Thursday, February 21, 2008

DA MENSURABILIDADE





















Hoje faço uma pausa, tiro-me do riso e franqueio as portas da minha actividade principal a quem neste local se detém e faz o favor de me ler, convicto de que será -no mínimo curioso, saberem algo mais sobre o autor dos escritos fantasiosos que neste papel se vão publicando. Se a vossa suposta curiosidade não passa pela minha pessoa, não percam tempo: de manhã, levem a família ao jardim Zoológico, almocem no Gambrinnus, passeiem de teleférico no Parque das Nações, lanchem nos pastéis de Belém e acabem a tarde de sábado no centro comercial Amoreiras. Depois disso, se conseguirem chegar a vossa casa no domingo à noite, têm bilhetes à borla para o meu próximo concerto. De facto, a imagem que vos deixo, refere-se a um momento de aquecimento da banda onde actuo, antes da participação no XCVII Festival de Rock de Alcanena . O primeiro da esquerda na foto, é o Márcio, brasileiro de Curitiba e que chegou com a intenção de tratar dos dentes aos portugueses, deu-lhes cabo dos ouvidos tocando trompete (no JazzAqui da Pontinha) e acabou em teclista. Trajando de negro (é daltónico assumido) e não deixando ver o rosto por via de um hematoma no olho direito (assegura que deu uma queda em casa após um animado debate musical com a companheira) , temos Renato o Gato (é assim que as nossas assanhadas fãs lhe chamam) que dá a voz às lyrics do nosso repertório. De costas para a objectiva, Martin Ganso, o virtuoso da guitarra e da velocidade sem bola nos pés, nos tempos em que alinhava a lateral no Desportivo do Alto do Pina. Na bateria, de pé(!?) este vosso criado, Deodato Efe de meu nome artístico, de estatura abaixo da média, mas com enorme potencial para a música. Recordo que este concerto ficou marcado por um episódio caricato com um espectador. Já o nosso alinhamento ia a meio quando um tipo grita da segunda fila: "Ó da bateria! não te consigo ver!!" Não desarmei e respondi-lhe com outra pergunta:"Vê lá se me queres oferecer uma cadeira?!" E o outro para mim: "Ofereço-te pois! Uma cadeira-eléctrica!!"


Nuremberg, 2007. Texto e foto de Alberto Oliveira.

22 Comments:

Blogger Luz said...

Sempre a dar música ;) Mas Nuremberga fica um cadinho fora de mão para ir assistir ao concerto... Se bem que a cadeira eléctrica, com este frio, até dava jeito...
Bjinhos e bom fds :)

22/2/08 18:37  
Blogger tufa tau said...

ó legível... tinhas que vir com a cadeira?

22/2/08 21:52  
Blogger lélé said...

Não digas!!!... O tipo sabe onde está a cadeira eléctrica?!... E deixaram fugir tão preciosa informação?

O Michel Petrucciani ainda ganha (em altura e para baixo) ao Deodato Efe. Toca piano (de estatura normal) como poucos. Nos concertos, no início, alguém o levanta e senta no banquinho, no final, de saída, faz rappel...

22/2/08 22:59  
Blogger L.Reis said...

...cheira-me a nádega esturricada...

22/2/08 23:42  
Blogger lenor said...

Sei lá, talvez um metro e quinze, um metro e trinta. Hum?

23/2/08 00:28  
Blogger bettips said...

Ah...os pequenos cantores de Nuremberga!!! "Aquasi" que acreditava quando comecei a ler ...
que és como os painéis, tão conVincente.
Abçs

23/2/08 00:47  
Blogger anónimo said...

está cheio de sorte quem tiver que pagar o teu caixão, vai certamente custar menos que a maioria dos caixões.

23/2/08 02:00  
Blogger Poesia Portuguesa said...

eheheh... não deixei de rir... só tu mesmo!

Um abraço e bom fim de semana ;))

23/2/08 11:21  
Blogger segurademim said...

... e com elevador giratório

ena pá isso é que era!!!! tu a surgires debaixo do palco na cadeira eléctrica cheio de correntes e atilhos

giravas, giravas, giravas ...
qual foguetão lunar eras lançado e entravas em órbita...
para descanso dos assistentes!!!

23/2/08 12:55  
Blogger un dress said...

que os homens nunca
se medem aos palcos...

( parece mal e devem ser olhados
bem de frente!
hum.......pois...sei, mas não faz
mal

nenhum... cravar as órbitas
no cabelo...! )

bem, mas dizia então, sobretudo os músicos, que na música

ser pequeno até pode ser...dintintivo e

blá blá blá...............blá...>






abraÇo.beijO

[a esticar o pescoço pra olhar :)

23/2/08 14:03  
Blogger Leonor said...

?!#*#?*******

23/2/08 18:03  
Blogger isabel mendes ferreira said...

e da música nos in.vestimos para voar.

para terras onde muito é possível.




um abraço.

Seguro.

23/2/08 20:47  
Blogger samartaime said...

Hoje, outra coisa me tráz aqui.


«Não mais a natureza ou o Estado, ou uma qualquer religião a decidir sobre a vida e o futuro das mulheres, mas elas próprias.»


Madalena Barbosa

Faro, 1942 - 2008 , 21:FEV, Lisboa

23/2/08 22:53  
Blogger Vanda Baltazar said...

De Nuremberga a musica só pode ser boa :)

Ou pelo menos, foi assim que senti :) no fim do concerto :))

Fui ao rubro com as duas melodias finais :) No tempo certo :)) Que ritmo ;)

Foi daquelas vezes em que até superei fácilmente, não ter gostado do concerto QUASE até ao fim :)

Bom domingo para ti!

24/2/08 02:34  
Blogger mcorreia said...

ando um tanto desalinhada
algum pormenor me fugiu...
a cadeira eléctrica assim atirada a um palco...nada me diz
mas o nosso Deodato...
ah! homem do camandro! deve ter encolhido por mor de tanta água que lhe entrou na casa no fds pobre coitado do Deodato!!!

24/2/08 08:21  
Blogger nana said...

mas é quando que se pode confirmar toda a tua originalidade ao vivo?

fiquei sem perceber.....






x

24/2/08 10:38  
Blogger Ruela said...

luzes...som


1
2
3



vamos partir isto tudo!!!!


;)

24/2/08 22:21  
Blogger Presença said...

Alguns choques aqui senti...
bjo carinhoso

boa semana

24/2/08 23:55  
Blogger ~pi said...

será então agora

o

churrasquinho!!?

estava a ver que nunca mais!


... mas haverá um franguinho

mais... bem... volumoso, certo?!




:)

25/2/08 00:03  
Blogger Lóri said...

Ó senhor escrivão, isto já parece uma obsessão, ou será que está com aquele tal distúrbio bi-polar? É que, mais post, menos post, há sempre a cadeira elétrica a eletrizar-lhe o discurso. Mas esta do baterista, tá sensacional! Tou a aguardar pra breve a da guilhotina! Beijos de beira-mar que o país em breve se afoga em pingos, aqui e aí.

26/2/08 00:19  
Blogger Gi said...

O ditado diz que homem pequenino ou velhaco ou dançarino . Esse aí é músico só para conrariar... que mania de ser diferente! :) "Tás" a dar música ao pessoal, "tás, tás" :)

Andava aqui a perguntar-me onde andaria a famosa cadeira eléctrica há tanto desaparecida e cá está ela, no meio de uma plateia entusiástica . Aguardo seguimento atentamente.


(Gostas mesmo de sofrer :) )

Beijinhos


P.S. (peço licença ,Legível)

Lélé - o Michel Petrucciani tocava ... morreu em 99.

26/2/08 00:51  
Blogger Rui said...

Agora tocas na banda do Makukula?
Viu-se quem deu música em Nuremberga. Deixá-los acreditar e depois, pimba, um Requiem em dois minutos.
E Braga por um canudo, para não desafinar muito.

26/2/08 12:20  

Post a Comment

<< Home