Wednesday, July 19, 2006

A TRAGÉDIA, as FÉRIAS e o ANIVERSÁRIO













"Foi horrível de se ver e estragou-me o dia de praia (e o resto do dito), de tal modo que no momento em que vos estou a escrever ainda tenho gravada na mente a imagem da jovem que morreu afogada à minha frente -e de outros banhistas, "na flor da idade", na expressão de uma senhora balzaquiana, de face severa e fato-de-banho verde decorado profusamente com minúsculos submarinos amarelos. Pálidos estavam os rostos de quem testemunhou a tragédia e que não queria acreditar que a imprevidência paga-se por vezes com a vida. Apesar dos avisos de quem conhece a zona e dos apitos do banheiro, a jovem teimou e acabou por ser levada pela corrente "enquanto o diabo esfregou um olho" nas palavras de um homem de calções vermelhos e de tronco completamente coberto de pelos que até parecia ter uma t-shirt preta vestida."
Esta podia ser a estória apoiada pela imagem em que ilusóriamente se poderia pretender mostrar uma cabeça de cabelos loiros meia submersa na água. Felizmente que desta vez não morreu ninguém, a suposta cabeça não passa de uma pedra coberta com algumas algas e a minha mente -sempre na procura do insólito, engendrou o drama... que não chegou a ser.
Sem dramas, bem pelo contrário, com satisfação para ambas as partes (suponho... ), anuncio-vos que vou fazer umas férias e que reaparecerei lá para meados de Agosto. É um prémio que dou a mim próprio pelo primeiro aniversário (que passa hoje), do "Papel de Fantasia". Eu viajo; e vocês ficam livres de mim durante um tempo.
Algures em Palma de Maiorca, 2006. Texto e foto de: Alberto Oliveira.

68 Comments:

Blogger alice said...

o meu presente de aniversário para o meu melhor amigo blogger são as tuas próprias palavras!

um dia, ainda fazes um romance com estes comentários:

*

Nunca passou pela mente de Clara que Rodrigo, logo ao segundo encontro se atirasse assim de cabeça tão rapidamente. Avaliara-o mal pelos vistos; pois se até fôra ela que tomara a iniciativa de o beijar no final da primeira noite em que acordaram encontrarem-se. Respirava timidez nos gestos e nas palavras e leu-lhe alguma candura nos olhos.
Agora saia-se com este inesperado «Quero dormir contigo esta noite, Clara!»

-Olha Rodrigo, eu estou a ficar apanhadinha contigo, quero que o saibas. Mas estou com o período!

-Pois então, fazes-me o favor de te decidir; ou ele ou eu!

*

Rita Hirta acabou por pôr de lado o martelo e o formão. Ainda lhe faltava tanto para se desembaraçar de todo daquela capa de matéria cinzenta e dura que a aprisionava física e mentalmente, sentindo-se muito cansada.

- Vens para a cama hoje ou fazes serão?! E não me venhas com a maldita desculpa da dor de cabeça. Olha que tenho necessidades!
Berrou Tomé Sempre-em-Pé.

- Só se tiveres um berbequim eléctrico entre as pernas, meu tarado!
Retorquiu Rita Hirta desalentada.

*

Olhando em redor, Sara começou a perceber que estava metida num imbróglio do escafandro. Com um filho na barriga, gerado no meio de intensas chamas, fruto de paixões ardentes que o fogo ajudava a consumir, sentiu-se incontornavelmente só. O cheiro a queimado recente entrava-lhe pelas narinas adentro e causava-lhe violentas náuseas. No cimo da colina negra, o que a sua vista alcançava era apenas o caos horrendo e silenciosamente lúgubre. Chorou copiosamente porque não tinha ninguém a quem contar que nas suas entranhas se desenvolvia um ser. Ah! se estivesse ali a Adozinda, amiga de infância e confidente nas horas boas e não tanto; pegava-lhe na mão e com ela encostada ao seu ventre, perguntar-lhe-ia «Sentes? é meu!» Mas nem Adozinda estava ali, nem o bacano com quem tinha repartido a cama há dois meses atrás.

*

Na lado oposto da cidade devastada havia afinal um outro sobrevivente. O Ministro da Saúde. O tal dos cortes nas maternidades. Como é que esta personagem vai influenciar o futuro de Sara e seu filho? Estariam finalmente satisfeitos os interesses do Ministro, uma vez que nem um único edifício ficou de pé? Não deixe de acompanhar esta envolvente e dramática saga de Sara.

*

Sara não queria acreditar no que os seus olhos viam! Afinal uma igreja salvara-se do fogo; intacta, que até os sinos dobravam... ou triplicavam... Pediu com todas as forças do seu corpo que o seu desespero fosse ouvido. À medida que se ia aproximando da igreja, já se imaginava ao lado de um sacerdote compreensivo para com os dramas da humanidade, da incompreensão do homem diante da perenidade da vida, e dos pecados cometidos nas barbas do criador. Sara apenas precisava de ser absolvida do pecado da carne. A poucos passos do templo caiu em si; apenas a frontaria estava de pé. Ou talvez aquilo nem fosse real. Depois é que reparou num enorme cartaz onde se lia "Local de filmagens da película O Crime do Padre Amaro. Acesso permitido apenas a pessoas do staff."

... "o barulho líquido que assolava as primeiras horas" inundou-lhe os ouvidos...

*

Sara Sewell perguntava-se a si própria porque não tinha acompanhado a irmã gémea no post anterior a este. Ensaiava um argumento, uma desculpa e tudo lhe parecia sem fundamento. É verdade que a despeitava não ter conseguido engravidar como a irmã; mas com franqueza! Nem o sobrinho tinha tido oportunidade de conhecer!
Deixou-se ficar para ali, ultrapassada, desconhecedora de segredos e mistérios paridos na sua ausência.
Um pássaro enorme, passou rente à sua cabeça. Pareceu-lhe ter ouvido um murmúrio alado «Sara Sewell... minha irmã...»

*

Quando os paramédicos chegaram, limitaram-se a cumprir o ritual em casos desta natureza; sem pressas, que o carro nem sequer ficara de modo a dificultar o trânsito. Ela, distante e absorta (quem sabe se divagando sobre garrafas, nomes, comprimidos, cintos e semáforos ou sobre nada de concreto), nem deu que os maqueiros retiraram de dentro do veículo, o corpo a quem ela tinha dado à liberdade. A noite fechou-se de vez sobre a cidade.

*

Espera, deixa-me comentar-te
vou buscar palavras que anda não foram inventadas
estás a ver o que só nós conseguimos distinguir?
e o pulsar dos nossos corações em rodopio demencial?
e as mãos que procuram dizer mais do que as bocas são capazes?
sei que sim.

*

Deodato leu o poema que acabara de escrevinhar, acabou de beber o café, pagou e foi à vida. Um carro desgovernado, ceifou-lhe as perguntas e a resposta. Há sábados nefastos!

*

Hoje não vou falar de amor
do seu olhar vigilante e possessivo
da sua boca por agora fremente de desejo
nem te digo amor quantas pernas possuo
são as que chegam para te enredar
nas malhas que teço e te aprisionam
em suposta liberdade de expressão
............................

hoje não falarei de ódio nem de sexo
calo-me e envolvo-te num apertado amplexo.

Adozinda G., tirou os óculos, fechou o livro e sorriu enigmática. Nunca tinha lido "A Estratégia da Aranha"; ia-lhe fazer muito jeito...

*

Quis dizer
por palavras ainda-não-nascidas
que o melhor ainda estava para vir
que o sorriso das crianças
era de esperança que não se sonhava a cor
mas que decerto seria forte e viva
que o amor perfeito teria o perfume de mil paraísos floridos
as delícias de oásis inventados
a loucura que não teria fim
que
... Mas as palavras teimavam em não sair. Parou. Mais tarde voltaria; jurou a si próprio.

*

... Desceu ao Chiado mas não apanhou o metro; o rio em frente desafiava-o. Não; não era azul e transparente como o das ilhas caimão. Era apenas um rio; que ao longe lhe mordia o corpo e lhe estrangulava as palavras na garganta. Os seus passos empurravam-no para o cais do sodré. Transtornado desceu a rua íngreme e quando ladeou a estação dos barcos já não via nada. Descalçou-se e lançou-se à água...

*

... Acordou encharcado da transpiração quando bateram à porta. Perguntou quem era e respondeu-lhe uma voz autoritária «Agente Dimas da Polícia Marítima!». Nem a sonhar se podia ter um momento de desvario...

*

... O meu retrato
tipo passe, passe, ladies first!
que o meu retrato não tem pressa
é um facto que o meu retrato
tem uma cor algo amarelada
de tantas primaveras da vida
que passaram sobre a película
revelada no fotógrafo de bairro.
no meu retrato já não se distingue claramente
a fome de viver que os meus olhos transmitiam
nem a marca carmim ligeiramente ao lado da boca
do primeiro beijo desajeitado que trocámos.
no meu retrato muito pouco resta de mim;
é um retrato que cumpriu um caminho e chega ao fim.

*

Gostar de ti feiticeira
é a coisa mais natural
que gostar desta maneira
faz tanto bem não faz mal.

Não faz mal nem dá azia
mas o coração dispara
já lá tens a fotografia
hoje fiz compras na zara

*

«Estás sempre a surpreender-me pela negativa, Noémia! Ao fim de quinze anos a viver em comum, tens a distinta latosa de me chamares batráquio. Pior; agora vigias os meus movimentos e pasme-se! que até o simples arrumar dos testículos, te serve para me criticares. Desiludes-me. Alguma vez te chamei de "aranha encavalitada no malmequer nocturno do desespero"?! E tu que passas o santo dia a arrumares as mamas? Chamo-te a atenção para isso?! Ahn?! Responde-me se és capaz?»

*

Nada, mas mesmo nada, o faria demover da sua ideia. Desse por onde desse, entraria na morgue e haveria de levantar o lençol branco da curiosidade, que cobria o corpo frio de Helena. Teria então a certeza daquilo que os seus olhos testemunhariam; que a tristeza é a cona da morte...

*

... Que lhe chamaram loucura, doença, mania e tantos outros vocábulos que ela tomou como bons que a água com que foi baptizada era límpida e sagrada, que a escuridão tinha sido varrida da face da terra, as bruxas, a fé e as traças eram agora símbolos de marcas desportivas...

*

... Provocante, esbelta e alta, matou a morte de vez; perfeito, erecto e apaziguador, o amor estaria sempre a seu lado. Iria onde quisesse, àquela ou a outra qualquer hora, a seu belo prazer caminhando. Nada lhe seria vedado.

*

Pedro estava parvo de todo. Não tinha sido assim que imaginara a sua primeira vez. Escutou-a sem a interromper, baixou os olhos e desandou. Em casa releu tudo o que tinha sobre o assunto. Nada. Ou seja: tudo apontava para o contrário do que tinha ouvido da boca dela e que ainda lhe martelava os ouvidos
"não preciso que entres em mim
para te ter".
Nunca mais lhe bateu à porta. Tem entrado em muitas casas mas não é de ninguém.

*

Impedida de exercer o ministério do culto religioso (o machismo tem aquartelamento também na santa madre igreja) à mulher, a quem se pedem muitos sacrifícios e a expiação de terríveis pecados, só resta mesmo auto-cruxificar-se... Pode ser que a santa sé se envergonhe.

*

De ti nunca esquecerei
a música que ao ouvido não me tocaste
as promessas que nunca te farei
o amo-te que não pronunciaste
que o destino nos foi sempre adverso
e o farol a nós não iluminou
tivemos a má sorte de ser o inverso
da luz que aos outros indicou

À tona d´água na piscina, duas crianças preparam-se arduamente para serem futuros campeões olímpicos daqui a uma dúzia de anos. De volta a casa, Crispim sente ainda na sua perna, o calor da perna de Madalena; será o seu segredo.... De verão.

*


Ele despiu-lhe a alma de inverno que ela trajava. Atrapalhava-se sempre nestes preliminares e o seu desejo era que as mulheres que conhecia estivessem despidas desde sempre; aliás sonhava que no mundo perfeito do amor, Eva teria sempre lugar.
Quando finalmente, ela ficou descalça até ao pescoço, perguntou-lhe impaciente «Vamos a isto?» ela pediu-lhe «Primeiro, conjuga comigo o verbo ser feliz». Como a gramática não era o seu forte, ele jurou a si próprio que nunca mais comeria peras descascadas...

*

...depois da noite diurna, a manhã que tarde se pôe continuará na senda desta primeiras letras. Nada o poderá impedir; que pela boca há-de morrer quem o tentar fazer. Sem apelo nem agravo.

*

Nunca tal tinha experimentado
cortar o cordão umbilical assim
logo pela manhã, sem o pequeno-almoço tomado;
pousei a tesoura sobre o ensanguentado lençol
e corri para bem dentro de mim
querendo expulsar tão grande logro.
Aos meus ouvidos soou a dança do fogo.
«Está a ver as marcas?! Foi desse modo que me queimei gravemente. Nunca mais peguei numa tesoura em chamas...»

*

A casa onde morei é um prato sem espinhas na borda da noite tremendamente pintada de negro onde tu não estás e o equídeo me olha surpreendido pois embora o odor de fêmea lhe suba às narinas não tenho cauda nem crina. Vem depressa e habita-me.

*

Rosa Maria fechou o sobrescrito com uma lambidela e lançou-o ao céu; depois calçou-se.
Ele disse-lhe tudo isto de um fôlego
depois beijou-a desesperado
como quem se agarra um sonho perdido
extinguiu-se a tarde de tão tarde que era
e as mãos da realidade voaram para longe.
Nunca mais adormeceria
com água pelos joelhos.

*

... Ana trinchou em cortes rápidos e cirúrgicos o corpo de Gustavo. Tirou para o seu prato uma fatia de uma de uma anca e três batatas bem loiras. Espargiu três colheres de molho (que era um dos seus segredos mais bem guardados) sobre a carne e os tubérculos e mastigou devagar, degustando, um naco do quadril e soltou um oh! De prazer pantagruélico. Por momentos, veio-lhe à memória, que a sua língua se tinha deliciado com aquela carne enquanto viva e palpitante. Só que agora invertiam-se os papéis; era ela que o comia... assado no forno.

*

O teu colo
é o meu leito
a ele me colo
em ti me deito

o teu colo
é o meu castelo
o meu refúgio
minha muralha
sobre ele
meu coração trabalha
não há subterfúgio

no teu colo
respiro tenso-intenso
e quero imenso
o teu colo.

Paulo encostou os lábios ao poema assinando-o com um beijo. Depois, retirou a folha A-4 da máquina de escrever e abraçou-a. Nunca tinha feito amor com uma folha de papel com-um-poema-lá-dentro. Há sempre uma primeira vez para tudo, pensou.

*

... Toquei o teu sonho
era de espuma e azul
(como são todos os sonhos dos justos)
os teus lábios mostravam um sorriso
travesso
a gozar com os meus que viro as estórias
do avesso;
prossegue o teu sonho e agarra-o
pelos cabelos.
que eu prefiro aos sonhos
os pesadelos.

*

Quitério leu em voz alta o que tinha acabado de produzir?! e matutou «Isto não é bom nem é mau; é pior. Acho que estou a precisar de férias.»
E se bem o matutou, melhor o fez. Meteu na mala as suas melhores peúgas, a gata Micas, uma medalha de Santa Mónica Sintra, uma lata de Sprite meia-cheia de moedas de cêntimo, uma toalha dos pés, uma escova de dentes com cinco pelos e um Almanaque Borda d´Água do mês de Março de mil novecentos e oitenta e cinco.
Chamou um táxi para o aeroporto, pagou a corrida, dirigiu-se para a porta dos voos internacionais, sentou-se no chão, tirou do bolso do casaco andrajoso uma cartolina com os dizeres Tenham dó deste pobre viajante. Uma qualquer moeda será bem-vinda. Ajudem-me a conhecer o mundo. Obrigado! e esperou calmamente pelo primeiro ente solidário...

*

bom dia
beijos
alice

19/7/06 09:32  
Blogger Fortunata Godinho said...

Ufa...
Desejo que passes umas boas férias.
Vai dando noticias e vai aparecendo por cá, se quiseres, e diverte-te muito!
Ah: Cuidado com o Mar e atenção ao apito.

19/7/06 09:59  
Blogger Vanda Baltazar said...

:) Mesmo indo eu de férias...

:) mesmo tendo ainda um tudo nada de coisas para fazer...

:) mesmo mesmo à beirinha da partida...

:) mesmo assim :) nunca poderia deixar este dia em branco de papel, sem fantasia :)


Porque os teus posts são um luxo.
Porque o teu sentido de humor é completamente à prova de tudo.
Porque me dás prazer e me fazes sempre ficar mais bem disposta...
Mesmo nos dias em que tocas, sensivelmente, no lado mais profundo da vida.

Por tudo isto, não poderia deixar de passar por aqui hoje e pedir-te mais um ano. 10. 20, pode ser???

:)

PARABENS!

Van

19/7/06 10:35  
Blogger Vanda Baltazar said...

ah!! e boas férias!!

Cuidado com os raios...que o partam :))

Beijos

19/7/06 10:40  
Blogger Maria Papoila said...

Então parabéns e boas férias!
Já agora, espero que no regresso essa cabeça venha cheia de novas ideias, tão fantásticas como todas as que aqui vou lendo.
Um abraço da Papoila.

19/7/06 12:00  
Blogger OvelhaNegra said...

Que as férias te saibam tão bem como as tuas letras nos sabem a nós.
Não te dou os parabéns pelo 1º aniversário do «Papel de Fantasia». Detesto aniversários.
Digo-te antes: Ainda bem que há um ano resolveste iniciar estas páginas para deleite de todos.
Diverte-te e descansa.
Esperamos-te revigorado.
Um sorriso e um beijo*

19/7/06 13:23  
Blogger Sea said...

Não é que eu fique contente por me ver livre de ti, mas fico é por ires viajar e sair daqui. Isso sim
Enjoy it, please!

19/7/06 14:17  
Blogger segurademim said...

andas muito atento aos produtos de supermercado - três em um - shampoo para cabelos, loiros, aclarador, hidratante e amaciador... ou seja:

praia, dolce far niente, champanhe fresquinha para animar!

boas férias, que venhas hidratado para mais um ano!!!!!

;)

19/7/06 14:27  
Blogger Teresa Durães said...

Juras que vais de férias?????

Tens mesmo a certeza????

(e é mesmo verdade que há um ano que andas a massacrar os pobres bloguers?..)

Oh Vai-te embora, Legível!! Uns dias sem ti vamos fazer uma farra de tal tamanho!!! Escrever tudo o que queremos sem os teus comentários danados!!!! E em verso ainda por cima!!!!!!

Vai a banhos, vai a banhos!!!!!!

ehehehehhhehe

19/7/06 14:33  
Blogger Joana said...

Férias... férias... férias... todos os meninos vão de ferias menos eu... lá para Agosto ainda cá estarei... branca e a trabalhar!
:)
Diverte-te muito e ganha inspiração para mais uns anitos de Papel de Fantasia que isto só tem piada com as tuas deambulações!

Beijinhos e boas férias!

19/7/06 15:13  
Blogger sotavento said...

Descansa e diverte-te, garoto!... ;)

19/7/06 15:59  
Blogger MC said...

também tu, Alberto Albertto?

Estou mesmo a ver que só fico eu e os chatos.

Vai-te, vai-te, mas volta!

Parabéns pelo Papel de Fantasia.

Um beijo

19/7/06 16:13  
Blogger inBluesY said...

mal posso aguardar pelas ricas estórias que vais acumular, sim que sei que sim.


Jokas :)

19/7/06 16:58  
Blogger alfazema said...

...e quem trabalha tem direito ao descanso. Vai divertir-te para onde quiseres, goza bem essas férias,diverte-te e depois conta como foi. Eu aguardo os teus escritos com a imaginação do costume.
Beijos

19/7/06 20:05  
Blogger Seila said...

vai-te homem, vai que o teu ir é sempre bem vindo!!

19/7/06 22:12  
Blogger Maite said...

Caro Legível
Presente não tenho para lhe oferecer neste dia especial mas com certeza que lhe dou os parabéns por este lugar encantador.
Desejo-lhe umas boas férias e entretanto vou passando para ler as suas histórias mais "antigas"

Um abraço para si

19/7/06 23:16  
Blogger Maria P. said...

Parabéns pelo 1º de muitos aniversários.
Boas férias, nós ficámos à espera...
Beijinhos de Maio.

19/7/06 23:30  
Blogger Phi@ said...

Que dizer??? Será que dizendo leva.me contigo embrulhada empapel de fantasia resulta?? Será que me resgatas deste calor infernal para me levares a um calor tropical e refrescante?? Tentar não custa!! ;) bxox de parabéns pelo aninho do espaço e de boas férias (um guerreiro com este dom de fantasiar apalavrando merece e bem!!)

19/7/06 23:48  
Blogger alfazema said...

Boas férias. Goza-as bem e em boa companhia.Divirtam-se muito e não se esqueçam da amiga que aqui fica à vossa espera.
Beijos e abraços
Saúde

20/7/06 08:56  
Blogger tb said...

Então parabéns duplos!
Interessante o tema escolhido e a brincadeira engendrada.
Boas férias e as linhas cá te esperam.
Beijinhos

20/7/06 08:57  
Blogger Vodka e Valium 10 said...

Também há um ano atrás, deve ter sido por aí, que recebi o primeiro comentário no meu blogue e postei o meu primeiro no teu.

Boas férias, dentro de uma semana vou um mês para França de onde escrverei dos Alpes :)

20/7/06 09:54  
Blogger Rui said...

Já não devo ir a tempo, mas ainda aqui deixo os meus votos de boas fotos e de melhor inspiração nestas férias.

20/7/06 10:32  
Blogger Sofia said...

Boas ferias, então!

bjs

20/7/06 12:07  
Blogger robina said...

Ai é? Então vou dar-te outro, quando tu regressares vou eu, o que quer dizer que vamos estar os dois sem nos aturar-mos mútuamente.

Tem umas boas férias e carregas essas pilhas que o campeonato está quase, quase...

E, claro, parabéns!

20/7/06 12:33  
Blogger A. said...

...mas que dia cinzento é
esse meu Al.?
Queres ficar parecido comigo?;)

Sim,vai...vai e eu vou contigo.
Dou-te a mão e encontramo-nos por aqui depois,nessa mesma altura.
Em que provavelmemte os dias,os nossos dias,se olharão de uma maneira mais azul...mais doce,mais água do mar.Vamos então Al.


E quero muito ouvir-te assobiar da próxima vez..e de te poder deixar um verdadeiro e azul abraço.só nosso.

Mas agora vamos...Um beijo.meu.

20/7/06 16:27  
Blogger A. said...

Ah,e Parabêns Al.
...acredita que não é esse o
nosso desejo...o de ficar livres de ti.Acho que precisamos mesmo
de ir.Viajar.Vamos.

20/7/06 16:30  
Blogger geno said...

ainda bem que não morreu ninguém...
também não era preciso ler tudo, bastava parar na sra balzaquiana e nos submarinos para se perceber que a atenção que se dispersou na praia não foi para um acidente. foi para vários. os mais comuns... aqueles que não me importo de ver...

20/7/06 22:50  
Blogger Teresa Durães said...

Ó Legivel, tu passa-me umas férias boas, então???????

Que te queremos cá bem disposto!!!

20/7/06 23:51  
Blogger Llyrnion said...

Parabéns, boas férias, e volta cheio de comédias :)

21/7/06 03:11  
Blogger Teresa Durães said...

Quando acaba uma história, outra aparece!

(ontem não tive tempo para nada!)

21/7/06 10:34  
Blogger Teresa Durães said...

Quem sai hoje do trabalho sou eu!!! (mas tenho ainda de acabar uma treta..... bolas bolas bolas...). O portátil vai na mala... qu'isto de ´vícios admitidos - admitidos são! ahahahahah Logo se vê o resto!

(eu nem gosto de praia mas os filhos parece que sim)

Palma de Maiorca não! Nunca calor! Mais lá para a Figueira da Foz, praias por aquelas bandas. Nada como o frio matinal e nevoeiro, o vento pela tarde, a desculpa de não ir no dia seguinte

(e uma esplanada agradável, talvez um snooker e não fazer nada)

Amanhã vou à livraria comprar o essêncial para férias bem programadas!!!!

21/7/06 14:39  
Blogger Teresa Durães said...

Vou de portátil mas tenciono levar um bom casaco (quem sabe, um capacete não será mal pensado, pois então!). Luvas para que as mãos não se danifiquem (necessário proteger as histórias não contadas!)

E depois, é sempre a andar!!!

21/7/06 17:07  
Blogger Teresa Durães said...

Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!


ehehehehehhehehhe

Até logo!!!!!!!!!!!!!!!!!

21/7/06 18:24  
Blogger Teresa Durães said...

(agora não estás ligado, ai não não!!!!! ehehehehehe)

22/7/06 00:08  
Blogger Mendes Ferreira said...

beijo....de parabéns....


_________________________fica bem....

assim. como és.


e obrigada pelo sorriso.

22/7/06 00:45  
Blogger OvelhaNegra said...

Passei para deixar um sorriso e um beijo*
....:)

22/7/06 14:45  
Blogger dreams said...

ainda bem que não passou de uma história...

parabéns então :)

boas férias...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

22/7/06 16:54  
Blogger alice said...

a tragédia é a falta que me fazes!

beijinho grande

boas férias!

alice

22/7/06 23:07  
Blogger lélé said...

Parabéns pelo blog, obrigada pelos insólitos, pela tua companhia, pelas tuas palavras... Boas férias... (lá que tu mereces o prémio, ninguém contesta, mas nós não gostamos muito de ficar "livres" de ti!...)

23/7/06 01:48  
Blogger manhã said...

Boas férias! Bons banhos!

23/7/06 20:23  
Blogger Pilantra said...

Beijos!

24/7/06 00:33  
Blogger augustoM said...

Vai de férias mas não leves a imaginação, não vás imaginar alguma coisa insólita, e depois dizes que as férias foram uma tragédia inventado por ti.
Boas férias. Um abraço. Augusto

24/7/06 21:50  
Blogger Teresa Durães said...

Decisão tomada. Férias da net também. Em todos os sentidos. Miolos em reparação. Boas férias por aqui e um beijo para quem fica!

24/7/06 22:39  
Blogger batista filho said...

Inté, amigo.

25/7/06 01:16  
Blogger Teresa Durães said...

Mudei-me de novo...Nada como uma casa nova limpinha. Regresso à base...

Voltei ao Voando....

26/7/06 01:58  
Blogger anirac said...

boa viagem, boas férias, té já...beijo

26/7/06 13:13  
Blogger Peg solo said...

Boas Férias!
Bom mar, e um olá à senhora dos submarinos!

beijos e até ja ;)

26/7/06 16:08  
Blogger Spiritman aka Bacardiman said...

Essa mania de ser levado pelas correntes materializa muito bem o que se passa em terra, a tal incapacidade de adaptaçao!

Quanto a ti, desejo-te que tenhas umas férias como desejas ou seja, que a realidade materialize o sonho... lool lool lool

Cumprimentos mixed by Jameson 12 anos!!!!

27/7/06 17:10  
Blogger alice said...

;)

bom fds!

beijos

alice

28/7/06 19:09  
Blogger Paulo Sempre said...

«Ainda bem que não morreu ninguém»!!

gostei

Paulo

31/7/06 01:42  
Blogger segurademim said...

... que as férias sejam muito boas, sem tragédias e com muitos motivos para celebrar

;)

31/7/06 12:15  
Blogger o lápis said...

Ela chegou. Rosada pela caminhada rápida, bem cheirosa pelo jasmim espalhado horas antes no seu corpo, boca seca de ansiedade e sede de chá de menta...chegou e bateu à porta. Educadamente. Discretamente, como afinal tinha aprendido a ser, durante aquela semana, embora sem grande sucesso...chegou, bateu e após o silencio que se abateu na rua, baixou os olhos, preparada para o regresso a sua propria casa.

Afinal o Legivel ainda não tinha voltado de férias :))

Beijinhos e diverte-te!!

31/7/06 16:32  
Blogger Luiz Carlos Reis said...

A imprudência associada à negligência dos respectivos atores, corroboram para um quadro deprimente e muitas vezes incompreendido.
Prefiro as palavras que sustentam à poesia.
Abraços!

31/7/06 18:46  
Blogger A said...

Boas férias então, meu caro.

Beijinhos

31/7/06 21:23  
Blogger JPD said...

Boas férias, Alberto.
Um abração

31/7/06 23:17  
Blogger Maeve said...

Entretanto fui e vim. Olhei para a imagem e...bolas!Ainda fiquei na dúvida, mas os passos finais do texto esclareceram-me. Conclui: AH, criatura danada!

2/8/06 22:23  
Blogger tb said...

pois é, foste de férias. Deixo u mbeijo e votos que estejam a correr bem

3/8/06 21:47  
Blogger De tudo e de nada said...

Que arrepio! Obrigada pela visita e até breve:)

4/8/06 15:40  
Blogger Mendes Ferreira said...

saudade.



presente.





sempre.



beijos.

5/8/06 11:58  
Blogger Joaquim Amândio Santos said...

Que a praia mereça a tua escolha.

Boas férias!

7/8/06 15:05  
Blogger Mendes Ferreira said...

boa ....tb. não estou. nem vou estar.



mas deixo um abraço. por tudo o que me déste.

7/8/06 19:09  
Blogger alfazema said...

Estou a aguardar o teu regresso mas estou de férias: campo, praia, net, leitura...
Beijinhos

8/8/06 18:16  
Blogger A. said...

Beijos meu Azul amigo.

11/8/06 16:23  
Blogger sonia said...

Parabéns, atrasadissimos, e boas férias. cá estarei à espera.
Beijinhos

12/8/06 21:24  
Blogger alfazema said...

...e continuas de férias! Para quando um post novo?
Beijinhos, muitos.

14/8/06 10:37  
Blogger Mendes Ferreira said...

saudades....................!beijo!

15/8/06 01:50  
Blogger Menina_marota said...

E as férias continuam...não é altura de regressar?
Bj ;)

15/8/06 09:49  
Blogger dreams said...

ainda de férias?!?

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

15/8/06 22:53  

Post a Comment

<< Home