Thursday, August 24, 2006

AMOR TÓRRIDO
















Eugénio pensava que já tinha visto tudo na vida. Mas equivocava-se redondamente. Naquela tarde soalheira, o que primeiro lhe feriu a atenção foi a cor da vaca, depois a indiferença com que os transeuntes passavam ao lado do animal e finalmente o pedaço de madeira espetada no rabo do mamífero. Foi-se aproximando lentamente e mais o espanto lhe marcou o rosto, pois se a uma distância de dez metros do bicho já ele lhe abanava o rabo, quando ficou cara-com-focinho do dito cujo, os enormes olhos escuros fitaram-no docemente. Como que magnetizado pelo insólito, só se apercebeu da enorme língua a lamber-lhe a boca tarde demais. Depois o animal foi-se derretendo lentamente. De paixão.
Gelado, Eugénio entrou na primeira pastelaria que viu e pediu um copo de leite. Bem quente. E um pastel de nata.
Budapeste, 2006. Texto e foto de: Alberto Oliveira.

28 Comments:

Blogger gnoveva said...

FANTÁSTICA!! a vaca mais original que vi estava à espreita numa varanda, de um 1º andar em zurique. mas esta supera tudo!

24/8/06 19:36  
Blogger JPD said...

Olá Alberto

Esta é uma vaca extraordinária.

Nesta altura do anos, um gelado é um pitéu!
Só se tiver uma hipersensibilidade dentária é que se resuca um gelado.
O caso vertente, sendo estéticamente apelativo, desvia a atenção da ideia clássica de gelado para a inverosímil posição da vaca qua conseguiu a proeza de gelar para se comer a si própria.
Estamos perante um caso de autofagia sem precedentes.
Um grande abraço.
Belo post.
(Foto tirada na Hungria ou na Austria?)

24/8/06 22:00  
Blogger Marco Ferreira said...

Ganhava de certeza o concurso Cow Parade.

marinheiroaguadoce a navegar

24/8/06 22:33  
Blogger weg said...

:)

Bom o texto como é de costume por aqui.

Mas a vaca sugere-me um imenso gelado a começar a derreter...

:D

24/8/06 23:31  
Blogger De tudo e de nada said...

Outra cidade que adoraria conhecer. Só que temo que quando lá chegar a vaca já tenha derretido por completo:) Fica a memória no pau de gelado. Bom dia:)

25/8/06 09:48  
Blogger sabr said...

Nunca se viu tudo...bom fim de semana, abraço.

25/8/06 10:20  
Blogger Licínia Quitério said...

Nomeei-te no meu Sítio. Bem feito...
Há uma doença dos bovinos chamada "língua azul". Essa, coitada, ficou toda apanhada.

25/8/06 10:36  
Blogger manhã said...

Estas vacas não têm vergonha nenhuma e ainda bem!

25/8/06 12:04  
Blogger Joaquim Amândio Santos said...

o palato da personagem saiu verdadeiramente feliz da cidade banhada por dois dos mais melancólicos rios da romântica Europa!

25/8/06 14:52  
Blogger Joana said...

Que saudades de Budapest e de passear pelas suas "ûtcas" (a única palavra que aprendi de Hungaro), quando lá estive esta amiga ainda não derretia pelo passeio a fora!
Como és a primeira pessoa que eu conheço que lá esteve, o que é que gostaste mais? Eu gostei muito do monumento à liberdade (aquela senhora que está com a palma numa colina de Buda)!
Que vontade de devorar um Gulash... hum...

25/8/06 15:12  
Blogger Suzi said...

Sórdida e multidecifrável, a vaca reluz, assusta, diverte, e inspira textos como o teu.

Bom final de semana!!
:o)

25/8/06 16:57  
Blogger anirac said...

ois ;) essa vaca derretida!!eh que giro, beijo bom fim de semana

25/8/06 21:27  
Blogger inBluesY said...

e um pastel de natal :)

terei lido bem :)



das 'vacas' mais loucas q já vi, a derreter lindo !!


bjs*

25/8/06 21:57  
Blogger lélé said...

o texto aproveita espectacularmente essa foto, que me impressionou... a vaca, quero dizer... macabra...

25/8/06 22:23  
Blogger Samartaime said...

ampara-me....então.




:)


beijo.

(isabel mendesferreira)

25/8/06 23:04  
Blogger dreams said...

uma vaca "louca" derretida...

excelente :)

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

26/8/06 01:27  
Blogger segurademim said...

bem fantasiada a enorme lingua a lamber a lambusada boca... tórrido, o sol não permitiu outras cenas públicas mais indecorosas

ficou a paixão, sentada à mesa da esplanada mais próxima e a coca.cola fresquinha... para acalmar, aclamar os sentidos

fixe!!!! a vaca claro, lustrosa, azul, penteadinha

26/8/06 09:45  
Blogger Maria P. said...

Magistral!!!


Bom fim de semana:)

26/8/06 10:21  
Blogger OvelhaNegra said...

Duas belas e divertidas construções:
O teu texto:Sempre com essa ironia que já os caracteriza e que, por norma, me fazem gargalhar, pelo desfecho insólito;
A foto do «monumento»: Uma vaca magistral, na posição «e foi assim que os alemães perderam a guerra», ainda por cima com um pau enfiado pelo dito adentro.
Imagino a cara de estupefacção do Eugénio. Mas bolas, uma lambidela daquelas com tanta paixão...dada por uma vaca insólita, maquilhada dum modo diferente e ainda por cima numa posição tão apelativa, não era caso para ele ter ficado gelado..Há vacas e vacas...Risos (Estou a «esparvoar»...não escrevo mais nada.Risos)

Um beijo e um sorriso, ambos com amizade.
Excelente fim-de-semana.

26/8/06 11:01  
Blogger Bel said...

Bem, dá vontade de ir á bulgaria só por causa desse original gelado.
bj e bom fim de semana

26/8/06 13:15  
Blogger Luz said...

Que espectáculo!!! Se eu já achava a vaca açoriana (no CColombo) com um golfinho/baleia a sair das costas estranha, esta supera tudo! E um geladinho cai sempre bem... :p

Bom fds :)

26/8/06 16:16  
Blogger Luigi said...

já vi algumas vacas mas nenhuma como esta... um gelado insólito :)

26/8/06 21:01  
Blogger bomba said...

Ela derrete sempre, não é?
E derreter? Não significa destruir?

26/8/06 21:04  
Blogger Rui said...

Fugiu Sabina do Campo Pequeno, lugar de destaque que lhe estava reservado para se mostrar aos lisboetas (e visitantes). Perdeu-se de amores por um miura da ganadaria de David Ribeiro Telles que, ao ser levado para a Praça, escoiceou os homens da DHL - pouco habituados a cargas destas - e fugiu... sem que antes, ao por ela passar, lhe tivesse piscado o olho e sussurado um volto mais logo.

Toiro de palavra que era, voltou nessa mesma noite. Não lhe sendo dificil convencê-la a sair do seu pedestal. Com o dinheiro amealhado ao longo dos 4 anos de vida, comprou dois bilhetes de InterRail e partiram manhã cedo.

Em Budapeste a tragédia: num deslize infantil deixam cair o disfarce. Logo ele vai para bifes e ela é confundida com um Magnum.

29/8/06 16:11  
Blogger o lápis said...

:) que posso eu dizer???

Tu andavas imparável! :))

8/9/06 12:06  
Blogger o lápis said...

"andas imparável" correcção feita na hora :)

8/9/06 12:07  
Blogger APC said...

Ahahaha... Genial!:-)

E eu, que ornamentei o meu blog com alguma da vacaria por que ia passando em minhas rotinas, aquando da moda bovina, o que não daria para ter podido mostrar essa! ("adonde" foi?)

10/9/06 02:39  
Blogger APC said...

Tks!;-)
E agora vim aqui por isto: por entre as minhas (des)camuflagens tenho um link para o blog "Palavra puxa palavra", no qual decorre um passatempo entitulado "Fotodicionário". Em que consiste? A cada semana alguém lança uma palavra que serve de mote às produções fotográficas a serem remetidas (uma por participante). Ora, esta semana a palavra é "azul". Creio bem que não participarei, mas lembrei-me logo que esta tua vaquinha seria um estrondo. Quererás experimentar?
:-)))
Um abraço!

PS - Cada vez que aqui venho (bom, é só a 2ª, lol), dá-me ganas de ler o teu blog de fio a pavio (creio que é dos melhores que tenho visto), e fico ranzinza por ainda não poder (até terminar um afazer prioritário). Mas sei que volto!:-)

12/9/06 20:49  

Post a Comment

<< Home