Saturday, January 26, 2008

EQUILÍBRIO ESTÁVEL
















Era uma mulher com sofreguidão de conhecimento. Os factos mais inconcebíveis não a perturbavam: antes, não descansava enquanto não lhes conhecia as causas e efeitos. O cidadão que caminhava à sua frente, possuia apenas uma perna, não se apoiava sequer a uma bengala e -estranhamente, não saltitava. Não tardou muito que Adozinda Maria estugasse o passo e, lado-a-lado com o perneta, lhe inquirisse com o ar mais natural deste mundo "O senhor vai-me desculpar, mas faz-me uma imensa impressão vê-lo andar sem outro auxílio que não seja apenas o do seu próprio corpo. Já pensou em amparar-se a duas canadianas?" Ele parou, olhou-a com um sorriso desalentado e respondeu "Pensar não pensei, mas que havia de ser bom, disso não tenho dúvidas. Mas... já me chega a portuguesa que tenho lá em casa, que não é nada dada a dividir amparos.

Lisboa, 2008. Texto e foto de Alberto Oliveira.

...............................................................................................

Como os leitores já repararam (sobretudo aqueles que conseguem ler a "letra minúscula" da publicidade que não se pretende lida) ainda não foi hoje que o prometido texto sobre a "cadeira eléctrica" foi editado. Desta feita, e porque ao terrífico zingarelho executor de corpos e almas (e depois de reparada a avaria) lhe foi adicionado um rodado -para mais facilmente se deslocar de execução em execução, ao sair da oficina (sita ao cimo da Calçada da Ajuda), o técnico seu reponsável, num momento de distração, permitiu que a cadeira descesse, desgovernada e em alta velocidade, em direção ao rio, perdendo-a de vista. A PJ tomou conta da ocorrência e o autor pode dormir descansado.

27 Comments:

Blogger mixtu said...

perneta...

e a maria dele que o não deseja orientar...

por acaso nunca conheci uma canadiana, devem ser como as am(a)ricanas

yaya

abrazo serrano

26/1/08 22:07  
Blogger lélé said...

Quando as pessoas não se movimentam da mesma forma que nós, parece termos uma certa tendência para dar maus conselhos!...

26/1/08 23:32  
Blogger ~pi said...

ai a sofreguidão ...de conhecimento!! :)

tadinho dele que não podia fugir!


que entre outras coisas é do que servem as canadianas:

1. fugir a três pés das ávidas de conhecimento!

2. facilitar... ou adoçar hum...significativamente a vida!




:)

27/1/08 13:58  
Blogger Vb said...

Mas com tanta oferta disponível e mais acessível porque raio se foi a mulher lembrar de duas canadianas...??
Brasileiras..russas e inclusivé portuguesas não serão melhor amparo?
Um abraço!

27/1/08 20:46  
Blogger Gi said...

Soltou-se-me uma gargalhada sonora e bem que estava a precisar dela :O)

Pobre Adozinda, ela dá conselhos porque ninguém lhos compra ...

Um beijo e um sorriso

(a história da cadeira é que me desiquilirou, tenho que cá voltar para ler os posts anteriores, fiquei curiosa ... como a Adozinda percebes? :) )

27/1/08 23:59  
Blogger segurademim said...

... a PJ a tomar conta de quê????

mais vale entregar a tarefa à Adosinda que é perspicaz e vai directa ... ao que interessa!!!

28/1/08 12:01  
Blogger inominável said...

eu cá, nem canadianas, nem amaricanas, nem mesmo portuguesas... o melhor é mesmo confiar apenas nas próprias pernas, ou nos pássaros que trazem labaredas no bico...

adorei o post...

28/1/08 13:47  
Blogger un dress said...

oh...então e não é que o homem...?

olhei mais de perto e de facto

o que está ele a fazer com a perna assim... que não consegui perceber!??

eu acho que a adozinda o convenceu a fazer uma demonstração qualquer...só não sei de quÊ!


mas vou investigar ai vou!
que às vezes também tenho umas crises de investigação cognitiva no...terreno!

daí nasce a luz...não, não nasce...normalmente, não nasce nada!:)





beijO.abraÇo.mil :)))

28/1/08 14:14  
Blogger alice said...

desculpe vir acordá-lo menino legível, é para avisar que está lá em baixo um agente à paisana a multar a sua viatura por falta de estacionamento conveniente. diz também que lhe vai apreender a carta de condução da cadeira :)

beijinho grande. boa tarde :)

28/1/08 14:35  
Blogger Rui said...

- O senhor fez-me rir com essa - disse Adozinda, puxando as meias para cima, que era friorenta e aquele sol de inverno não a estava a aquecer. - Eu gosto de uma boa piada.
- Antes assim, que eu também gosto de me rir.
- Ai é? Sabe a estátua que está ali no meio da praça? Não, não pode olhar para lá - disse ela, puxando o homem pelo braço, antes que se virasse. - Qual é a pata direita do cavalo de D. José?
O homem da perna única hesitou: se respondesse certo a coisa não tinha piada.
- Ora, disparate, é a direita.
- Ah ah ah ah - Adozinda apoiou as mãos nos joelhos, tal eram as dores que a vontade de rir lhe estavam a provocar. - Não... não... é a esquerda, ora olhe para lá.
O homem virou-se, mas o 46 da Carris, engarrafado no trânsito de fim de tarde, não deixava ver nada. Nisto a porta das traseiras do autocarro abre-se e uma cadeira eléctrica, toda encharcada, sai aos trambolhões.
- Algum dos senhores tem uma toalha turca - pergunta ela para o perneta e para Adozinda que, embasbacados, nada conseguiram dizer. - Caí ao rio e estou ensopada, se não tenho cuidado, ainda me dá um curto-circuito e depois é que nunca mais entro num post do Legível.
Adozinda recuperou do choque - salvo seja - e, virando-se para o uniperna, disse-lhe: - O senhor não me leve a mal, mas eu vou fugir daqui a sete pés! - e desatou a correr na direcção da Rua do Arsenal.
- E eu também. Oh perna para que te quero - e lá foi ele a dar ao membro, Rua da Prata acima.
Ainda a pingar, a cadeira dirigiu-se ao Martinho da Arcada. Talvez ali a conseguissem ver tal como ela era: uma Cadeira Ecléctica.

28/1/08 14:40  
Blogger fronteiras said...

Tanta coisa a lembrar outras prevalecem. Fico por aqui, continuo a ler.

28/1/08 15:41  
Blogger bettips said...

Tens a imaginação e a fantasia...
Abençoadas.

As caucasianas.
As africanas.
As mistas.
As místicas.
Safam-se as orientais por terem (já) os olhos em bico, antes de te lerem!
As mulheres são todas umas curiosas.

Sempre entendes a memória como a entendo. O que não quer dizer que me não perca nos campos minados dela, às vezes.
Bjinhos

28/1/08 21:51  
Blogger lenor said...

És um rapaz bondoso, legivel, a pores na boca da Adozinda Maria, com aquelas palavras, uma sugestão que aliviaria a aflição que se instalou ante tal visão.

29/1/08 00:58  
Blogger luci said...

procurava...

uma laranja mordida

e um

beijo

meio dado...



por acaso...viu!?

...a adozinda?

...no avental??

ah ok vou descer!! :)

29/1/08 14:40  
Blogger tufa tau said...

é bom saber que vai adiando essa ideia luminosa!

as portuguesas são moças muitos cuscas, não são?
e são mesmo burrinhas, não são?
empurram os homens para outros ombros!


abraço

29/1/08 21:16  
Blogger tufa tau said...

desculpa... voltei, para dizer que o pedro branco não vai tocar por estes dias em lisboa.

29/1/08 21:18  
Blogger margarida já muito desfolhada said...

pois parece-me que a cadeira também precisa de umas boas canadianas para cá chegar...

30/1/08 01:56  
Blogger Maria P. said...

A esta hora sabe bem este excelente humor!*****estrelas!:)

Beijinho e sorrisosssssss*

30/1/08 22:18  
Blogger isabel mendes ferreira said...

a sorrir.


da arte de saber fazer um sorriso com uma inteligência Equilibrada e muito muito estável...:)


diria que permanente.

o que é um fascínio-

beijo.



duplo.

31/1/08 11:39  
Blogger M. said...

O teu sentido de observação (tomada nos dois sentidos) é notável.

31/1/08 14:50  
Blogger Tó Gomes said...

muletas

31/1/08 15:30  
Blogger Idun said...

aposto que a cara-metade do sujeito também só tem uma perna. a direita.

amigo legível, quando é que o tão prometido post sobre a cadeira eléctrica vem parar ao papel de fantasia? ando a precisar de ler textos que me animem...

gatafunhos&arranhadelas& até já

31/1/08 17:11  
Blogger mixtu said...

só a informar que o socrates viu o teu blog e anda à procura do gajo para lhe dar uma perna...
yaya

abrazo serrano

31/1/08 17:21  
Blogger Azul said...

Ora viva, como está o meu mais ilustre fã? Pois já li o homem de única perna e, como sempre, achei piada, fez-me sorrir como é costume seu.
Venho também deixar-lhe mais um repto. POis, abri outro lugar aqui na virtualidade - terra de todos os sonhos - para começar a divulgar um projecto de carácter profissional. Gostaria muito que passasse por lá, pois confio na sua leitura e no seu discernimento para opinar seriamente sobre o que lá digo e sobre aquilo a que me proponho. Agradeço-lhe a disponibilidade que tem tido para mim, e é por ela que me atrevo a tanto.

www.vinculoL.blogspot.com

um abraço para si. Até breve. Azul.

31/1/08 21:55  
Blogger manhã said...

ehehe, um perneta, uma cadeira eléctrica e fico a pensar como então andava o homem? mistério.

31/1/08 22:56  
Blogger L.Reis said...

Neste momento já sou capaz de apostar com quem quer que seja que tu serias capaz de inventar o riso e as histórias mais desvairadas, a partir do absoluto nada...

1/2/08 22:38  
Blogger Ruela said...

é a denominada "chata"

3/2/08 16:59  

Post a Comment

<< Home