger Sea said...

a continuares assim, não vou ter grande coisa para dizer... também era dia mau... confesso...

31/5/06 21:35  
Blogger legivel said...

Para alice:

Alice:

Está tudo bem. Agradeço os teus cuidados, mas não percas tempo na tentativa (louvável e amiga) de explicar que não tens nada a ver com algumas situações (pontuais) criadas por gente que procura protagonismo?! da pior maneira possível. A minha conduta em relação a essas pessoas é apenas uma: apagar os comentários desse género que são facilmente reconhecidos. Replicar, é dar importância e oportunidade de voltarem à carga.

Beijinhos.

31/5/06 21:39  
Blogger legivel said...

Para augustom:

Infelizmente não me vai ser possível estar presente nesse acto. Desejo sinceramente que o mesmo decorra condignamente.

Abraço.

31/5/06 21:51  
Blogger legivel said...

Para as velas ardem até ao fim:

Não convém sair a meio de uma viagem, claro...

bjs.

31/5/06 21:53  
Blogger legivel said...

Para phi@:

As coincidências virtuais tocam-se quando menos se espera. No real também é assim, não é verdade?

beijos.

31/5/06 21:55  
Blogger legivel said...

Para seila:

Fico muito satisfeito quando te agradam os meus posts. Não exactamente pelo que escrevi; mas porque penso que estás bem.

Abraço.

31/5/06 21:59  
Blogger legivel said...

Para ana maria:

"Pedidos de desculpa pela intromissão" não são aceites neste lugar. Ele é teu e de todos que aqui quiserem vir... sem intenções menos claras.

Bem-vinda!

31/5/06 22:03  
Blogger legivel said...

Para vanda baltazar:

Podemos sorrir; que é uma das melhores armas que conheço e não necessita de licença de porte...

beijos.

31/5/06 22:06  
Blogger legivel said...

Para segurademim:

Ficaram a olhar para senhora idosa a afastar-se; ela de lenço na mão (sem o acenar num adeus previsto) ele, bem-disposto e dividido como de costume. Deram o braço e foram também à vida, que é como quem diz, deram corda aos sapatos do blog para fora...

31/5/06 22:26  
Blogger Sea said...

Agora li o comment e vejo que não faz sentido...
Com o "a continuares assim", queria dizer... a escreveres assim e que, no dia em que li o post, era dia mau para conseguir comentar algo.
sorry...

31/5/06 23:06  
Blogger legivel said...

Para alice:

72º comentário. Já estou legível...

beijos.

1/6/06 07:38  
Blogger legivel said...

Para sea:

Ele há dias assim; em que não se pode sair à rua de manhã, passear à tarde e regressar à noite...

1/6/06 07:39  
Blogger alice said...

74.º comentário

a
d
o
r
o

t
e

2/6/06 11:45  
Blogger Patrícia said...

Há inúmeras viagens nas quais embarcamos contra a nossa voz interior, seja na forma do bom senso, seja na das emoções... E dói. Muito.

4/6/06 17:17  
Blogger nnannarella said...

Olá,rapaz d'ouryo.:)
Esta cena do teu Livro de Ocorrências, contada de forma lírico-descritiva, em duas metades, conheço-a também. Já estive no papel da mulher sentada e no do homem que se divide.
O choro imprevisto de alguém, com quem nos cruzamos no anonimato das ruas, dói tanto quanto se esquece depressa. Mas uma coisa é certa: perante ele, o cliente do hotel não precisaria de dicionário, mesmo que estivesse na Polónia.:)

15/6/06 13:19  

Post a Comment

<< Home