Sunday, December 11, 2005

METROCOLOR



















«Bolas! menos uns segundos e apanhava-o!» exclamou esbaforido e desalentado o homem pálido, de fato cinzento-escuro, camisa branca, gravata magenta e pasta bordeaux. O ruido guinchado do rodado das carruagens nos carris perdeu-se na escuridão do túnel e o homem pálido sentou-se num dos bancos corridos da estação tendo por companhia á sua esquerda, dois painéis de publicidade, o primeiro do triunfo da moda onde predominava o vermelho e que tinha em primeiro plano uma mulher de seios fartos e quase perfeitos?! e o outro, poucos metros mais à frente, em que uma mãe adestrava o filho na difícil arte do crédito-em-bolas-de sabão-incolores.
O homem pálido alargou um pouco o nó da gravata magenta e passeou os olhos pela parede alta de azulejo azul-da prússia de diversas gradações, que se mostrava à sua frente para lá da linha férrea. Uma sequência de coelhos com enormes patas, desfilava a todo o comprimento da estação. Surpreendeu-se; há anos que apanhava aquele transporte e nunca tinha reparado naquelas figuras monstruosas. É certo que era um sujeito metódico e o relógio uma espécie de deus; chegava à estação no preciso momento em que o combóio fazia a sua aparição.
Voltou a cabeça para os seios da mulher-triunfo. Era uma visão bem mais agradável e colorida. Pensou mesmo que o meio-sorriso lhe era dirigido. Mas impelidas por uma ligeira brisa que chegava do rio e descia até ao local, as muitas bolas de sabão sopradas pela mãe da criança acabaram por se desfazer nos olhos do homem pálido que com a aflição se viu impedido de apanhar o combóio seguinte. Pior; ao jantar a esposa tinha-lhe feito uma surpresa: coelho à caçador. O homem pálido ficou branco como a cal da parede... que por sinal era verde-alvalade.
Foto de: Alberto Oliveira.
Os painéis de azulejo da estação do Metropolitano do Cais do Sodré foram executados pelo pintor Pedro Morais, que interpretou alguns esboços deixados para este trabalho, pelo pintor António Dacosta antes de falecer. Os painéis representam um coelho apressado numa evocação do clássico "Alice no País das Maravilhas" de Lewis Carroll.

55 Comments:

Blogger Lia C said...

Absolutamente AHHHHH!!!!!! (quando conseguir fechar a boca escrevo o resto...)

Bjs

11/12/05 21:16  
Blogger SalsolaKali said...

É caso para dizer que os olhos tb comem...
Ele já estava a ver a modelo do outdor da triunfo com rabinho de coelho, branquinho, e narizinho cor-de-rosa... e claro, com relógio na mão.
Mas tá claro, voltou rapidamente à terra.
Beijo
SK

11/12/05 21:48  
Blogger Phi@ said...

ads...where do you think we get some smashing stories to tell!!! duh!!

11/12/05 22:31  
Blogger lélé said...

Foi uma agradável surpresa encontrar este blog e esta narrativa, dum tipo todo certinho a quem um outdoor puxa o tapete de debixo dos pés, está muito gira.

11/12/05 23:02  
Blogger amok_she said...

bolas!...por pouco pensei q ias escrever sobre os metro...sexuais!;-)))

11/12/05 23:17  
Blogger JL said...

O coelho à caçador não é assim tão mau. Pelo contrário, é um bom pitéu. Cá para mim o descontentamento do protagonista deste episódio, que é uma autêntica paleta de cores, teve mais a ver com a mulher e a ausência de seios iguais aos da mulher do metro. É que é natural que ao chegar a casa e ver - coelho - se lembrasse, imediatamente, de seios. Pavlov explicaria isto melhor que eu.

11/12/05 23:28  
Blogger Azul said...

Gostei muitíssimo deste texto. Parabéns pela escrita e pelas imagens (que a serem suas, são muito boas, se são apenas escolhas suas, revela certamente o seu bom gosto e alguma perspicácia pelo inabitual, mesmo que esteja no óbvio). Um abraço para si. Até breve. Azul.

12/12/05 00:48  
Blogger Joana said...

Gostei da parte do branco como a cal da parede que era verde.
Eu e o metro temos uma relação dificil... a última que me aconteceu foi espalhar-me à entrada da carruagem no momento em que as portas iam a fechar. O pessoal que já lá tava dentro puxou-me por um braço para não ficar com as pernas entaladas na porta! pronto, uma cena à Joana.
Não sabia da história dos azuleijos, que fixe!

p.s.
Como sempre, muito bem escrito!

12/12/05 10:38  
Blogger sotavento said...

As coisas que se veem, entre "metros"!... :)

12/12/05 12:09  
Blogger  said...

E qual foi a desculpa dele para não comer o coelho à caçador? :)

12/12/05 13:15  
Blogger manuel said...

Coelho a caçador?!... vá lá!...
Imagina se a excelsa esposa se te põe a fazer uma sabonária e apanhar bolas de sabão ...

Abraços

12/12/05 14:29  
Blogger mary_jane said...

oi!!!! tb gostu mt de ecrever, e de ler... s gostas deharry potter paxa plo meu blog, ok??? jinhus

12/12/05 15:36  
Blogger segurademim said...

Acho que andaste às compras de natal e já confundes bolachas triunfo, com bolas de cristal!!!

O verde deixa-te às riscas de alvalade, no túnel não se vê uma luzinha no final... os sonhos são de abóbora e o cabrito é que é ementa de natal e não o coelho!!!!

o primeiro plano está farto de te sorrir e os bancos emprestam a crédito com juro renegociável...

Beijo :)

12/12/05 17:57  
Blogger sonia said...

excelente e colorida esta narrativa. por acaso já tinha reparao nos coelhos gigantes, e realmente são inspiradores.
beijinhos

12/12/05 19:00  
Blogger JPD said...

Acho este post uma delícia pela seguinte razão:
Eu não sei se é fatalismo ou idiossincrático, mas os nossos queridos lusitos, na hora na verdade -- e a verade aqui é o tremendo desafio que a pequena-triunfo, generosamente olha para ele e, algo submissa, o desafia, zás! vem a bola de espume e impede tudo, mergulhando-o no nevoeiro (O sacralizado nevoeiro que não nos larga).
Está excelente.
Uma delícia.
(Nota: quero agradecer-te as observações deixadas no post da «Ovelha Láli» e garantir-te que as prendas de Natal para os políticos estão prontas. Se há coisa que admiro em ti é a sagacidade. Acertaste em pleno, amigo)
Um enormíssimo abraço

12/12/05 19:31  
Blogger @ said...

Como é que perdeu uma coisa tão grande... :-)

Estava complicado de chegar a casa, para o tão merecido coelho.

12/12/05 21:23  
Blogger Armando S. Sousa said...

Eu gosto de coelho à caçador.
Ah! Pois! o post não é sobre isto.
O Estado português gastou uma fortuna dos nossos impostos para decorar as estações do Metro. Portanto merecem serem vistas nem que para isso se tenha de perder o combóio.
Gostei do "...branco como a cal da parede...que por sinal era verde-alvalade..."
Um abraço.

12/12/05 23:24  
Blogger A.na said...

Neste teu metrocolor...
Neste teu beijo sempre
azul em mim...
Deixo nesta tua fantasia
de papel,a escrita verde cal
da branca esperança
que existe nas coisas bonitas
que desejamos atinjir...o nunca ter ser ser triste.

Beijo meu também...
de amor azulinho.

12/12/05 23:27  
Blogger I said...

Os coelhos do Pedro Morais foram à Guerra da Paula Rego e acabaram dentro do caldeirão da esposa do senhor esbaforido de gravata magenta que os devora enquanto pensa nos seios quase-perfeitos da modelo irrepreensivel do triunfo da moda a metro ainda que o quase seja um cacho de uvas quase-maduro mas ainda verde de tão inatingível.

13/12/05 11:53  
Blogger Armando S. Sousa said...

Uma dúvida:
Neste blogue há uma senhora e um senhor legível?
Fiquei confuso nos meus comentários!
Um abraço.

13/12/05 15:39  
Blogger batista filho said...

Lembrei algo que se encaixa direitinho com a publicação desses posts mais recentes. Trata-se de um comentário que teria sido feito há mais de dois mil anos. Findar de uma festa. O provador oficial de vinho é chamado a experimentar um outro vinho. Ato contínuo, diz: - "Engraçado, normalmente se oferece o vinho de melhor qualidade no início da festa..."
Ao findar do ano os teus escritos estão cada vez melhor elaborados. É isso que percebo. Valeu!

13/12/05 15:44  
Blogger Vodka e Valium 10 said...

Por incrível que pareça, em Portugal os metros não têm hora definida para chegar. Contudo, em Berlim, dois minutos antes do metro chegar, porque o metro tem horas para chegar em Berlim, a plataforma enche-se, para espanto de pessoas como nós, habituados à e volatibilidade do metro português

13/12/05 17:02  
Blogger manhã said...

Na pintura portuguesa abundam os coelhos, uma Graça Mendonça, uma Paula Rego, pelos vistos o Dacosta. Dizem que é um sinal da infância, necessidade de protecção. No ditado popular...bem...

13/12/05 18:48  
Blogger Lagoa_Azul said...

Ui , ui..essas cores sim são dignas de verdadeiro destaque , ou será o destaque digno dessas cores...lolllllllll.
Ou não tivessemos na alusão á nossa Alicinha.
Beijos e boa semana.

13/12/05 20:22  
Blogger mulhergorducha said...

Rico,

Gostei bastante!

Admito que à semelhança do "teu" senhor certinho e direitinho não gosto mto de coelho à caçador.

Beijocas

13/12/05 20:31  
Blogger legivel said...

Para lia c :

Cuidado que permanecer de boca aberta tanto tempo pode ser problemático para os maxilares...

Bjs.

13/12/05 22:01  
Blogger legivel said...

Para salsolakali:

Pois... Há divagações masculinas que não se devem ter em hora de ponta.

Com coelhos... ou coelinhas.
Beijo

13/12/05 22:04  
Blogger legivel said...

Para fi@:

Tirei esta foto (se clicares na mesma, tens lá a hora a que foi captada e o destino do transporte) precisamente na altura em que tinha acabado de sair um combóio. À minha rectaguarda ficou apenas um sujeito de pasta de cabedal nos joelhos que olhava para o painel de azulejos.

O resto ficou por minha conta. Satisfeita?

Kisses.

13/12/05 22:16  
Blogger legivel said...

Para lélé:

Essa ideia de "tirar o tapete" à figura "certinha" do texto, está bem apanhada.

Sê bem vinda. Quando quiseres volta.

13/12/05 22:19  
Blogger legivel said...

Para amok_she:

Não sou um especialista sobre a matéria; deixo essa área às cronistas das revistas que se encontram em qualquer consultório... não apenas de doenças do coração

Confidencialmente, adianto-te que meço um metro e cinquenta; qualquer coisa como dez para os dois...

13/12/05 22:26  
Blogger legivel said...

Para jl:

Desses aspectos mais privados da vida da personagem, não se me oferece adiantar alguma coisa. òprque apenas "o acompanhei" até ao moneto que a esposa lhe prantou o coelho à frente dos olhos.

Mas é uma dicotomia a explorar; "os seios da modelo e o coelho à caçador". Se me deres a morada desse Pavlov*, converso com ele e avanço no assunto.

* Mas esse cidadão não o guarda-redes do Dínamo de Moscovo?!

13/12/05 22:35  
Blogger legivel said...

Para azul:

Efectivamente as imagens são minhas e estão a ser uma mais-valia no "apoio" que me dão aos textos; umas mais que outras, claro.

Neste caso, conjugaram-se uma série de factores (como já expliquei mais atrás) que deram este resultado.
Grato pelas suas palavras. Um abraço.

13/12/05 22:40  
Blogger legivel said...

Para joana:

Lamento profundamente o sucedido contigo. Se isso se passasse comigo não ficaria lá muito satisfeito pois detesto que me puxem pelos braços e depois já dentro da carruagem ter de "agradecer aos meus salvadores" não ter ficado sem pernas e... sem calças e o resto do pessoal a olhar para mim, assim como quem diz «O gajo ia-se matando!». detesto isso tudo.

Mas tu postaste-te à altura, de certeza.

13/12/05 22:47  
Blogger legivel said...

Para sotavento:

As coisas que eu vejo
lá pelo metropolitano!
pois já vi um caranguejo
a beijar uma soprano.

Vi também um militar
com um tigre à risota;
e uma velha desmaiar
nos braços duma marmota.

(...falta-me a inspiração para uma rima com águias; fica p´rá próxima...)

13/12/05 22:55  
Blogger legivel said...

Para pé:

Pelo que me apercebi -mas não garanto nada porque a "distância" era enorme, acho que balbuciou uma desculpa esfarrapada, qualquer coisa parecida com «O meu colega Jestino, trouxe da terra um doce de marmelo que estava uma delícia; comi até fartar...»

13/12/05 22:58  
Blogger legivel said...

Para manuel:

Uma ocupação como qualquer outra. Olha o que fazem os "apanha-bolas" nos jogos de futebol? As de sabão até são mais fáceis de apanhar; não cansam tanto, porque mais leves.

Abraços.

13/12/05 23:01  
Blogger legivel said...

Para mary jane:

Ói Mary! Tu Jane, eu Legível! Apresentados já estamos; agora é só teclar.

Curto o Harry e o Potter também e paço lá pro teu blog! Tá descanxada.
Jinhos.

Ah! e bem vinda!

13/12/05 23:07  
Blogger legivel said...

Para segurademim:

A ver se a gente se entende. O tipo da estação não sou eu; é outro. depois de fazer a foto, meti-me no combóio que veio a seguir, fui para o emprego e naquele dia a coisa não correu nada bem que tive uma discussão pegada com o Esteves que teimava que o Sporting não tinha sido campeão duas vezes nos últimos seis anos e eu que sim e passámos a manhã naquilo e após o almoço o gerente (que é portista) também se meteu na polémica de tal modo que cheguei a casa quase sem voz...

... um gajo mata-se a trabalhar para depois receber uma miséria se a compararmos com os vencimentos dos administradores.

13/12/05 23:15  
Blogger legivel said...

Para sónia:

Claro que são. Ao contrário, se fossem leões, é que não seriam nada inspiradores... nesta altura do campeonato.
Deixa; outros tempos virão.

Beijinho.

13/12/05 23:18  
Blogger legivel said...

Para jpd:

A analogia tem razão de ser, pois claro! Falta-nos treinar (ou exigenciar?) a "hora da verdade". Para que os nossos sonhos não se transformem em... bolas de espuma.

Pode ser que um dia... a bruma se dissipe e outros mais dignos e honrosos tempos conheçamos; nós ou os nossos vindouros.

Prontos. Puxaste-me pela palavra e já me emocionei. E depois esta quadra também para ajudar à festa... e como gosto de bolo-rei, embora laico e republicano...

Abração.



À séria:

13/12/05 23:29  
Blogger legivel said...

Para @:

É por esssas e por outras que admiro a tua perspicácia, a tua rapidez de raciocínio e essas coisas todas...

13/12/05 23:36  
Blogger legivel said...

Para armando ésse:

Também era sim senhor! O "coelho à caçador" também pertencia ao texto.
Mas gasta-se (ou ganha-se?!) dinheiro em coisas bem piores* e quando se vai por "ele", nem comprovativo de despesas existe...

* Os produtos artísticos (onde eventualmente se poderá pôr em causa a sua qualidade ou "as capelinhas" geradoras de interesses menos claros) nunca serão um mal; quanto muito menos prioritários face a outras necessidades.

13/12/05 23:48  
Blogger legivel said...

Para "a":

Os teus comments
são azuis, doces
em forma de poesia
e têm ao fundo um sol;
lembram-me uma pastelaria...
e o modo como me olhas...
primeiro, vai um caracol*
logo a seguir um mil-folhas.

* Daqueles com muita fruta cristalizada!

Beijos.

14/12/05 00:00  
Blogger legivel said...

Para i&c:

Em síntese: sintéticamente arrumaste a questão! Por aqui se vê (lê) que és uma mulher prática , decidida e que não embarcas em contos da carochinha.
Só faltou uma pequena coisa: desvendares "a receita" do coelho antes de entrar no caldeirão...Que aí, não cheguei eu...

14/12/05 00:11  
Blogger legivel said...

Para armando ésse:

Tenho cá uma menina que pelos vistos é tua admiradora... e de outros bloggers. Quando me apanha fóra... Já não é a primeira vez que me deixa em cheque.

14/12/05 00:26  
Blogger legivel said...

Para batista filho:

Agradeço as tuas palavras, embora me limite ao prazer da escrita -sem outras quaisquer pretensões, senão a de partilhar com quem me lê (e eu leio) ideias alinhavadas em momentos de lazer.

Abraço.

14/12/05 00:32  
Blogger legivel said...

Para vodka e valium 10:

Parafraseando-te por incrível que pareça neste país se fosse apenas o "metro" que não cumpre horários...
Neste país cultiva-se, aliás e preferencialmente, o atraso. "Chegar atrasado" é de bom tom porque revela grande actividade profissional... e intelectual. Quem chega à hora acordada, é parvo ou não tem mais nada que fazer e pensar.

Quando não há horas de partida, as de chegada serão envoltas em suspense...

14/12/05 00:45  
Blogger legivel said...

Para manhã:

"Um sinal de protecção"... Mas essa protecção não seria mais eficaz, se exercida por uma força de segurança especializada?!

Sim, a "insegurança" nos produtores de arte é conhecida...
Não quererias escrever Graça Morais?

14/12/05 00:51  
Blogger legivel said...

Para lagoa azul:

É verdade; se a Alice é uma figura imprescindível na galeria da fantasia escrita, porque não citá-la no... Papel de Fantasia?!

Obrigado; para ti também!
beijos.

14/12/05 00:56  
Blogger legivel said...

Para mulhergorducha:

Rica:

Gostos não se discutem; eu sou mais para as açordas de marisco e caldeiradas... com tudo o que é peixe bem fresco... como eu.

Beijos.

14/12/05 00:59  
Blogger legivel said...

Para TODOS:

Depois de dar uma vista de olhos pelo que deixei re-comentado, verifiquei com surpresa que um bando de aves-gralhas (mais do que habitualmente) tinham "acampado" nestas minhas respostas. Aqui ficam as correcções.

Para salsolakali:
... coelhinhas...

Para jl:
...porque apenas o acompanhei
até ao momento...

Para joana:
...mas portaste-te bem...

Para pé:
... o meu colega justino...

Para armando ésse:
... em xeque...

14/12/05 09:11  
Blogger amok_she said...

...pronto, 'tá bem!, desculpa lá, afinal de contas ainda não te conheço assim tão bem, né?!?:->

14/12/05 23:33  
Blogger legivel said...

Para amok_she:

Não??!!
E eu a pensar que sim; pelo que aqui escrevo sou aquilo a que se chama "uma carta aberta"... sem texto.

15/12/05 10:58  
Blogger amok_she said...

...pois sim, pois sim...fica à espera dos afagos(zinhos) no ego q eu já venho!...mas ...arranja uma cadeira bem confortável, 'tá?!?;-)))

15/12/05 22:14  
Blogger legivel said...

Para amok_she:

Percebi de imediato* essa da cadeira confortavel.

Vais passar o natal a Londres e depois voas directamente para o fim do ano em Ibiza, não é?!

(há gente com muita sorte!)

* O meu QI é elevadíssimo.

16/12/05 00:15  

Post a Comment

<< Home