Saturday, September 10, 2005

A IMPLOSÃO

Mal me tinha sentado, já o Cunha me entrava pelo gabinete adentro e me perguntava entusiasmado «Então, viste a implosão?». Confesso que, por momentos, fui apanhado de surpresa, tal era a ideia que fazia sobre o dia de trabalho que iria ter pela frente e onde se destacava uma reunião com um dos nossos clientes mais importantes que ameaçava abandonar-nos a qualquer instante. Passados uns segundos lá me recompus «Não; não vi. Aproveitei a tarde em casa para pôr uns papéis em ordem e ouvir um pedaço de música». Pensei que o meu colega se ficasse por ali, mas o Cunha não é sujeito para desarmar apenas com um não e a sua fome de conversa é proverbial. Uma nuvem de desalento passou-lhe rápida pelo olhos, para logo voltar à carga «Música! É isso mesmo! Perdeste um espectáculo fantástico; a implosão e a música do Vangelis!. O bar da companhia estava cheio de pessoal entusiasmadíssimo!»
Há pouco quando cheguei a casa, já liberto do peso do cliente importante e do Cunha, de quem não me livrei ao almoço, relatando-me os pormenores da "coisa", perguntei á minha mais-que-tudo «Tu ontem à tarde, viste a implosão?» . Ela suspendeu o gesto de abrir o frigorífico, provavelmente para retirar os ovos, pois tinha-se proposto fazer arroz-doce para a sobremesa do jantar, olhou-me como tivesse sido apanhada em falta mas recompôs-se «Meu doce: eu bem te digo que tu deves tomar mais atenção às tuas coisas. Mas é o mesmo que nada; hoje pões uma coisa num lado, amanhã noutro. Tens papéis por tudo o que é sítio. Como é que podes dar conta de tudo?! Uma coisa é certa: eu não mexi nem vi a tua implosão!» . Sosseguei-a, pois já lhe adivinhava umas lágrimas aflorarem-lhe os bonitos olhos. Fica tão nervosa, a minha mais-que-tudo, quando lhe dirijo a palavra de um modo menos romântico...
A mim, brilhou-me um sorriso de satisfação nos olhos. Pelo menos desta vez, a televisão não tinha conseguido entrar cá em casa para me impingir um espectáculo circense de qualidade duvidosa e de propaganda política(?!), fora do tempo de campanha...

27 Comments:

Blogger concha said...

Também não a deixei entrar em minha casa!
Bom fim-de-semana!

9/9/05 18:15  
Blogger Armando S. Sousa said...

Também não vi ontem, mas hoje fui obrigado a ver ao meio-dia. É um espectáculo digno de qualquer República africana. Sócrates estava no momento certo, no local errado...
Um abraço.

9/9/05 19:11  
Blogger MJM said...

Legível, és um cartoonista danado!
Uma crónica doméstica q conseguiu pôr a um canto as mediáticas implosões!
Eu, qd implodir, não vou convocar a imprensa.
Este teu humor é inimitável, pq, gémeas, só mesmo as torres!...

9/9/05 19:22  
Blogger mood said...

Implosão?!Qual implosão?...

9/9/05 20:07  
Blogger sotavento said...

Bem, eu cá só sei que o que se implode fica implodido!... :)

9/9/05 21:39  
Blogger segurademim said...

O que eu gosto mais é do Cunha e da ideia da tua mais-que-tudo!!!
do Cunha porque é imbecil e bacoco como todas as cunhas da vida; a tua mais-que-tudo já lhe tinha vaticinado um arrozinho doce. A surpresa foi ser cozinhado à maneira com ovos e tudo! sim, porque não sei se sabes agora usa-se pudim, para dar cor ao arroz!
- eu é que chorei, mas foi a rir... criáste aqui uma cena 5 estrelas.
Então a tua-mais-que-tudo não mexeu na tua implosão?? oh diabo! e chora quando tu falas com ela???
tchhhh que convencido...

10/9/05 09:29  
Blogger Seila said...

como é que andei eu a perder uma escrita destas inda mais cheia de humor?! onde eu com a cabeça?! Legível ?! eu diria apetecível esta escrita. Ai rapaz que agora já se não enrolam, não, toicinhos nem banhas, mas ainda os maridos chegam perguntando pela implosão (ai o que eu me ri!!!) e dá aquelas confusões que tão bem descreves! Bom resto de fim de semana!

10/9/05 18:20  
Blogger manhã said...

Prefiro Explosão! É mais viril!Implodir é como explodir mas ao contrário! Logo é um sofisma muito na moda! Manda-se abaixo mas sem causar dano, nem barulho.Pasteurizado portanto!Sem nata e asséptico (Espero que gostes de adjectivos! )

10/9/05 19:41  
Blogger musqueteira said...

Viva Legível,
"Fora do tempo de Campanha?!"...Hum?!...Pois estamos em campanha até Janeiro de 2005!...Pois é. O calendário é essse. Aliás...até o Pai Natal estará em campanha este ano em Portugal. A implosão...é claro que é uma importante técnica...quando á primeira...realizada em outro continente,o mundo parou a ver a mesma.E, voltando á dita campanha...pois tive uma reunião no sul do País e fiz tudo para ás 16 horas entrar em Lx...para não apanhar transito da comitiva "turismo-politico" de regresso a S.Bento.Se tomam o gosto na técnica de impolsão...existem muitos "monos2 a apagar em território nacional;)

11/9/05 10:19  
Blogger JRD said...

Não vi a implosão, não compro no Continente nem no Modelo, não compro o Público (às vezes leio...), não tenho a Novis, nem a Optimos, etc. Manias, eu sei.

Nota: Ainda não vai ser desta, por isso conte com a "vernissage".

11/9/05 13:45  
Blogger Nia said...

É razão para dizer "imploooda-se!" :) Desculpa o desabafo.Mas o aspecto hollywoodesco da "coisa", com primeiro ministro à mistura e honras de bis na TV se eu não fosse calmíssima ficaria à beira de um ataque de nervos!Mas sou calma....é o que vale! ;)


PS (Também se pôe PS's aqui?!Mas isto nem é carta nem nada! E também não é o outro PS do Ministro das implosões) Mas pronto...o que eu queria dizer é que voltei para trás porque lá no "Antro"das Quadras(Ai que a Sotaventinha mata-me!) disseste "...se não rima a Nia/Não faz mal, assobia"Mas...assim fazes-me sentir uma verdadeira incompetente!Quase uma fan de implosões!É que ...eu não sei assobiar! :(

11/9/05 22:06  
Blogger JPD said...

Para as pessoas que valorizam muito a tv e investem muito tempo com as imagens, acompanhar um directo como o das implosões não deixa de ser emotivo.
Tambem concordo, pompa e circunstância em excesso.
Um abraço

11/9/05 22:12  
Blogger manuel said...

Ora bem! ainda há casamentos como devem ser: arroz doce à sobremesa e "implosões" espalhadas pela casa ... esquecidas!

Abraços

12/9/05 11:03  
Blogger legivel said...

Para Concha:
Fizeste bem. Portas trancadas à mediocridade!
Obrigado...embora já tivesse passado.

12/9/05 14:49  
Blogger legivel said...

Para Armando ésse:
Assim, também eu acertava!!
Abraço.

12/9/05 14:52  
Blogger legivel said...

Para Mjm:
Por acaso, a minha miuda mais nova ( três aninhos), quando estava a escrever o post, perguntou-me «papá q´tás a fazer?». Respondi-lhe que estava a escrever uma história de um homem muito rico que ainda ficou mais rico quando o outro homem que mandava no país, lhe pagou para poder ter o prazer de fazer cair ao chão, duas grandes casas....que era o grande sonho dele...
Esta minha filhota gosta muito de ouvir as histórias que eu lhe "invento". A mais velha (cinco anos) diz que eu sou um ganda mentiroso...

12/9/05 15:01  
Blogger legivel said...

Para Mood:
Deixa pra lá. Já passou...

12/9/05 15:03  
Blogger legivel said...

Para Sotavento:
E sabes muito bem! Que as tuas abordagens semânticas neste blog, só o enriquecem.
Grato.

12/9/05 15:19  
Blogger legivel said...

Para Segurademim:
Se "a minha mais-que-tudo não mexeu na minha implosão?"
E tu achas que eu vinha para aqui relatar intimidades dessa natureza?! A minha mais-que-tudo mexe em tudo o que vem à mão, é verdade. Mas tenho de ter alguma contenção, como deves calcular; este blog é um espaço público, não é?!
Ela chora quando eu falo com ela, também é verdade; mas chora de riso, que eu sou um ganda cómico!!

NOTA: Vocês mulheres, é só batotas! Pudim em vez de ovos! O que eu oiço! Porque não sal em vez de açúcar?!

12/9/05 15:30  
Blogger legivel said...

Para SEila:
"Apetecível"?! Até fiquei corado...
Prontos, mas agora já sabes "onde moro" e até estranho como ainda não tinhas cá vindo deixar umas letras! Na blogsfera, não se fala noutra coisa a não ser no Legível!
Ainda hoje de manhã, tive cá em casa uns senhores da televisão que dizem que tenho muita habilidade para estas coisas e se quiser até já posso estrear um programinha no próximo mês; imagina que já têm título e tudo!; chama-se "baixa-te e chora" e garantiram-me que seria a cores. Se não fôr assim não quero...que um sujeito tem de fazer de caro, não achas?.
Mas está descansada, que apesar deste meu estantâneo sucesso, eu não deixarei de te visitar, fica descansada, que tu pareces ser boa moça...
Tem uma boa semana, que eu, na parte que me toca, vou fazer por isso.

12/9/05 17:28  
Blogger legivel said...

Para Manhã:
Tu nem sonhas como eu gosto de adjectivos!!
Por ordem de preferências (sim, que fim de uns tempos de diálogo virtual, deves ficar a saber um pouco mais da minha pessoa...) e logo após os interiores dos pastéis de nata -espera aí que eu ponho tudo ordenadinho:

1º- Interior dos pastéis de nata
2º- Conteúdo das barricas de ovos moles
3º- O meio (onde está a virtude)
4º- Chuva copiosa de adjectivos
5º- Bacalhau à 25 d´abril (em vez de batatas o fiel amigo é acompanhado de grândolas...

...assim já vais ficando com uma ideia mais...legível.

12/9/05 17:46  
Blogger legivel said...

Para Musqueteira:
Viva!!
É o que não faltam, são monos por tudo o que é sítio, a precisarem de implosão.
E então daqueles que não servem a ninguém (chamados misteriosamente de imóveis devolutos) era um ver se te avias; implosão com eles todos!
Ah! se eu fosse ministro da implosice...

12/9/05 17:55  
Blogger legivel said...

Para Jrd:
Não perde nada com isso (aliás deve sabê-lo tão como eu) que tenho sabido notícias de muita gentinha que se perde nas grandes superficies, a última foi uma camioneta cheínha de excursionistas vindos dos arredores de lisboa que se perderam
(se a memória não me atraiçoa) no Amoreiras. Sairam de lá sem um euro no bolso...tudo gente remediada; uma desgraça.
São boas notícias, as suas.

12/9/05 18:05  
Blogger legivel said...

Para Nia:
Gosto de te saber uma pessoa calma, que para nervoso basto eu. Acho que nos vamos dar bem aqui pelo virtual. És voluntariosa, gostas de escrever e respondes às pessoas de uma forma diria que familiar. Isso é bom.
Claro que temos um problema: não sabes assobiar: Mas isso resolve-se com o tempo. Entretanto, aconselho-te um livrinho muito útil: "Como assobiar aos pardais, começando por assobiar às botas". É das Edições Melodias de Sempre e encontra-lo com facilidade na Feira da Ladra (ao pé dos gajos que vendem pássaros).
Ah! ainda temos outro problema...Não fazes quadras. Deixa estar; na próxima vez sugiro-te um outro livro; este de quadras já feitas mas de autores anónimos. Sempre podes pôr o teu nome como autora que ninguém te vem pedir os direitos...
Tem uma optima semana!

12/9/05 18:18  
Blogger legivel said...

Para Jpd:
É um facto, que há muita gente neste país, que por um variado leque de circunstâncias e por infelicidade, um dos raros entretenimentos que têm é o da televisão. Esses, nem podem optar.
Nesse caso, a "manipulação mediática" ainda se torna mais...anti-democrática.
Hoje, quando nos cruzamos na rua com uma figura politica , pensamos "vivemos tu-cá-tu-lá com eles"...Pura ilusão; a "linguagem estratégica" cava cada vez mais a fronteira.
Um abraço.

12/9/05 18:35  
Blogger legivel said...

Para Manuel:
E isto é apenas um "cheirinho".
A felicidade escreve-se por aqui...
Abraço.

12/9/05 18:37  
Blogger legivel said...

Para Seila:
Ó minha cara! Geralmente não dou muita importância aos "erros" dos comments (embora tente dentro do possível ser o mais cuidado nestas coisas), porque um comment é um comment, bla´blá blá.

Mas escrever estantâneo em vez de instantâneo...é demais!

12/9/05 21:30  

Post a Comment

<< Home