Thursday, October 26, 2006

DO TEMPO QUE JÁ FOI

















O rapaz de boné azul parou, virou o torso e os seus olhos ficaram a acompanhar a trajectória das duas jovens que se tinham cruzado com ele. Uma delas, a de óculos, tinha sorrido a uma frase que ele lhes lançou na altura. Não me perguntem o que ele lhes disse que a minha posição -algo distante em relação à cena, não me permitia ouvir as conversas das pessoas na rua; apenas a amálgama indistinta dos sons da grande cidade chegava até mim. As jovens não se chegaram a cruzar com o rapaz de polo cor-de-salmão, cuja atenção estava desperta para algo que a imagem não documenta e que eu não descrevo pois se poderia perfeitamente imaginar que de ficção se tratasse. Fiquemo-nos então pela realidade da foto. Também nela, o casal à esquerda em primeiro plano, de mão-dada e sorrindo, pretendia caminhar na minha direcção. Escrevo "pretendia caminhar" e não me engano; numa fotografia, as pessoas não têm vida própria. Ficam ali para todo o sempre, prisioneiras das nossas memórias, da nossa imaginação e por vezes até da nossa manipulação. Todos os intérpretes desta cena fotografada estão nessa condição e nada poderão fazer para dela se libertarem. Tão pouco, posso voltar atrás no tempo, não ter tirado a fotografia e tê-los deixado irem à sua vida naquele momento. Se a memória (e a visão) não me atraiçoa, creio ter percebido um gesto de inquietação na face do homem do casal da direita, também em primeiro plano. Daí, ter quase puxado a mulher para tentarem sair a tempo da imagem. Impossível de todo; disparei um segundo antes...
Barcelona, 2006. Texto e foto de: Alberto Oliveira.

37 Comments:

Blogger Maite said...

Caro Legível

Eu disparei o 1º comentário :)))

Volto mais tarde para ler mais sossegadamente

Boa tarde para si

26/10/06 14:25  
Blogger Teresa Durães said...

Ficam ali para todo o sempre, prisioneiras das nossas memórias, da nossa imaginação e por vezes até da nossa manipulação.

exacto, mesmo que se chame Do tempo que já foi

Havia mais gente nessa fotografia que não relataste, reparaste? Mas estavam lá. Distantes. Sem terem interferido no teu post

Boa tarde para ti e, mais uma vez, gostei do que li

26/10/06 14:50  
Blogger Joana said...

"Ficam ali para todo o sempre, prisioneiras das nossas memórias, da nossa imaginação e por vezes até da nossa manipulação."

Eu adoro fotografias. Aliás eu adoro ver fotografias. São optimo exercicio de memoria.
Gosto daquelas em que estão os meus amigos e eu apareço a sorrir, são uma prova de que fui feliz naquele frame, naqueles segundos. O meu melhor sorriso e as pessoas que mais amo... conforta-me e dá-me esperança nos dias em que ela escasseia!
Beijo
Como sempre um post para todo o sempre, como as fotos!
:)

26/10/06 15:44  
Blogger Sofia said...

Sempre gostei de ver fotos, pelos momentos que eternizam, pelas estorias que nos sugerem, por nos fazerm voar, sonhar.... ctg aprendi ainda a apreciar a arte da fotografia. Agora dou-me conta, quando olho uma foto, a imaginar uma estoria à Legivel. E acabo sempre a sorrir!

bjs

26/10/06 16:00  
Blogger bettips said...

Muito passo (as viagens dos meus sonhos...) e raramente comento, tudo me parece repetitivo. Ou seja, escreves maravilhosa/precisa e acutilante como a tua mente ? com a emoção ou desamor na ponta dos dedos. Mas hoje tenho de dizer-te que fotografias tuas são BENS que repartes. Quanto ao "manual" cadé?

26/10/06 17:34  
Blogger Pilantra said...

- Legíveeeele! ó legíííível! ó compadre.. éh! olha para aqui maluco!
ó Legííveel! óóóó! Tás zonzo ou quê?

- O quê?!

- Quê???! Eu logo vi! O gaijo zonzou! Tás quê o tanas!

27/10/06 01:42  
Blogger butterfly said...

Muito bom mesmo, a manipulação da imagem através da imaginação.

27/10/06 02:57  
Blogger Seila said...

o poder do nosso "retrato" sobre o momento, o instante da vida é algo que me impressiona - como podemos, hoje, termo-nos "vivos" no futuro instante a instante. O "filme da vida" a ser filmada em constante.
Tem um bom fim de semana.

27/10/06 09:27  
Blogger Maria P. said...

Fotografar, afinal mero acto de manipular, curioso...!

27/10/06 09:50  
Blogger Marco Ferreira said...

Para ti que gostas de fotos visita o blog "O mundo visto por os teus olhos".

marinheiroaguadoce a navegar

27/10/06 10:10  
Blogger Sea said...

do tempo que já foi e já não volta?
beijo

27/10/06 12:28  
Blogger musqueteira said...

...e o papel? também não se apaga no decorrer dos dias? e as peliculas?...e tudo o resto?
ah... e como vão as cores não dos bónes, mas nas telas?;)

27/10/06 13:38  
Blogger Rui said...

Foram salvos.
Ali gravados, não vão envelhecer. Para todo o sempre assim permanecerão.
Os saudáveis não vão adoecer e os doentes não vão adoecer mais. Os que choravam não vertem mais lágrimas e os que riem sorrirão sempre.
Como em tudo, uns estão melhor que outros: uns ao sol e outros à sombra. Só não sei é onde se está bem.

27/10/06 14:03  
Blogger passarola said...

gosto do movimento que dás às tuas imagens.
gostamos os dois de ler.. de teatro..de usar a imaginação.. de escrever.. acho que ainda nos vamos cruzar por aí.. :)
entretanto já percebi que o piano branco da farmácia açoreana é tocado às vezes às sextas à hora de almoço e sempre, ao final do dia da última quinta feira de cada mês..
Muito sol paratitambém.. e um bom fim de semana!!

27/10/06 15:17  
Blogger Maite said...

Caro Legível

Hoje estou muito preguiçosa para escrever por isso, tomo como minhas as palavras do Rui (espero que ele não fique zangado por esta minha ousadia)

Tenha uma excelente tarde

27/10/06 16:53  
Blogger Isabel said...

Gosto da tua maneira de olhar.
Gosto da forma coumo deixas o olhar pousar nas coisas.
Gosto de como escreves o que o teu olhar te mostrou.
Gosto muito.

Isabel

27/10/06 18:19  
Blogger Ricardo said...

Depois da leitura da tua prosa, fiquei a olhar para a foto à espera do degelo...
Abraços

27/10/06 19:01  
Blogger lélé said...

e assim consegues provar que não é o tempo que passa por nós, mas nós que passamos pelo tempo... normalmente a correr... a voar... a jacto...

28/10/06 00:00  
Blogger Velutha said...

e aqui ficarão prisioneiros nas tuas memórias. Não envelhecem, não adoecem, não partem...
farão parte da tua vida, das tuas fantasias, dos teus sonhos ... porque a vida é feita de instantes destes.
Também eu fiquei feliz com o instante em que passaste pelo meu canto e lá deixaste palavras bonitas.
Eu amo o mar...eu amo a vida...eu amo os amigos
Beijossssssssssssssss

28/10/06 09:57  
Blogger dreams said...

a fotografia torna etern um momento... que não é mais que isso... um momento capturado no tempo...
e mesmo que percam as cores, que fiquem amarelecendo, os seus interpretes ficarão sempre cativos no meomento... um momento...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

28/10/06 11:38  
Blogger Spiritman aka Bacardiman said...

Pois, e o problema surge quando alguns fazem da sua vida a fotografia da de outros o que me leva a pensar que nem uns nem outros têm vida própria!

Vida própria só mesmo os AutoBlogs!!! Lool!!!!!

Nota: volto sempre que posso, mas cada vez menos, até ver...

Cumprimentos mixed by Jameson 12 anos!

28/10/06 16:38  
Blogger Kalinka said...

BOA TARDE DE SÁBADO soalheiro, antevendo a habitual noite da mudança da hora cá em Portugal.
LI-TE: apenas a amálgama indistinta dos sons da grande cidade chegava até mim. E que cidade!!! BARCELONA.

ADORO FOTOGRAFAR. Nunca tinha pensado nisso: numa fotografia, as pessoas não têm vida própria. Ficam ali para todo o sempre, prisioneiras das nossas memórias, da nossa imaginação e por vezes até da nossa manipulação.

Amigo, para mim é impossível não ficar cheia de nervos, quando sei que durante a semana não posso visitar os meus Amigos dos blogs e...

28/10/06 17:41  
Blogger Kalinka said...

e...não gosto de faltar ao prometido. Desde que regressei ao trabalho, que vi ser impossível comentar nos blogs dos amigos durante a semana, e... chego ao sábado e zás... problemas com a ligação da internet e ao servidor dos blogs. Dá para FICAR ROXA DE RAIVA.
Depois, está um lindo dia de sol, só que como planeei ficar em casa, não fiz planos para sair e curtir o sol...
Finalidade: poder fazer o meu post habitual dos sábados e visitar os meus Amigos e... estar em frente ao computador durante 3 horas e não conseguir abrir nenhum blog conhecido, é DOSE... tb não consegui ainda postar o meu artigo dos sábados, é DOSE...
Sinto que é um dia completamente PERDIDO... e, isso complica os meus nervos, pois não estou tão folgada assim, para desperdiçar uma tarde de sábado.
Espero que AGORA consiga introduzir o meu comentário, pois já por 3x que aqui escrevi e não entraram. Dia de azar...

28/10/06 17:52  
Blogger alfazema said...

e ali ficarão para sempre com a mesma idade, o mesmo rosto,a mesma cor de cabelo, o mesmo andar...e o tempo não interferirá com as suas marcas...
Momentos para mais tarde recordar...e uma lágrima rolará na face.
Beijinho e bom domingo.

29/10/06 09:23  
Blogger doistons said...

Olh`ó passarinho... e a máquina registou o momento, eternizou o gesto e tudo o mais.cativos do tempo assim permanecerão para todo o sempre.
Beijo

29/10/06 09:25  
Blogger Licínia Quitério said...

Querias fixar o momento? Querias?
Não podes. Já não é.

P.S. A história que me contaste sobre as memórias é liiinda. Obrigada.

29/10/06 09:59  
Blogger A. said...

"Ponho-me a olhar as fotografias. Conheço as caras e não as conheço, congeladas a meio de uma expressão com qualquer coisa de incompleto nelas. Não é que lhes falte vida, têm vida, falta-lhes uma parte do que são, no caso de lhes tocar toco papel, não carne e ainda por cima, em algumas delas, com um rectângulo de vidro a separar-nos. Só os mortos estão inteiros nos retratos, porque se tornaram retratos, são retratos, e o que guardo na memória vai-se desarticulando, diluindo, deixando de ter forma: gestos, atitudes, cheiros que se desvanecem lentamente como o perfume nos frascos vazios que conservam uma vaga aura adocicada de flores.No caso dos vivos encontro fragmentos deles que me não chegam nem consolam. Olham-me desprovidos de voz e de espessura. Digo-lhes o nome e não respondem."
(A.Lobo Antunes)






...faz tempo.e de tempos a tempos lá nos vamos olhando...assim...de longe.A diferença...é que me tocas.



Azulando por aqui.beijos meus.

29/10/06 13:26  
Blogger PiresF said...

Nunca tinha visto a coisa assim. Talvez porque nunca calhou, ou então, não achei que valesse a pena, sei lá...

Gostei desta viagem, ou melhor dizendo, desta dissertação sobre prisões de memórias.

Abraço.

29/10/06 18:16  
Blogger Rach said...

Quase me perdia na tua história.
És mesmo um Cervantes do instantâneo. A luz e lentes utilizadas são muito boas
:-)

29/10/06 20:42  
Blogger a rasar o ceu said...

ainda bem que gostou...:)))))


boa semana.


___________________beijos.


eu gostei bastante do que li. aqui e na Cici....

29/10/06 21:27  
Blogger mixtu said...

oh,, um segundo depois ou antes... o momento, o tempo... interpretações...

sempre presos em memórias... libertai-os,,,

beijos europeus

29/10/06 23:10  
Blogger Luigi said...

Um belo momento kodak, para recordar agora e mais tarde. o movimento do tempo passa popr nós quase sem nos apercebermos. Esperemos que permaneçam de mãos dadas indefinidamente

30/10/06 00:17  
Blogger Clara Hall said...

Caro legível

Indisponibilidades várias fizeram-me decidir ficar por aqui na minha experiência bloguística. Não queria, no entanto, deixar de te agradecer o interessante contributo que deste ao Polissemias nos últimos tempos.
Evidentemente, continuarei a ler-te aqui com muito prazer e sempre que me for possível.

Bom dia e muito obrigada.
:)

30/10/06 10:40  
Blogger tb said...

gostei!

30/10/06 17:32  
Blogger Estranha pessoa esta said...

..
E eu que descobri estas linhas hoje... fiquei aprisionada.

31/10/06 03:19  
Blogger batista filho said...

esse é um daqueles que podes selecionar: mui belo, mui belo mesmo!

batista filho
http://ilhamutuns.zip.net

1/11/06 03:48  
Blogger Krama said...

Barcelona,
Linda cidade, lindas histórias vividas, muitas pessoas e um amor natural.
Pessoas que ficam e pessoas que vão sempre, num eterno recomeçar.
bjos

2/11/06 13:24  

Post a Comment

<< Home