Wednesday, August 30, 2006

O CANDIDATO AUTÁRQUICO
















Era um modesto empregado bancário de quase quarenta anos e tinha a perfeita noção que na carreira profissional nem a gerente chegaria, daquela quase anónima filial para onde o tinham desterrado há muito.
Mas no partido, o percurso estava a ser fulgurante. Se apenas há meia-dúzia de anos se tinha oferecido para colar uns cartazes por altura de umas eleições legislativas, ei-lo, na actualidade, a dirigir uma reunião regional com a maior das naturalidades. Tinha boa presença, era fluente e o seu entusiasmo contagiante; porque fazia fé nas teses partidárias e nos seus dirigentes máximos. E isso era suficiente para o fazer esquecer das suas limitações em áreas do conhecimento e das competências.
As cúpulas já o tinham sondado antes. Mas com a aproximação das autárquicas a questão colocava-se de facto; ele era o homem certo para liderar a lista do partido naquela cidade. Nesse momento, as suas convicções sentiram-se ligeiramente abaladas. Embora contrariasse a política do partido oponente que detinha a gestão camarária -porque na política as coisas são mesmo assim... , a verdade é que ele próprio se sentia bem naquela cidade e que nada de essencial ou estruturante precisava de ser mudado ou... prometido; que são duas coisas totalmente diversas. Pela primeira vez (em matéria da sua actividade política... ) aconselhou-se com a sua mulher. E ela foi peremptória. «Querido, não hesites. Vai em frente, que tu tens cabeça até para cometimentos mais altos. Diria mais; tens uma grande cabeça!»
Veneza, 2006. Foto e texto de: Alberto Oliveira.
Clicar sobre a imagem para ver o... essencial.

34 Comments:

Blogger dreams said...

tecnicamente perfeito...

:)

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”
(criatura da noite)

30/8/06 15:01  
Blogger weg said...

:D

quem fala do que sabe não diz asneira, comentaria eu a quem deu o conselho.

gostei, claro.

30/8/06 15:37  
Blogger Teresa Durães said...

como na política, tinha a tal cabeça, não implicasse que a usasse!

Gostei!!!

30/8/06 17:03  
Blogger Licínia Quitério said...

Tudo isso porque o senhor se chama GLAND. Gente culta... Aqui ninguém daria por isso. Só os marranitos no montado. E esses na votam.

30/8/06 17:23  
Blogger passarola said...

muito fixe!!! Sim senhor..Monsieur Gland à presidência..eu voto!!! ;)

30/8/06 17:49  
Blogger MC said...

És um malvado, Alberto Albertto!!!

Mas está do melhor.

Fina ironia, certeira.

Mas o que fará um partido, desgostar do seu candidato? È mesmo falta de obra? Ou é obra a mais?

30/8/06 19:07  
Blogger Teresa Durães said...

(vim trazer um pacotinho de lenços de papel para as eventualidas....)

30/8/06 22:10  
Blogger Teresa Durães said...

ah... e cobrar a dívida generosa

30/8/06 22:11  
Blogger Maite said...

Caro Legível
Hoje só passei para lhe desejar uma boa noite. Volto amanhã para ler as suas histórias.

30/8/06 22:44  
Blogger Pilantra said...

Deves dizer maravilhas, masainda não é hoje que te leio!...

Achei que tinhas razão, lá no lado do mar! Mas isto não está a dar para muito mais!
Beijos

30/8/06 22:46  
Blogger JPD said...

E agora diz-me tu Alberto: é verdade ou não que quem «GLANDE» SEMPRE ALCANÇARÁ?!

Acho divinal este texto.

Quanto a Veneza, voltaria lá mais duas ve(ne)z(a)es, as que desejasse!

Um abraço

30/8/06 23:40  
Blogger Maria P. said...

E o essencial na imagem diz tudo!

Beijo-nesta-noite-fresca:)

30/8/06 23:47  
Blogger A. said...

In trutina mentis dubia,
fluctuant contraria,
lascivus amor et pudicitia.

Sed eligo quod video,
collum iugo praebeo;
ad iugum tam suave transeo.


"...o(coração)bem se aflige
em esforço hercúleo
de esconjurar o verbo amar."



Suave...suave.
como o nosso azul.lindo.


Obrigada Al.
...meu querido.

31/8/06 00:48  
Blogger Luigi said...

mais um momento humoristico com cabeça. Belos passeios por itália

31/8/06 03:19  
Blogger Mendes Ferreira said...

______e quando voltar volto a ler.

e quando voltar candidato-me à ternura.
_________
:)


have fun.


(obrigada pela companhia)

beijos.

31/8/06 07:07  
Blogger Seila said...

glande hoemem que tu és para inventares estas coisas. glande mesmo glandíssimo!

31/8/06 09:32  
Blogger De tudo e de nada said...

Coitado do Monsieur Gland. Já de bengala e ainda no activo. É o que faz a política, sobe à cabeça e depois desce pelas ruas da amargura. Bom dia:)

31/8/06 10:35  
Blogger anirac said...

com uma mulher dessas...beijinhoss

31/8/06 10:46  
Blogger alice said...

querido legível,

estás autorizado a esticar-te em qualquer um dos meus posts ;)

do teu, depois do que já foi dito, e do que gostei ao ler, resta-me a vénia como melhor cumprimento

um beijinho daqueles

alice

31/8/06 14:56  
Blogger segurademim said...

... e quem disse que estamos no reino do conhecimento? as coisas são mesmo assim! na era dos candidatos empáticos

;)

31/8/06 15:54  
Blogger Rui said...

Atravessou a Praça de S. Marcos em passo estugado. Diante da Catedral do mesmo nome, parou. Hesitava sempre nestas ocasiões.
Uma gota pingou-lhe da testa quando percebeu o olhar equino sobre si. Era mau sinal. Pressentiu que não conseguiria aguentar muito tempo. Recuou para o Doges. Um arrepio percorreu-lhe o corpo quando virou a cabeça na direcção do mar.
Aqua Alta. Receio. Não podia meter água.
Decidiu-se. Vestiu a gabardine e passou a grande porta.
Ali é que estava bem, diante da Pala d'Oro.

31/8/06 17:13  
Blogger Maite said...

Caro Legível
Andei por aqui a ler as suas últimas histórias e confesso que em todas elas um sorriso ou mesmo uma gargalhada se soltaram inesperadamente.
Imagine que depois de ler esta história (que é igualmente magnífica) cliquei na imagem e ao ver o bicho verde lembrei-me do pinguim do Batman em pleno exercício da "actividade política" :)

Tenha uma boa noite

31/8/06 23:35  
Blogger Llyrnion said...

E a esposa estava a encorajá-lo a usar a cabeça para outros voos???

Mt compreensiva, a senhora, n? ;)

Um abraço.

1/9/06 00:23  
Blogger sotavento said...

Ó pá, tu não me digas que vão haver eleições!... :)

1/9/06 02:02  
Blogger Sea said...

...para bater com ela... :D
um beijo

1/9/06 07:56  
Blogger .*.Magia.*. said...

Vim ler-te, e mais uma vez gostei!!!

Agradeço-te o texto que me deixaste "debaixo da porta". Sem dúvida, muito bonito!!!!É verdade, há meses assim! Especiais!

Ficam alguns Beijinhos Mágicos entre as palavras!

1/9/06 11:28  
Blogger Teresa Durães said...

ainda não foram???

Pois, é sempre o mesmo. Promessas, Sr. Legível! Chegou cheio de força, 3 post e cansou.

(eu sabia! eu sabia!)

1/9/06 16:03  
Blogger Joana said...

Que isto de candidaturas tem de ter sempre um grupo de conspiradores ou inspiradores... depende da perspectiva!
:)

Obrigada por me mostrares Veneza! Já tinha saudades.
Acho que devemos ter feito um percurso muito parecido... quando eu fui à Hungria passei por uma serie de sitios por onde tu também passaste e Veneza foi um deles.
Veneza é a cidade para onde vou viver os meus últimos dias, porque tudo nela me inspira eternidade.
bjs

1/9/06 16:37  
Blogger Pilantra said...

Um homem assim vai a ministro! Ou já já está? Calhando andei distraída!

1/9/06 21:56  
Blogger nnannarella said...

ah ah... bom dia:)
Na mouche! Ou deveria dizer , na glande?

E não sei se com conhecimento de causa ou não, esta tua cúpula de gozo é ilustrada por um panorama de uma das cidades mais burocráticas e corruptas de Itália, ao contrário do que muita gente pensa, que pensa que o "mal italiano" está todo para sul.

Divertidíssimo, com um "grand finale" rotundo e orgástico.:)

2/9/06 09:22  
Blogger Suzi said...

Fora o "essencial", devo dizer que encantei-me com a arquitetura.
E numa única foto, você conseguiu um misto de humor e beleza.
Beijos!

2/9/06 19:47  
Blogger Sofia said...

:))))

6/9/06 16:23  
Blogger o lápis said...

:D

8/9/06 12:02  
Blogger Damularussa said...

Mais um que anda a dormir com a ironia...humm...

26/9/06 15:22  

Post a Comment

<< Home