Saturday, February 18, 2006

O MUNDO a SEUS PÉS (the end)



















Entrou na sapataria resoluta e senhorial. Uma das empregadas dirigiu-se-lhe de imediato «Boa tarde. Posso ajudar a senhora?». Adozinda G. -era esta a sua graça, sentou-se cruzando as pernas e com um olhar distante respondeu quase agreste «Pode ter a certeza que sim! que não me satisfaço com o primeiro par de sapatos que me quiser impingir... ». Era a primeira vez que entrava naquela loja e por isso quis logo marcar posição; seria ela que controlaria as operações e para isso teria todo o tempo do mundo, porque todos os meses tirava um dia para ver sapatos .
Meia-hora mais tarde, as caixas de sapatos experimentados por Adozinda G., amontoavam-se em seu redor. Dos pares que calçou até então, dois ou três nem lhe ficavam nada mal, mas não o admitiu à empregada que a atendia; tinha estabelecido há muito, que cada uma destas visitas durariam pelo menos uma hora, de contrário lá se ia o prazer... Quando calçou o décimo oitavo par e se ergueu para se dirigir ao espelho, reparou casualmente, num homem sentado em frente e que a olhava insistentemente. Também ele tinha um grande número de caixas e sapatos próximos de si e... tinha muito bom aspecto! "Duas almas gémeas, porque com a mesma paixão pelas sapatarias... ", pensou ela.
Deodato -pois era dele que se tratava, percebeu o olhar avaliador de Adozinda. Impetuoso, venceu num ápice a distância que o separava dela e disse-lhe arrebatado «Eu sabia que um dia destes, os nossos olhares se iriam encontrar, minha jóia das sapatarias !». «Mas quem é você?! não o conheço de nenhum lado!» replicou ela, simulando enorme susto. «Ora, ora. Então não me conhece?! Eu sou o Deodato, aquele que interpretou o papel principal no post anterior a este!» redarguiu ele. Não cairam nos braços um do outro. Não casaram nem tiveram muitos meninos. Não foram felizes para sempre. Que no virtual, as coisas não são assim, tão lineares...
Foto de: Alberto Oliveira.

65 Comments:

Blogger segurademim said...

diria mesmo, que no virtual nada é linear... é até muito turtuoso, não fora a perspicácia e o bom senso!
estás em alta, caro legível, não tarda nada tens o virtual a teus pés... mais que não seja a roer-se por dentro e por fora!!!
Adozinda G. ao poder JÁ! que o mundo português é no feminino e pequenino!!!

e depois, ela tem tudo para vencer na vida, pose não lhe falta, não senhor!!!!!!!

18/2/06 11:36  
Blogger Lagoa_Azul said...

Acabei de me lembrar, estou de chinelos, e preciso de umas botas...
No virtual é assim ;)

Bom fim de semana para ti, beijos com carinho.

18/2/06 15:42  
Blogger Lagoa_Azul said...

Bem sabia que ao escrever sobre aromas silvestres eram para disfarçar o cheiro de algo...foi inpirado da sapataria :)

lollllllllllll

Continuaçao de bom fds, beijos com carinho...

18/2/06 15:44  
Blogger @ said...

Mas que foi um encontro bem bonito foi.

:-)

18/2/06 16:38  
Blogger  said...

Estava a ver que ela ia começar a cantar quemmm perrrdeu foste tu só tu e nunca eu, aaaafinal hoje o papel principal é meu.

18/2/06 17:15  
Blogger  said...

...minha joia das sapatarias eheheheh

18/2/06 17:16  
Blogger Azul said...

Que linda que é a Adozinda não é? Acho que é o par certo para o Deodato. São elegantes, jovens, sensuais, e com uma enorme coisa em comum: o fascínio pelos pés! è a vida! lol

Beijocas pa si. Até breve.

18/2/06 21:28  
Blogger Maite said...

Caro Legível
Discordo e não abdico da minha posição. Eles "casaram" sim, e tiveram muitos meninos que continuaram a tradição da família de porem loucas todas as empregadas de sapataria de Lisboa :))))))

Boa noite para si

18/2/06 21:41  
Blogger musqueteira said...

Viva Legível,
Estou espantada pela criatividade literária;););) Parabéns e boas compras.

18/2/06 22:30  
Blogger lélé said...

Os "Bonnie & Clyde" das sapatarias...
(a Memória Perdida perdeu-se? desapareceu... temos que activar a judite da blogosfera, andam a ocorrer uns desaparecimentos muito misteriosos!...)

18/2/06 22:55  
Blogger Seila said...

Da próxima (caso haja) teremos o casal(!)Adozinda e Deodato calcorreando as sapatarias...calçando uma meia dúzia de criancinhas!

19/2/06 00:16  
Blogger Maite said...

cara Lélé
Ontem também não consegui entrar no blog dela. Será que foi para Barcelona e não disse nada a ninguém?!!!!

Bom dia :)

19/2/06 08:19  
Blogger Pilantra said...

«minha jóia das sapatarias» ! Ora aí está o piropo que me faltava na colecção. Obrigada, amigo! Estou comovida!

Sempre achei que o anúncio do Ambrósio seria muito mais espectacular se do cofre espelhado saísse uma posta de bacalhau da noruega, fumegante, temperadinho com azeite, alho e salsa!

Hoje toda a gente entende que eu espere que saia o puro, legítimo e honesto calicida do dr. qualquer coisa mais um par de socas tipo treloque treloque treloque!

19/2/06 08:50  
Blogger manuel said...

Ficaram-se por ali?!... Não me digas? e não foram sequer à concorrência, experiemtar um par de botas? ora, ora...

Estás em forma, pá! dois textos irresistiveis. De humor e inteligência. Abraços

19/2/06 10:01  
Blogger anirada said...

obrigado pela visita ao meu blog, esta história está gira, fica bem**

19/2/06 11:57  
Blogger Vodka e Valium 10 said...

Mais um vez, o Orson Welles ia zangar-se a sério contigo.

Mas não me importava de o ver, de charuto na boca, a reclamar impropérios contra o Deodato e a Adozinda.
Podia ser que, em vez dos 'The Magnificent Ambersons', fizesse 'The Magnificent ShoeMakers'.

Fica a ideia para quando o encontrares.

19/2/06 17:33  
Blogger sotavento said...

Que nem só de sapatos vivem as almas gémeas!... :)))

19/2/06 18:57  
Blogger I said...

No " virtual", tudo pode acontecer: desde cairem linearmente nos braços até cairem tortuosamente nas pernas (ou/e vice-versa), vale tudo. Pois não é assim também no" real"? A separação entre virtual e real parece-se com a virtual(ou real?) separação entre o corpo e a alma.

19/2/06 22:47  
Blogger JL said...

Fantástica esta história. Mas vamos por partes:

Gostei de saber que também usa um termo muito popular no interior... O de perguntar: qual é a sua graça?, quando se quer saber o nome de alguém. O meu amigo nunca me enganou:-) Tem costela de aldeão :-)

Depois há aqui uma crítica encapotada às mulheres por serem umas demoradas quando andam às compras. Que a sua mais que tudo não leia o blog. É uma semaninha a pão e água. Garantidamente.

Por último e como a época dos saldos não terminou, já se vê que Lé não tem feitooutra vida senão andar loja sim loja sim. Há dias foi a lingerie. Depois uns sapatos para si. Agora uns sapatos para ela. Eu não tenho nada com isso, é certo. Mas veja lá se o dinheirito chega para essas extravagâncias todas :-) Boa semana

19/2/06 23:40  
Blogger manhã said...

ehehe! O que os sapatos não fazem! Adoro sapatos! Acho que é até um motivo decisivo para aproximar as pessoas.

20/2/06 11:08  
Blogger Sofia said...

Excelente Legivel!!!
Só nao gostei do final, sabes é o lado romantico a falar....entao nao podias ter dado um jeito de eles casarem, terem filhinhos e serem felizes para sempre??? É que pra desgraças já basta o Real ne?
Bjs

20/2/06 14:09  
Blogger concha said...

Minha jóia das sapatarias!
Lindo!!!

20/2/06 16:20  
Blogger Nia said...

Eu cá não confio nada nesse Deodato com nome de remédio da farmácia!E também não confio nadinha nos sapatos, porque, sempre que posso, ando descalça.É uma questão de liberdade no caminho que piso.Na Tia dos sapatos também não confio com esse fetiche de se saber calçada e "descalçada" e obséquiada.Não passa de uma ditadoraZita a quem apraz ver (e não ter)o mundo a seus pés.São os ditadores mais perigosos...os miniatura com cheiro a graxa e verniz..dos sapatos.
O Deoadato que vá com calma...saltando assim do virtual para o real atrás da ditadora, só pode ficar com pedra no sapato e os calos apertados.Ele que não se cuide!

20/2/06 16:27  
Blogger clotilde said...

Que belo casal, o Deodato e a Adozinda.

Que belo texto, cheio de humor e imaginação. Parabéns!

Beijo

20/2/06 20:50  
Blogger A.na said...

Hoje dia 20.canal 2.magazine da musica.00.30h estarei por lá 2 segundos de vidinha,mas eu sem ser em papel de fantasia.graças a deus 2 segundos porque falar nunca será o meu forte...mt mau mesmo,mas em carne e osso e com beijos azuis.

20/2/06 21:08  
Blogger legivel said...

Para segurademim:

Sem dúvida, cara Segurademim (esse teu nick-name é fabuloso; podes dizer-me onde o arranjaste? Foi numa grande superfície... linear ?!), o bom senso é fundamental na "navegação às escuras"... e é artigo de que não sou grande cliente... para meus pecados.

A Adozinda G. sim; essa merece tudo e mais alguma coisa. Quem sabe um par um par de botas metalizadas com tracção às duas pernas...

20/2/06 21:57  
Blogger legivel said...

Para lagoa azul:

Então que é isso minha amiga! Precisamos de saber das suas intimidades no lar? Vá lá que se ficou pelos chinelos...
Cuidado; não diga tudo. Pelo menos logo assim, de afogadilho; comece por falar no gato... ou no canário (pode até nem tê-los, mas que interessa isso?! são óptimas manobras de diversão); nunca refira o número que calça, ou a marca do perfume que usa para os concertos no Rivoli. Eu sei que não mora no Porto; mas deve disfarçar, percebe? Com tempo, dar-lhe-ei mais conselhos úteis para usar aqui no virtual...

Tem uma boa semana, tá?!

Beijo grande.

20/2/06 22:09  
Blogger legivel said...

Para @:

Procuro, na medida do possível, criar atmosferas simpáticas onde as personagens se sintam à vontade e transbordem?! cá para fora tudo o que lhes vai na alma. São de tal modo (as atmosferas) que a maioria das vezes, deixo de ter qualquer controlo sobre elas...

20/2/06 22:12  
Blogger JPD said...

eu, num próximo episódio, colocava o par romêntico a almoçar num restaurante e força a troca de carícias pelo contacto, pé/canela/pé...só dessa maneira era possível garantir um quarto post para saber onde raio escondera o Lulu o sapato roubado ao par assoberbado por tanto e tremendo enlevo.
Prometes um terceiro post, ao menos?
Aguardo.
Um abração
(Série bem divertida!)

20/2/06 22:20  
Blogger legivel said...

Para pé:

Essa é uma canção que marcou muito o meu terceiro amor (salvo erro ou omissão); recordá-la-ei para sempre e à grande interprete que é A Gata (acho que é assim que se escreve... ).

É uma frase romântica da minha lavra (tenho precisamente 322 frases para ocasiões diversas e todas elas salvaguardadas com direitos de autor...)e que por sinal ainda não a utilizei ao vivo...

20/2/06 22:23  
Blogger JPD said...

Desculpa as minhas gralhas, Alberto,
Quis escrever «par romântico» e «forçava»
Um abraço

20/2/06 22:23  
Blogger legivel said...

Para azul:

Não imagina como fiquei maravilhado com o seu comentário! Sintetizou em três linhas, aquilo que eu me vi grego para escrever em cerca de setenta!...

... e com a inépcia de "matar à nascença" uma história de amor que tanto prometia... Perdi o pé; foi o que foi...

Tenha uma semana fantásticamente azul!

Beijo amigo.

20/2/06 22:29  
Blogger legivel said...

Para maite:

Cara Maite:

Mas por quem é! Discorde sempre que o deseje. Já reparou na pepineira que seria "isto" se todos afinassem pelo mesmo diapasão?!

E a sua discordância até tem algo de didáctico; prevê (históricamente) como vão estar as empregadas das sapatarias de Lisboa daqui a largos anos. lélés da cuca!!

Tenha uma boa semana.

20/2/06 22:42  
Blogger legivel said...

Para musqueteira:

Viva Musqueteira!

Obrigado. "Isto" dos saldos foi uma coisa bem inventada; na tarde desse dia, comprei três camisas pelo preço de uma... que já não se usam há uns bons vinte anos... daquelas com os colarinhos terminados em redondo...

20/2/06 22:49  
Blogger legivel said...

Para lélé:

São um par diabólico, podes crer!!
A Memória Perdida já foi encontrada, na altura em que escrevo. Falta a mãe do "Experimências".

No comment em que respondi à Maite, as palavras lélé da cuca não têm nada a ver contigo, tá. Lembrei-me de te avisar, não fosses tu atirar-me com alguma coisa que tivesses aí à mão...

20/2/06 22:56  
Blogger legivel said...

Para seila:

Ou então já mais velhos, a mostrarem fotografias aos filhos e a dizerem baboseiras do género: «Foi nesta sapataria que eu conheci o teu pai; acho que já estava bem aviado pois a fala enrolava-se de um modo esquisito e para me chamar "jóia das sapatarias", demorou tanto, que ainda tive tempo de ir comprar um camiseiro à loja do lado e voltar para o amparar, antes que se estatelasse no chão!»
«Não façam caso, meninos; a vossa mãe sempre quis sacudir a água do capote, para cima de mim. Confidenciou-me nesse dia, que antes de entrar na sapataria já tinha bebido duas ginginhas... »

20/2/06 23:05  
Blogger lélé said...

Não posso levar a mal... sou mesmo lélé e, se calhar, também da cuca!... Encontrei a Memória, sim... lá estava ela toda pronta pra ir de férias... Agora, quanto à "mãe" do Mansoa... o mistério continua!...

20/2/06 23:13  
Blogger legivel said...

Para pilantra:

Não te comovas mais, que eu também fico comovido. Toma lá um lenço, mulher! Podes usar à vontade que não costumo assoar-me...

«... "minha jóia das sapatarias!" é a frase que escolhemos para hoje no programa de discos pedidos, patrocinado pelo calicida do doutor qualquer coisa; podem começar a ligar!»

20/2/06 23:16  
Blogger legivel said...

Para manuel:

Num grande par de botas estavam os dois metidos se ainda fossem à concorrência! Acho que já não tinham físico para mais...

Abraços.

20/2/06 23:20  
Blogger legivel said...

Para anirada:

Obrigado. Fico sempre bem... nas fotografias; que hei-de fazer? Não tenho culpa de ter este perfil grego...

20/2/06 23:23  
Blogger legivel said...

Para vodka e valium 10:

O homem não era assim tão mau como o pintas; era pior. Irascível, mesmo.

E já não fará mais filmes (com ou sem sapateiros) porque, coitado, já está na terra da verdade. Que é onde, também o hei-de encontrar e falar-lhe destes dois posts...

20/2/06 23:30  
Blogger legivel said...

Para sotavento:

Pois não. E quando se descalçam até ao pescoço?...

20/2/06 23:32  
Blogger legivel said...

Para i & c:

Pois. Embora tenha alguma dificuldade em situar essa separação (ou não!) entre o virtual-real e o corpo-alma.

Do virtual-real nem vale a pena falar, porque hoje ainda é segunda-feira; dia pouco convidativo para dissertar sobre paralelismos assimétricos (lembrei-me das "paralelas-assimétricas" que fazia no Lisboa Ginásio... ).
Do corpo-alma, tenho um problema de identidade, se assim se pode dizer, não consigo identificar a minha alma... mas sobre isto voltaremos a discorrer com mais tempo; quem sabe a uma terça-feira. Dia mais consentâneo para divagações mais profundas.

Uma boa semana para ti!

20/2/06 23:45  
Blogger legivel said...

Para jl:

Mais uma vez, relevo a sua argúcia.
Tenho uma costela de aldeão, sim senhor; mas só uma... as outras são todas citadinas. Quem sabe se com alguma pena minha.

A minha mais-que-tudo está pefeitamente consciente(!?) do cidadão que lhe saiu na rifa. Foi efectivamente aquilo a que se chama comumente, uma questão de sorte para... os familiares mais chegados de ambos.

Não se apoquente por mim; as "extravagâncias", são a minha marca de estar no mundo. Uns hectares de terras " a perder de vista e bem dispostos" (daí tal costela) de herança familiar, dão-me margem de manobra suficiente para algumas extravagâncias.

Tenha uma óptima semana!

21/2/06 00:12  
Blogger legivel said...

Para manhã:

Claro que sim. Porque são (normalmente) calçadas, que as pessoas caminham e se aproximam umas das outras.

Por isso, esta incontornavel história de amor, embora de final infeliz, nunca funcionaria na praia...

21/2/06 00:15  
Blogger legivel said...

Para sofia:

Mas porque haveria esta história de acabar bem?! A princípio, até estava para aí virado; mas depois os dedos no teclado mudaram de rumo e prontos! Cada um para o seu lado...

... e depois, até acho que o "real" (porque escreveste com maiúscula este Real, até pensei que fosses adepta do Real de Madrid... )não está assim tão mal, no que se refere aos romances de amor; casam-se e têm muitos filhos. O pior vem depois...

Bjs.

21/2/06 00:21  
Blogger legivel said...

Para concha:

É a tal frase do dia! Basta dizê-la e é só pedir o disco...

Boa semana!

21/2/06 00:23  
Blogger Sofia said...

eheheh nao legivel nao sou do Real Madrid! Sou do boavista imagina tu!!!!
Gosto de fins felizes. Detesto a infeliz realidade dos meus dias.
Bjs

21/2/06 09:56  
Blogger Flor said...

ADOREI!

A
D
O
R
E
I

adorei
...

Beijo grande

21/2/06 10:41  
Blogger legivel said...

Para nia:

Lá estás com um pé atrás (descalço?) e outro à frente (calçado?); olha que o Deodato é bom moço. Digo-te eu, que também não sou de desprezar e que lhe tenho acompanhado o percurso de vida. Apenas o perdi de vista quando ele foi para Direito e eu, desapontado com o país que me rodeava, embarquei para conhecer outros mundos. Regressei quinze anos anos depois e a ele ainda lhe faltavam duas cadeiras para completar o curso. Meti-me num negócio de sofás para o ajudar...

"...com nome de remédio... "! Ainda se se chamasse Deocromo...

A "ditadoraZita" faz-me lembrar alguém...

21/2/06 10:59  
Blogger Joana said...

Que bonito!
:)
Gostei muito da história (que isto para comentar tem de ser no fim!)

Agora tens de contar a história do sapateiro que os atendia!...

bjs

21/2/06 11:01  
Blogger legivel said...

Para clotilde:

Eu sabia que ias gostar. Desta vez não se releva tanta tristeza nos olhos do Deodato, não é? Pudera; apaixonou-se à primeira vista...

Beijo.

21/2/06 11:02  
Blogger legivel said...

Para a a:

Lamento doce a, mas o sono venceu-me perto da uma da madrugada... que a noite anterior tinha sido uma directa. Mas há mais marés, não é verdade?

Beijo de um azul intenso.

21/2/06 11:08  
Blogger legivel said...

Para jpd:

Caro José:

A tua estratégia ofensiva é inovadora! "...carícias pelo contacto pé-canela pé-..."

... mas não será passível de cartão amarelo?!

Não descarto a ideia de um terceiro ou mesmo quarto encontro. mas como calculas, terei de falar com os agentes de ambos para ser tudo pelas vias legais...

Abração.

21/2/06 11:17  
Blogger legivel said...

Para jpd:

Porque não reparei no teu primeiro comment, pensei que o segundo tinha pássaros dentro e um par romeno...

Abraço.

21/2/06 11:20  
Blogger legivel said...

Para lélé:

Bate certo. Já lhe desejei boa viagem. A Mãe é que realmente me deixa perplexo; mas se a memória não me atraiçoa, foi a Memória que informou que estava tudo bem com ela e o regresso ia-se dar... Como eu costumo dizer: coisas do arco-da-velha...

21/2/06 11:25  
Blogger legivel said...

Para sofia:

Prontos! está reposta a verdade. Eu também sou...




... do Sporting.

Vamos lá a sorrir, tá?!
Bjs.

21/2/06 11:29  
Blogger legivel said...

Para flor:

Obrigado!

O
b
r
i
g
a
d
o
!


Beijo grande.

21/2/06 11:33  
Blogger legivel said...

Para joana:

Por ser para ti, até conto a história de um complexo fabril de calçado lá para o Norte. Com os trabalhadores em luta; e o administração filha da... mãe. E os delegados sindicais e outras personagens mais...
É bem capaz de dar um bom post...

Bjs.

21/2/06 11:39  
Blogger Maria Papoila said...

Aposto que juntaram as economias e montaram uma fábrica de sapatos!

22/2/06 00:12  
Blogger legivel said...

Para maria papoila:

Será o mais lógico; de conservas, não faria sentido...

Boa semana!!

22/2/06 00:20  
Blogger Rui said...

Eu lá tinha a minha razão... mas mais não digo.

22/2/06 15:20  
Blogger legivel said...

Para rui:

Adivinhaste que na vida de um Deodato, há sempre um Adozinda à espreita...

23/2/06 23:59  
Blogger mulhergorducha said...

Venho atrasada, mas de qualqer maneira aqui fica.

Caro:

Acho mal! Estou desiludida! O Deodato e a Adozinda???

Bjs

24/2/06 01:24  
Blogger legivel said...

Para mulhergorducha:

Não te contei para não te chocar; mas o Deo já andava com ela fisgada há imenso tempo. Confessou-me um dia em que abusou dos copos.
Ele não te merece; é o que me parece! Mas sabes que a vida tem surpresas...

Bjs.

24/2/06 17:31  

Post a Comment

<< Home