Thursday, March 06, 2008

O SEXO, A CIDADE E O GATO






















Escreve-me um leitor (identificado) observando que não se recorda -ao longo do tempo que por aqui vou editando prosa de inequívoca qualidade (palavras dele e que me limito a transcrever) de ler um texto de temática sexual. E interroga-me se haverá algum motivo para tal. O amigo (compreensivelmente não revelo o seu género) tem razão. Nunca escrevi, nem está nos meus horizontes mais próximos, escrever sobre sexo. Revelar-lhe as razões porque não o faço é que fia mais fino: este sítio não é, nem nunca será, um confessionário pessoal, mas sempre vou adiantando que tenho o máximo respeito por todos os que me visitam: das crianças de tenra idade aos idosos mais duros de roer. Na ausência das palavras, deixo a imagem (para os estudiosos de tão excitante e libidinosa matéria) de um recanto licencioso de uma anónima cidade pecadora e com um gato ao fundo abandonando o local, transtornado com tanta luxúria e de rabo entre as pernas.

Granada, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

26 Comments:

Blogger Rui said...

Bartolomeu, o gato, estava cansado. Sentia uma arreliadora moínha que lhe ia da ponta dos bigodes à extremidade da cauda. Procurou um canto licencioso e, sem pedir licença, aninhou-se. Tudo o que precisava - julgava ele - era de um par de horas de sono para que o mal-estar lhe saísse do corpo.
Foi agitado o sono. Sonhou com uma cidade onde gatas assanhadas vagueavam pelas ruas em busca de consolo. Onde todas as fêmeas tinham grandes e intumescidos seios. Onde elas só vestiam mini-saias e generosos decotes. Onde, com apenas um qualquer miado, se conseguía companhia para umas horas de luxúria. Onde as gatas sabiam coisas com que ele apenas tinha imaginado e estavam dispostas a ensinar. Tudo era permitido. E gratuito. Ao atravessar a Avenida Central, uma felidea de cor amarelada saltou-lhe ao caminho.
- Queres cometer uma loucura comigo?
- Uma loucura de que género?
- Do género mais sórdido que for possível.
Dito isto, ela agarrou-lhe pela pata e... Bartolomeu acordou arreliado. Furioso, a espumar pela boca, subiu para uma lata de lixo e miou na direcção do autor: agora que estava a ser bom, é que me acordas?

6/3/08 22:33  
Blogger Maria P. said...

Hum...caso para dizer: aqui há gato!

Beijinhos e :)))*

6/3/08 23:05  
Blogger lenor said...

Não sei se quem não pode com um gato pelo rabo vai gostar disto.
Eu gostei.

6/3/08 23:31  
Blogger Vanda said...

Só pode ser uma cena "censurada" do Cats :)


Beijos a ambos (merecem!!)

7/3/08 00:35  
Blogger Raquel V. said...

Complicado... também não escrevo abertamente sobre tal... mas na prosa poética as entrelinhas muito contam. Ainda que escrever sobre tal assunto não queira dizer que se fale da vida pessoal. Não é tema simples, não senhor...

7/3/08 00:44  
Blogger Joana said...

Excessivamente freudiano para mim!
:)
Gostei da incursão pelo género literário... recatado e bem humorado!

Bom fim de semana!

7/3/08 11:37  
Blogger Helena said...

Olá Legível!

Estava a contar ver-te no Concerto da JKBB, no dia 1... mas parece que tens andado a viajar...

Beijocas Grandes,

Lena

7/3/08 14:18  
Blogger un dress said...

pensei logo na bolinha vermelha mas...não.

tratava-se apenas dos... preliminares.

- ... ah não ?

... não era?

já tinha sido!?



pois, de facto, reparei que a cauda do gato ía relaxada...


... bem talvez então na próxima! :)






abraÇo.beijO ~

7/3/08 16:26  
Blogger mixtu said...

o gato... que andava às gatas...

sexo... quem o tem guarada-o para si e para os seus...

há um que dá prazer, outro é ... tem que se hacer...

sexo, gosto tanto de sexar...

yayya

abrazo serrano, em vésperas de sexar, yayay

7/3/08 21:21  
Blogger JPD said...

Olá Alberto!

Gostei do teu post por estar, como habitualmente, bem construido e por reportar uma cidade que também já visitei. Guardo excelentes memórias dela.
Também gosto de gatos. Tive um siamês que respondia pel nome de Florival...

Um abraço!

Espreita http://agaioladedarwin.blogspot.com sempre que te apetecer.
(Recidivas!)

7/3/08 21:36  
Blogger T S said...

gatos...há que se tranformar em "gata"para perceber os gatos..
beijos
ts

7/3/08 22:04  
Blogger lélé said...

Há ali umas passagens... hum...

sexo... confessionário...respeito... tenra idade...

Claro que o gato...!...

Bem!...

7/3/08 22:30  
Blogger rosasiventos said...

apesar de sabido o ciclo da fogueira,
da queimadura à cicatriz,
recomeçamos sempre e com um beijo:

8/3/08 00:32  
Blogger rach. said...

Bela versão do Sexo e a Cidade... e eu a pensar que ía aos prazeres de eléctrico
:-0)

8/3/08 01:37  
Blogger Gi said...

Que parvoeira que tinha escrito para aqui com gatas, latas, lacas , vacas, vielas, janelas mas faltava-me o sexo pelo que o faduxo era desprovido de qualquer sentido :)

Falta uns dias e a tua produção aumenta. Vou fazer-te companhia mais um bocadinho aqui mais abaixo.

Um beijinho (ou um miau)

8/3/08 16:31  
Blogger segurademim said...

... dirigia-se velozmente para o parque da cidade, nem reparou no maltez, mas este intrigado gritou-lhe do outro lado da rua: Ó Bartolomeu onde vais com tanta pressa????

vou pó campo! respondeu Bartolomeu

fazer o quê?? perguntou o Maltez

... comer ratas

9/3/08 09:38  
Blogger mcorreia said...

primeiro: tenho andado deslocalizada de aqui. Perdão. Ou seja, é a mim que o peço pois fiquei com rios de palavras (des)sentida(o)s e agora bara-lha-me o turista com o gato, a batida de pala com o sexo e o homem papalvamente redescobrindo uma fala de mãos nos bolsos com o círculo com letras escritas onde um casal morador no 1º andar da rua onde o gato foge dos gritos do 2º esquerdo, se rebola fugindo ao frio uqe torna sufocante o estreito quarto da m ulher de saia vermelha e carteira a condizer que veio do país do tio Sam olhar uma montrade roupas caras para comprar umas calças azuis que ofereceu ao rapaz com quem andou numa borga safada depois de fazer umas festas ao gato que lhe roçou a saia vermelha (as esta era a mulher do americano que viu o avião cheio de turistasd todos de cor de laranja)
Confuso? é só para mostrar o que acontece quando fico deslocalizada de aqui uns poucos de dias...

9/3/08 10:17  
Blogger Leonor said...

pois hoje só pode ser miaaau

9/3/08 11:22  
Blogger tufa tau said...

não fosses tu falar no gato, nem dava pela sua presença... como sabes que não é uma gata?

9/3/08 12:04  
Blogger L.Reis said...

Como? Perdão?!! Nunca escreveste um texto de temática sexual??! Então e aquelas posições suspeitas do casal do "Pequeno almoço com música" e aquela conversa sobre o bolo da Berta? Não era sexual? Então e aquele texto que metia canadianas e portuguesas, no "Equílibrio estável"...aquilo, afinal, tb não era sexual??! Então e aquela promiscuidade dos dois marcos de correio a conviveram na mesma esquina, enquanto o D. José cavalgava tb não? E vais-me dizer que aquela coisa do outro se atirar ao rio com o tacho de frango e arroz tb não era uma metáfora sexual???!! Hein, hein? E já nem falo da história da cadeira eléctrica, com os seus estímulos parasexuais...Meu deus!! Será que afinal o papel de fantasia foi este tempo todo um instrumento de prazer dessexualizado, insexualizado, asexualizado???

9/3/08 14:12  
Blogger ~pi said...

ronronron

... mi

au... @@@@@@@@@@@@@@@@@

... mi

au... @@@@@@@@@@@@@@@@


... mi





:)

9/3/08 21:05  
Blogger Idun said...

Poltrão, o gato grafiteiro, não estava "nos seus dias": a frase que, desde manhã cedo, estampara em várias paredes da cidade, e que muito lhe agradava - DEÊM UMA OPORTUNIDADE À PAZ - não lhe parecia que se adequasse devidamente a este recanto. e aquele fulano, ali, quee nunca mais se despachava a fotografar sabe-se lá o quê!...enquanto magicava no que haveria de escrever, os seus olhos pousaram-se nas palavras que Artur, o gato vadio,ali tinha escrito em tinta vermelha, ainda fresca: O POLTRÃO GRAFITEIRO É GUEI. ainda por cima, o estúpido nem sequer sabia escrever inglês...
cabisbaixo, Poltrão desceu discretamente a rua, esperançado de que, ao menos, a frase escrita pelo Artur não ficasse registada na foto...

9/3/08 22:58  
Blogger Idun said...

corrijo: que, em vez de quee
escrever em inglês, em vez de escrever ingles

é o que dá, uma felina fazer cometários á pressa.

9/3/08 23:03  
Blogger Justine said...

Entrei sem pedir licença,mas a ironia do texto deliciou-me. Se não for expulsa, voltarei outras vezes

10/3/08 17:49  
Blogger Ida said...

Já ia perguntar pelo gato, quando chego ao fim do texto e lá está, rabo entre as pernas e quase qual rabo nem nada... não dá mesmo pra falar de sexo assim!

Agora a escolha da foto foi tudo! Ainda por cima em Granada, cidade tão sensual...

Beijos felinos, Senhor escrivão, que eu, por meu lado, vivo em uma cidade cheia de gatos e sexo e drogas e swing e morros e mortes e...

10/3/08 23:27  
Blogger Ruela said...

SECHUAL TOUX ;)

11/3/08 22:13  

Post a Comment

<< Home