Monday, April 27, 2009

CLARA BÓIA









Pergunto a Clara, se quando desce na vida, esses reveses podem ser explicados com a claridade que exigimos a nós próprios, das vezes que nos propomos fazer a contabilidade da nossa existência. Ela responde sem hesitação, que não. Porque crê que existe uma qualquer força desconhecida que faz com que os azares e contrariedades que lhe batem à porta se multipliquem sem intervalos. E isso, acrescenta, não tem explicação lógica, adiantando entretanto que de supersticiosa não tem nada. «Agora, por exemplo, estou no "ciclo da escada rolante". Esteja com atenção e veja o que vai acontecer de seguida. Vou ser engolida por uma medonha negritude. Fui ou não fui?! E no fim da escadaria apenas não torci um pé porque não calhou. Certo? E o combóio que pretendia apanhar, enh?! já se foi e só daqui a três longos minutos chega outro com tanta gente, que provavelmente não consigo lugar sentada. O que me diz a isto? E porque vou chegar atrasada ao serviço, espera-me um sermão dos antigos do meu chefe. Mas hoje não estou para o ouvir e vou voltar para casa. O meu marido - que está com baixa médica há uns tempos largos, quando me vir chegar exclama "Desta vez é que foste despedida! Mas já que cá estás, prepara-me o pequeno-almoço que não me importo de o comer na cama." Entre o sermão do meu chefe e o pequeno-almoço do meu marido, opto pela escada rolante, percebe? Mas tudo isto começou tinha eu os meus três anos. A banhos, numa das praias da Costa da Caparica, o meu pai deixou de me segurar por uns momentos e, voltando-se para a minha mãe, gritou "A Clara bóia!!", enquanto eu, totalmente submersa, era invadida por uma escuridão assustadora (nunca consegui abrir os olhos sob a água) provava o sabor do sal Atlantico pela primeira vez e os pés de um nadador de domingo só não me acertaram por puro acaso.»
2009. Texto e foto de Alberto Oliveira.

28 Comments:

Blogger Joana said...

Livra, que destino irónico!...
Diz à Clara que lhe ofereço uma ferradura... a ver se dá um bocadinho de sorte!

28/4/09 01:09  
Blogger Teresa Durães said...

ó Clarinha, se despachares os azares numa semana terás uma outra que sobes nas escadas. Gastas esses azares contínuos

28/4/09 10:46  
Blogger Rui said...

De Metro, Clara gosta mais de chegar ao Cais do Sodré do que de lá partir - chega em direcção à luz e, quando parte, não consegue evitar a sensação do abismo que a engole. Da última vez que a ferrovia subterrânea a lá despejou, tomou a direcção contrária às águas do Atlântico e ao seu sujo sal: fintou o Eléctrico e os impacientes automóveis e foi enfiar-se no Mercado vizinho. Desembolsou o ingresso de acesso ao primeiro andar e sentou-se numa cadeira de plástico, a ver a dança das dores alegres.

28/4/09 10:54  
Blogger LUA DE LOBOS said...

acho melhor explicar urgentemente à Clara que há certos periodos quase diários em que a Lua (aquela bola lá no cucuruto do céu) fica "vazia" e que não há mais nada que nos possa acontecer (pensamos nós de que...).
Ela que procure rápidamente no Google e vai ter a noção de que não é só a ela, mas a todos nós...
e a propósito, sorriam porque hoje é o dia dele ... do SORRISO :::))))
xi
maria de são pedro

29/4/09 08:46  
Blogger Paula Crespo said...

Entre o sermão do meu chefe e o pequeno-almoço do meu marido, opto pela escada rolante. Faz bem. Há quem bóie e quem mantenha a cabeça entre as orelhas. Já dizia o outro. Mas vai tudo dar ao mesmo.
:)

29/4/09 09:22  
Blogger Filomena Barata said...

Belo texto Legível. Sim tantas vezes sentimos a Clara a boiar... E, com a mesma clareza, a nossa vida a dança ao Luar, sem que chegue o socorrista que, no fundo, todos desejaríamos que viesse, nem que seja de dentro de nós. Bjos. Parabéns.

29/4/09 11:36  
Blogger Rosa dos Ventos said...

Os teus textos têm o condão de me fazer rir!
Então este que me mantém em suspense quase até ao fim...
Faz-me lembrar o:
- Michel, rien!

E bem preciso de rir!

Abraço

29/4/09 14:19  
Blogger lélé said...

Essa rapariga nem bóia, nem nada (do verbo "fazer nada")! Ela vive probabilidades e tem uma pontaria impecável para ir buscar as menos prováveis.
Como poderia explicar com claridade os seus reveses?...

29/4/09 22:47  
Blogger Rui said...

1 2 som... 1 2 experiência... volta soares franco estás perdoado... som... som...

30/4/09 23:56  
Blogger Rui said...

(afinal o teste já cá não está...)

30/4/09 23:58  
Blogger legivel said...

Para Rui:

Com franqueza! ainda não perceberam o problema do homem: é um tímido.

Não era teste. Foi a minha testa que bateu no blog, porque de repente faltou a luz. Claro que agora a testa já cá não está. Levei-a comigo. Para a cama.

1/5/09 00:17  
Blogger bettips said...

Quando li o teu texto lembrei-me que "um mal nunca vem só". Agora com as escadas rolantes, é muito pior, sempre a descer, como se vê na tua foto de esguelha. E quem tem telhados de vidro, que atire a primeira pedra à casa!
Sempre bem esgalhados os teus textos, tão actuais que até nos fazem rir, como certas notícias de rodapé.
E, prontos, lembrei-me da Clarabela, a vaquinha simpática, amiga da Minnie e de quem o Pateta gostava. Longe de mim qualquer alusão a factos da realidade ou da telecoisa.
Se fosse em 1940 (cruzes canhoto!) o pai diria: "Clara, a vela!"
Mas não. Estamos imersos no desemprego, nos desfasados horários e no raio dos nadadores-salvadores que não nos ligam bóia e só nos dão com os pés para irmos ao fundo.
Bjinhos
(a segura não está segura? É que corares com um elogio de mulher feita não é caso para sassanhar...)

1/5/09 00:45  
Blogger São said...

Peço desculpa, mas só venho numa fuga para desejar bom fim de semana prolongado .

Viva o 1º de Maio!!

1/5/09 13:50  
Blogger ~pi said...

gosto de clarobóias

poderia dizer que fui tocada por uma nos primeiros instantes de vida,

como tal,

boiar foi tão natural

como escalar .

mais tarde afastei-me de patrões e maridos,
curiosamente achei-os, em múltiplos aspectos, singularmente parecidos.

mas não, nem as escadas rolantes me salvaram ainda,

este é o chamado texto inconsequente,

honni soit qui mal y pense,

ámen!




(( beijo :)






~

1/5/09 14:28  
Blogger Filomena Barata said...

rosas para ti hoje.

1/5/09 14:47  
Blogger Arabica said...

Sem bóia,sem nadador salvador, sem sorte e sem rede.

Com tanto azar ainda as escadas param a meio...?

:)


Sorrisos e um Abraço.

1/5/09 16:32  
Blogger Mar Arável said...

Abril de novo

no Maio de sempre

1/5/09 21:56  
Blogger tulipa said...

Além do 1º de Maio, há uma outra data para comemorar: o meu "Momentos Perfeitos" faz 1 ano.
Convido-te a vires brindar comigo!

Bom fim de semana prolongado.

ESPREITA...e vê se conheces o restaurante onde estou à espera de todos vós, para fazermos um brinde!

2/5/09 01:43  
Blogger Fa menor said...

As escadas rolantes da nossa vida pregam-nos partidas...
mas também nos podem proporcionar chegadas, se para tanto a atenção não se desviar para o lado.

Bom fim de semana

bjins

2/5/09 12:58  
Blogger L.Reis said...

Percebendo naquele trumático minuto que o seu destino não era boiar entre pés e pezadas, tomou a sábia decisão de nadar... em contramão, já se vê! Por muito cansativo que fosse, nunca conheceria o desânimo de chegar... e as escadas que rolassem ascendentes ou descendentes.

2/5/09 13:08  
Blogger samartaime said...

Compadre, andas negro e com inspirações boiantes boidepois.
Tirando os cuidados de batuque no blogue vaticino-te uma próxima caracolada. Que tal?

2/5/09 20:50  
Blogger Alien8 said...

Mesmo com escada rolante,
A Clara bóia submersa.
Paradoxal o bastante.
(E não lhe falta conversa!...)

Um abraço.

2/5/09 23:44  
Blogger Ruela said...

hahahahahaha


Clara Bóia ;)




Abraço.

3/5/09 00:13  
Blogger Ana Lina said...

Nem tudo são reveses: hoje levaría com uma mota de água ou ficaría cega por um saco de plástico. Do marido tería o desejo (parece que estão todos ocupados)e com sorte tería que regressar a casa a butes, pois era dia de greve.

Aprende a nadar Companheira Clara!

Deixo beijo ao Autor, Senhor Autor!
(tiro-lhe o chapéu)

3/5/09 08:42  
Blogger MagyMay said...

E diria...Clarinha, é o fado, filha!!!...não há bóia para tanta tragédia.

Clara, não sabe nadar..yôôÔ!!

Lição de vida: Nunca vir tomar banho à Caparica em pequenina

(essa da escada rolante...eu ando, tu andas, ele anda...parece-me)

4/5/09 21:39  
Blogger esse said...

... às vezes é preciso ir ao fundo da escuridão para encontrar o caminho ... se a Clara soubesse isso ...

5/5/09 15:46  
Blogger Whisper said...

Hoje vejo tudo a lentes de pessimismo... boiar não me parece libertador mas sufocante, um acto de sobrevivência... hoje sinto que, mesmo sabendo nadar, a vida só me vai deixar boiar...

5/5/09 15:59  
Blogger Eli said...

hmmm

5/5/09 23:45  

Post a Comment

<< Home