Thursday, February 19, 2009

O HOMEM DE UMA PERNA SÓ












Quando lhe abri a porta percebi logo que não se tratava de mais um daqueles pedintes que não temos maneira de saber se as necessidades prementes anunciadas em papel amarrotado e escrita de difícil leitura, o são de facto. Conturbados tempos estes, ditos de crise económica global, que fazem vítimas de facto e outros que se vitimizam sem o ser . Este, vinha de mãos vazias e esperou que eu fizesse a pergunta sacramental "O que deseja?" Pareceu-me ver alguma perplexidade no seu rosto e imaginei-o cidadão de um país distante perante a barreira assustadora de um idioma que não se entende. Mas não era assim, porque respirou fundo e falou em português de Portugal "Não quero que tenha pena de mim. Apenas pretendo que me dê água para eu poder continuar a seguir o meu caminho." Estranhei a solicitação ao mesmo tempo que os meus olhos desciam para a sua perna esquerda, de calça arregaçada e uma garrafa de plástico no lugar da pele e osso. Contou a história em poucas palavras "... eu era daqueles que ainda se esfarrapavam a trabalhar no campo. Mas os problemas multiplicaram-se de tal modo que, distraido, só dei pela máquina debulhadora me ter ceifado a perna, depois de perder o equilíbrio. Se não se importa - e se tiver, prefiro atestar com a do Luso. Que é a marca de origem da garrafa... "
2009. Texto e foto de Alberto Oliveira.

33 Comments:

Blogger alice said...

uma mensagem muito forte que nos alerta para as diferenças entre iguais. penso que este homem tem sede de ter sede.
um beijo, alberto.

19/2/09 23:37  
OpenID bellsblog said...

Ia para dizer um disparate qualquer, mas o comentário acima envergonhou-me.

Parabéns pela foto, está bem concebida.

19/2/09 23:40  
Blogger Joana said...

... tão natural como a sua sede...
:)
é carnaval, não podes levar a mal!

19/2/09 23:49  
Blogger Rosa dos Ventos said...

Eu não tenho pena dele!
Admiro a sua força de vontade, porque continua a semear para colher e admirar a beleza do campo que o rodeia!

Abraço

20/2/09 00:59  
Blogger Alien8 said...

Não pedinte, antes caminhante. Andarilho da vida e do tempo, muito bem caracterizado.

Um abraço.

20/2/09 01:15  
Blogger lélé said...

A primeira reacção foi uma valente gargalhada, seguida do acto de aumentar a foto para confirmar que os meus óculos ainda estão operacionais... Depois de ler o texto... fica um amargo que teima em não se aprender a gostar...

20/2/09 03:07  
Blogger Justine said...

Começo a ficar assustada - será isto um começo de epidemia?? É que dois com a mesma deficiência já é demais...
Fico na expectativa:))

20/2/09 14:01  
Blogger Licínia Quitério said...

A brincar, a brincar...sempre atento a quem pede água. Pelas velhas razões e pelas novas.

Um sorriso e um abraço.

20/2/09 14:37  
Blogger lilipat2008 said...

Tenho de concordar com o comentário da lélé...com uma brincadeira consegues fazer-nos pensar...espero que este homem (no seu sentido figurado) encontre sempre a água que precisa...:)

bjitos

20/2/09 16:56  
Blogger Arabica said...

Que mais poderiam mendigar os caminhantes - sejam quais forem os seus padecimentos - além da água que os liberta da sua sede de caminhos e ervas? :)


lusos beijos e sorrisos :)

20/2/09 17:06  
Blogger ~pi said...

conheço a mulher ideal para essse homem!

( a garrafa situa-se

precisamente,

na outra perna!! :)





beijos e bom baile de carnaval pra

ambos

( vou enviá-la em correio azul! :)

21/2/09 11:45  
Blogger Fragmentos.Betty Martins said...

._______querido Alberto



um texto______triste. que lhe dás a volta de uma forma soberba_____que é de apanágio teu


"um homem de uma perna só"


_________o problema dele (como já se viu) não consiste na sua sede______...


_______________///


(adorei o teu comentário___também me ri!)











beijO_____ternO

21/2/09 17:37  
Blogger Whisper said...

Água não se nega a ninguém... sobretudo uma água que renova e que sustenta!

Um abraço e bom fim-de-semana!

21/2/09 18:07  
Blogger Maria de Fátima said...

... ... porque me abandonaste?!

22/2/09 02:42  
Blogger Ana Lina said...

Pois!

E eu a falar de saltos altos.

Constrangimentos.

Do humor negro e dos de nossa espécie (ambos géneros), sedentos.

22/2/09 12:22  
Blogger Maria said...

Oh gente da nossa terra...

Bom Carnaval
BJ.

22/2/09 13:44  
Blogger M. said...

Eu rio-me Legível,desculpa mas rio e aqui nem te digo porquê´, que isso são outras histórias. Mas caramba, uma garrafa de água do Luso a servir de prótese? Tu és incorrígivel!!
E o remate final.. saio a rir

Como sempre.

Beijo

22/2/09 17:06  
Blogger esse said...

- Estou? ... Legível?!! Estou a ouvir muito mal... sim...estás onde? ...num barco?...para a América?...Descalço?...Trocaste os sapatos...Olha não percebo nada! Qual patente?

23/2/09 14:05  
Blogger A said...

Olha que é fino... não podia ser "del cano", tinha logo de ser Luso.

Djizazz...


Beijinhos para Almada.

23/2/09 18:48  
Blogger Filomena Barata said...

água, sim dá-se sempre uma "pinguinha d'água" a quem tem sede

24/2/09 12:22  
Blogger L.Reis said...

...eu sei o que é isso de só se percerber a perda no momento em que , abismados, nos desiquilibramos...nesse tarde de mais que acontece resta-nos o aconchego da prótese, bocados de corpo, de alma ou de vontde a fingir...remendos atamancados para ser inteiro outra vez...até que a sede nos torne mendigos, ainda e mais uma vez.
Vou-me daqui a manquejar uma lusa melancolia

24/2/09 14:54  
Blogger dona tela said...

Olhe, Senhor Alberto, não sei se ria se chore. Francamente...
Eu acho é que o tal senhor protésico deveria contentar-se com Água do Fastio que é um nadinha mais barata.
Tenho de ir que pus batatinhas no forno e tenho medo que encolham, como a perna do desgraçado.

Xaaau!!!

24/2/09 15:29  
Blogger Idun said...

amigo legível, espero que tivesses à mão água de luso em quantidade suficiente para matar a sede do viandante. lá pelo jardim, apareceu-nos um gato a miar em estrangeiro. mas esse era mais exigente do que o homem que te bateu à porta e pelos vistos eram alegres os motivos que ali o levaram. pedia-nos, dançando com as quatro patas, que trouxéssemos "tea for the tillerman, steack for the son, wine for the women who made the rain come".
" lamento, amigo - disse a Humana - mas de momento não tenho cá nada disso".
"bem, pelo menos cante-me uma canção" pediu o gato.
"ora, isso arranja-se mas, como estou em fase de ter de poupar palavras...só se for o "fado de uma letra só".

marradinhas amistosas

24/2/09 19:31  
Blogger bettips said...

Destemperado e mordaz, abanas a instituição.
Os Lusitanos agradecem, esfarrapados e sequiosos.
Bjinhos

24/2/09 22:57  
Blogger R said...

Dasse, que história...

24/2/09 23:21  
Blogger Clara said...

Como muchos comentaristas, oscilé entre las risas y la tristeza... un relato muy original, amigo.

25/2/09 14:21  
Blogger tulipa said...

Amigo, vim finalmente espreitar o teu cantinho.
Uma ausência forçada pelo meu novo estado de funcionária que regressa ao activo e acabaram-se os dias e dias à boa vida...não era bem assim, mas tinha todo o tempo do Mundo.
Por acaso hoje não trabalho, mas de agora em diante, apenas ao fim de semana poderei visitar-te.

Custa-me a perceber como é que muitas pessoas «vibram» com os melhores filmes, os melhores actores, as melhores actrizes, etc, quando geralmente nem sabem quem eles são, se lhes perguntarem em que filmes participaram ficarão engasgados...
Quem se interessa por cinema, além de assistir aos filmes, lê muito também sobre as histórias e os actores que estão envolvidos no filme.
Sou cinéfila assumida, adoro filmes!

Beijinhos e votos de boa semana.

25/2/09 16:11  
Blogger JPD said...

Olá Alberto

Como era aquela canção

«Água leva o regador/água leva o regadinho/...»

Edição excepcional.

Um abraço

25/2/09 22:23  
Blogger pin gente said...

gostos não se discutem... eu também gosto de luso.

beijos, alberto

25/2/09 22:37  
Blogger Rui said...

- Nestes tempos de crise, não acha que devia trabalhar a água do cano? Para quê água aditivada, se pode tirar o mesmo rendimento de uma de marca branca? Tenho SMAS, que é um espectáculo! Dá pica! Você havia de me ver a dançar, num vídeo mais a baixo.
- Ah... pois... se tiver que ser...
- Chegue aqui à cozinha.
- Sabe o que dá mesmo pica? O que me faz andar até melhor do que quando tinha as duas pernas?
- Não faço ideia.
- Água Castelo! É ver esta perninha a dar-a-dar e a outra a ficar para trás.

26/2/09 15:08  
Blogger Leonor said...

e que confusãso só dar pela falta quando olha... mas estou como o Rui... àgua del cano nunca fez mal a ninguém.

Boa semana!

26/2/09 17:42  
Blogger Arabica said...

Cócórócócó? :)

26/2/09 22:37  
Blogger Vieira Calado said...

Dei por aqui uma volta e gostei da prosa.

Um abraço

7/4/09 22:12  

Post a Comment

<< Home